Celsinho da Vila Vintém

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Celso Luís Rodrigues (1961 - ), vulgo Celsinho da Vila Vintém, é um criminoso brasileiro, sendo traficante de drogas, co-fundador da facção criminosa Amigos dos Amigos, atuante na favela da Vila Vintém em Padre Miguel zona oeste do Rio de Janeiro.[1] [2]

Celsinho começou a vida do crime promovendo assaltos a caminhões de carga na Av.Brasil e distribuindo as mercadorias para os moradores da comunidade da Vila Vintém, essa atitude fez com que seu prestígio aumentasse frente a comunidade.

Em meados da década de 90, o Celso Russo (como também é conhecido na comunidade) assume o domínio do tráfico e conquista o respeito dos principais líderes do Comando Vermelho com o bons resultados de suas bocas de fumo.

Em consequência de suas conquistas no crime, Celsinho é perseguido pela Polícia do Estado do Rio de Janeiro e começa a se espalhar o folclore que envolve suas fugas mirabolantes, são atribuídas estórias de passagens subterrâneas equipadas e de pactos com o demônio.

Com o passar do tempo, a busca da polícia se torna implacável, a ponto de a Rede Globo exibir um programa especial sobre a vida do líder do tráfico na Vila vintém, logo Celsinho é preso, mas como outros traficantes continua a comandar as ações de dentro da cadeia.

Amigos dos Amigos[editar | editar código-fonte]

Na prisão Celsinho se une outros criminosos para fundar a facção criminosa Amigos dos Amigos, vendo na criação da facção a oportunidade de ampliar o seu poder por toda a zona oeste do Rio de Janeiro. Anos mais tarde Celsinho consegue fugir da cadeia e voltar a viver o dia a dia da favela, mas por pouco tempo, pois retornaria a ser encarcerado em Bangu 1.

Em 11 de setembro de 2002, em meio a rebelião orquestrada pelo traficante Fernandinho Beira-Mar, do comando vermelho, diversos presos das facções rivais foram brutalmente assassinados, incluindo , líder do Terceiro Comando. De maneira até hoje inexplicada Celsinho conseguiu sair vivo da rebelião, sendo algumas hipoteses levantadas a de que Celsinho teria fingido mudar de lado ou feito um acordo financeiro com Fernandinho. Há fontes que citam também um suposto alerta dado por Celsinho a Beira-Mar, sobre um suposto plano para assassiná-lo, plano este que teria motivado o massacre, que seria, segundo esta teoria, uma reação.[1] O fato é que após esta rebelião, houve o racha dentro do Terceiro Comando, então um aliado da ADA. Devido a este racha, todos os traficantes desta facção migraram para o Terceiro Comando Puro ou para a ADA, sendo o TC extinto.

Atualmente, Celsinho está preso aguardando julgamento de sua progressão de pena, é sabido que continua a controlar as ações na Vila Vintém através de seus aliados.

Referências

  1. a b CLÓVIS SAINT-CLAIR E IVAN PADILLA, para Revista Época. Rebelião em Bangu 1 e desativação do Carandiru refletem uma mudança nas cadeias. Agora, quem manda é o crime. Visitado em 05/12/2010.
  2. MARIO HUGO MONKEN, para a Folha de S.Paulo (17/09/2001). Saiba quem é Celsinho da Vila Vintém. Visitado em 05/12/2010.