Celtic Football Club

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Celtic
Celtic FC logo.png
Nome The Celtic Football Club
Alcunhas The Bhoys, The Hoops, The Tic e The Sellics.
Torcedor/Adepto The Tims
Mascote Hoopy the Huddle Hound
Fundação 6 de novembro de 1888 (125 anos)
Estádio Celtic Park
Capacidade 60.355 espectadores
Presidente Escócia Ian Bankier
Treinador Noruega Ronny Deila[1]
Patrocinador Escócia Tennent's
Material esportivo Estados Unidos Nike
Competição Escócia SPL
União Europeia Liga dos Campeões
2013-14 1º colocado
Website celticfc.net
Kit left arm celtic1314h.png Kit body celtic1314h.png Kit right arm celtic1314h.png
Kit shorts greenstripesonwhite.png
Kit socks celtic1314h.png
Uniforme
titular
Kit left arm celtic1314a.png Kit body celtic1314a.png Kit right arm celtic1314a.png
Kit shorts.png
Kit socks celtic1314a.png
Uniforme
alternativo
editar

O Celtic Football Club é um clube de futebol da Escócia sediado na cidade de Glasgow, que compete na Scottish Premier League, a mais alta divisão do futebol escocês, nunca tendo sido rebaixado.

O nome oficial do clube é The Celtic Football Club e até 1994 o nome completo era The Celtic Football and Athletic Company Ltd.

O seu maior título foi a conquista da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1966–67.

O Celtic foi ainda campeão 45 vezes da Scottish Premier League, mais recentemente na temporada 2013-2014, 36 vezes a Copa da Escócia e 14 vezes a Copa da Liga Escocesa, tendo como grande rival nacional o Rangers, com quem faz o clássico conhecido como "Old Firm".

Introdução[editar | editar código-fonte]

O Celtic joga seus jogos no Celtic Park, mais conhecido como Parkhead, tem capacidade para 60.832 pessoas, sendo o maior estádio de futebol da Escócia. Na temporada 2006-07, o Celtic Park teve uma média de 57.927 pessoas por jogo,[2] sendo a segunda maior, depois do Manchester United,[3] de um clube de futebol do Reino Unido.

Costuma ser conotado com os escoceses católicos e os descendentes de irlandeses. O seu grande rival local, o Glasgow Rangers, pelo contrário, costuma ser associado aos escoceses protestantes (presbiterianos ou calvinistas). Os encontros entre estas equipes fazem o clássico The Old Firm.

Em 1967, o Celtic se tornou o primeiro clube britânico a conquistar a Copa dos Campeões da Europa, que até então só havia sido conquistada por times italianos, portugueses e espanhóis. Nesta temporada o Celtic ganhou todas as competições que disputou: o Campeonato Escocês, a Copa da Escócia, a Copa da Liga Escocesa, a Copa dos Campeões da Europa e a Copa de Glasgow.

O Celtic continua sendo o único clube Escocês a ter chegado a final e é o único a ganhar o troféu com um time composto totalmente de jogadores pratas-da-casa;[4] [5] todos os jogadores ainda eram escoceses e nascidos em um raio de 30 milhas do Celtic Park.

Em 1970 o Celtic chegaria novamente em uma final da Taça Europeia, sendo batido pelo Feyenoord na prorrogação.

Em 2003, Martin O'Neill liderou o time à final da Copa da UEFA em Sevilha, onde o Celtic perdeu por 3-2 frente ao Porto, na prorrogação. Cerca de 114.000 torcedores do Celtic viajaram até Sevilha para assistir à final - o maior número de torcedores que viajaram para acompanhar um único jogo, segundo a UEFA e a Organização Governamental do Futebol Europeu.[6] [7] [8]

O uniforme tradicional, usado pelo Celtic desde 1903, é composto por: camisa com listras verdes e brancas, short brancos e meias brancas. O Celtic tem aproximadamente 9 milhões de torcedores.[9]

História[editar | editar código-fonte]

Memorial ao Irmão Walfrid Kerins em Ballymote, Irlanda.

O Celtic Football Club foi formalmente constituído na Igreja de St. Mary, na East Rose Street (atual Forbes Street), Calton, Glasgow, pelo irmão Marista Walfrid Kerins em 6 de novembro de 1887, com o propósito de aliviar a pobreza no leste de Glasgow.

O projeto de caridade chamava-se The Poor Children's Dinner Table.

A população da região era formada, em sua maioria, por imigrantes irlandeses, vistos na época como cidadãos de segunda classe. Discriminados na condição de estrangeiros, eles recebiam salários inferiores à média. A escolha do nome Celtic foi uma maneira de propagar o orgulho que os integrantes tinham de suas origens.

O novo clube alugou um terreno, e um grupo de voluntários trabalhou para transformá-lo em um campo de jogo.

O primeiro título do Celtic foi a Copa da Escócia de 1892, e no ano seguinte veio a conquista do Campeonato Escocês.

O primeiro jogo[editar | editar código-fonte]

O primeiro Celtic

O primeiro jogo oficial do Celtic foi um amistoso jogado no velho Celtic Park, em 28 de maio de 1888 contra o Rangers. O Celtic vestia camisas brancas com uma gola verde e uma Cruz Céltica verde e vermelha no peito. As camisas foram doadas ao clube por Penman Brothers da Bridgeton Cross. Os calções eram pretos e as meias verde-esmeralda.

O resultado final do jogo foi Celtic 5-2 Rangers. Neil McCallum marcou o primeiro gol da história do Celtic Football Club. O time que jogou aquele dia era formado principalmente por jogadores emprestados do Hibernian.

Willie Maley[editar | editar código-fonte]

Com seu primeiro 'manager', Willie Maley, o clube ganhou 30 competições relevantes em 43 anos. Ele guiou o Celtic na conquista de seis títulos nacionais seguidos, de 1904 a 1910, um recorde escocês que durou por 60 anos, até 1971, quando foi igualado e depois ultrapassado por Jock Stein.

Os anos de Maley também foram marcados por uma tragédia, quando o goleiro John Thomson foi acidentalmente morto em um Old Firm, em setembro de 1931.[10] Thomson caiu no pé de Sam English (jogador do Rangers), sofrendo uma fratura no crânio e subseqüentemente morrendo no hospital naquela mesma tarde.

2ª Guerra Mundial e a Coronation Cup[editar | editar código-fonte]

Jimmy McStay foi técnico do Celtic durante o período de guerra, entre 1940 e 1945. No entanto, não aconteceu nenhuma competição oficial durante esse período, e McStay é visto como somente um técnico interino.

Jimmy McGrory, maior artilheiro do Celtic, com 522 gols, assumiu em 1945. Com McGrory, o Celtic derrotou Arsenal, Manchester United e Hibernian para ganhar a Coronation Cup,[11] torneio para comemorar o coroamento da Rainha Elizabeth II, em maio de 1953.

Em 19 de outubro de 1957, o Celtic bateu o Rangers por 7–1 na final da Copa da Liga Escocesa no Hampden Park.[12] O placar ainda é recorde em finais de copas britânicas.

Jock Stein e os Lisbon Lions[editar | editar código-fonte]

Jock Stein sucedeu McGrory em 1965. Stein ganhou maior parte da sua fama como técnico do Celtic e é mundialmente conhecido como um dos grandes treinadores da historia do futebol. 1967 foi o melhor ano de todos do Celtic. O clube ganhou todas as competições que disputou: Campeonato Escocês, Copa da Escócia, Copa da Liga, 'Glasgow Cup', e a Copa Européia (atual Liga dos Campeões da UEFA). Com a liderança de Stein, e com Billy McNeill como capitão, o Celtic derrotou a Internazionale de Milão por 2–1 no Estádio Nacional em Lisboa, Portugal em 25 de maio de 1967.[13]

Os 11 jogadores que andaram naquele campo naquele dia e fizeram historia subseqüentemente ficaram conhecidos como The Lisbon Lions. Jimmy 'Jinky' Johnstone, Bobby Lennox e Bobby Murdoch fizeram parte daquele time, e hoje são alguns considerados alguns dos maiores jogadores do Celtic de todos os tempos. A arquibancada do leste no Celtic Park é dedicada aos 'Lisbon Lions'.

O Celtic disputou naquele mesmo ano a Taça Intercontinental contra o Racing da Argentina, tendo vencido o jogo de ida na Escócia por 1a 0 e depois ter perdido na Argentina por 2 a 1. No jogo desempate, no Uruguai, vitória do Racing por 1 a 0. Essa ultima partida ficou conhecida como batalha de montevideu, pelas diversas faltas violentas e por diversas confusoes dentro e fora de campo.

O Celtic chegou na final da Copa Européia outra vez, em 1970, mas foi derrotado pelo Feyenoord por 2-1 no San Siro.[14]

Jock Stein comandou o Celtic na conquista de nove títulos nacionais, de 1966 a 1974. Esse marco é conhecido como Nine in-a-row, estabelecendo um recorde mundial,[15] já que o Celtic foi o primeiro time do mundo à conquistar tantos títulos nacionais seguidos.

anos 1980[editar | editar código-fonte]

Após a saída de Jock Stein, Billy McNeill, capitão dos Lisbon Lions, foi contratado como técnico em Agosto de 1978, sendo campeão nacional logo na primeira temporada, vencendo o Rangers por 4-2 na última partida do campeonato. McNeill liderou o Celtic em outras duas conquistas do campeonato escocês, em 1981 e 1982, e na conquista da Copa da Escócia, em 1980. No entanto, após alguns desentendimentos com parte da diretoria, o capitão dos Lisbon Lions foi retirado do cargo, em 1983.

David Hay, outro ex-jogador, assumiu o Celtic em julho de 1983. Porém, somente 2 anos depois o Celtic voltou a ganhar um título. Em 1985 Celtic estava perdendo por 1-0 na final da Copa da Escócia pro Dundee United e virou para 2-1, graças a fantástica cobrança de falta de Davie Provan e um 'peixinho' de Frank McGarvey.[16] No ano seguinte, Celtic ganhou o Campeonato Escocês no último dia da temporada na mais improvável das circunstancias. Com chances de ganhar o título, Celtic precisava ganhar o jogo final com margem de 3 gols ou mais contra o St. Mirren, e torcer para uma derrota do Hearts. O Hearts perdeu por 2-0 e o Celtic ganhou por 5-0, no jogo que garantiu a conquista, na Love Street, em Presley.[17]

Billy McNeill retornou ao clube em 1987, comandando o Celtic numa campanha de 31 jogos invictos, culminando em uma histórica dobradinha ao ganhar o Campeonato Escocês e a Copa da Escócia na temporada do centenário do clube. No entanto, o sucesso gerado pelo retorno de McNeill foi seguido por uma campanha ruim na temporada seguinte, incluindo uma derrota por 5-1 contra o Rangers. A campanha do time foi horrível e após uma derrota contra o Aberdeen nos pênaltis,[18] na final da Copa da Escócia de 1990, McNeill foi sacado.

A década perdida[editar | editar código-fonte]

Durante a década de 1990, o Celtic conquistou apenas três títulos: Copa da Escócia de 1995, Copa da Liga Escocesa de 1998 e o Campeonato Escocês de 1998. Essa década foi marcada pela transformação financeira do clube e pelo seu afastamento das competições européias, devido ao fracasso na conquista de títulos.

Liam Brady assumiu o comando do Celtic, tornando-se apenas o oitavo manager em 100 de história do clube, mas não o primeiro a ter sido um jogador do clube. Ele falhou como manager e em 22 de outubro de 1991, no primeiro jogo da Copa da UEFA contra o Neuchatel Xamax, da Suíça, o Celtic perdeu por 5-1. Na partida de volta no Celtic Park ele só conseguiu comandar uma vitória por 1-0, sendo precocemente eliminado do torneio. Juntando a derrota na CIS Cup contra o Airdrie United, Brady partiu, assim chegando outro ex-jogador, Lou Macari.

Para aliviar a considerável divida financeira, Fergus McCann reconstitui o Celtic como uma companhia pública limitada, a Celtic PLC. A emissão de ações rendeu 14 milhões de libras para o refinanciamento do clube e assim houve a reforma no Celtic Park, tornando-se um estádio que comporta 60.830 torcedores, todos sentados, e assim rivaliza com os melhores estádios na Europa. Durante esse período Lou Macari foi sacado e substituído pelo também ex-jogador, Tommy Burns, que restaurou um estilo mais ofensivo de jogar. Por causa do fracasso no Campeonato Escocês, Burns foi retirado do cargo.

Depois da demissão de Burns, o ex-zagueiro do Celtic, Roy Aitken, era o mais cotado para assumir o comando de 'manager'. No entanto, a direção do clube fez uma escolha surpreendente, contratou como 'manager' o holandês Wim Jansen. Além disso foi anunciado que a tradicional posição de 'manager' no Celtic Park havia sido abolida, dividindo as responsabilidades de 'manager' em técnico e diretor técnico.

Com um número significativo de novas contratações (incluindo Henrik Larsson por uma quantia de £650,000), o Celtic ganhou a Copa da Liga. Apesar do triunfo, as celebrações ficaram cessaram logo quando Jansen recusou fundos extras para fortalecer seu time. Assim ele se demitiu apenas 2 dias depois do clube levantar o título.

A temporada de 1999-2000 foi uma das mais desastrosas da historia do clube. Kenny Dalglish retornou ao clube como diretor técnico e John Barnes assinou como técnico. Barnes nunca havia dirigido um clube profissional e isso refletiu nos resultados. Seguido de uma série de resultados horríveis, incluindo a eliminação da Copa da UEFA e a perna quebrada de Henrik Larsson em Lyon,[19] o Rangers aumentou sua liderança na Liga e Barnes foi mandado embora.

Em 8 de fevereiro de 2000, Celtic era o anfitrião de uma partida da Copa da Escócia contra o Inverness Caledonian Thistle Caley Thistle, da segunda divisão e que foi criado em 1994. Muitos protestos contra Barnes formaram a partida e uma esperada vitória do Celtic não veio. O Caley Thistle ganhou a partida por 3-1, uma das maiores zebras da historia da Copa da Escócia.Depois da partida, Barnes falou a imprensa que que ficou satisfeito com a performance do time,e acreditou que o time simplesmente não teve sorte. A memorável manchete do jornal The Sun do dia seguinte, atribuída a um sub-editor junior foi:

  • Super Caley Go Ballistic, Celtic Are Atrocious[20]

Poucas pessoas ficaram surpresas com a saída de Barnes 2 dias depois. Kenny Dalglish assumiu como técnico até o fim da temporada de 1999-2000 e trouxe Tommy Burns para ajudá-lo. Dalglish ainda retinha o respeito dos jogadores, a performance não foi muito boa, o clube terminou 21 pontos atrás do Rangers no Campeonato Nacional e o título da Copa da Liga contra o Aberdeen foi a única consolação de um dos mais envergonhantes períodos da historia do clube.

Martin O'Neill[editar | editar código-fonte]

Martin O'Neill, um ex-jogador campeão da Europa com o Nottingham Forest, chegou ao clube após o fiasco de Barnes e Dalglish. No seu comando o Celtic ganhou 3 campeonatos escoceses (de 5 disputados) e na sua primeira temporada o time ganhou todas as competições nacionais disputadas. A temporada de 2000-01 foi memorável por causa de resultados excelentes contra o rival Rangers. Uma famosa vitória por 6-2 no Old Firm inicial da temporada no Celtic Park provou a todos que o balanço de forças na Escócia havia trocado de lado. O 'Demolition Derby', como ficou conhecido, foi seguido de uma vitória do Rangers contra o Celtic por 5-1 no encontro subseqüente da Liga no Ibrox. No entanto, duas vitórias na Liga contra o Rangers, por 1-0 (no Celtic Park) e 3-0 (no Ibrox), asseguraram o primeiro título nacional de O'Neill. Nessa temporada o Celtic ganhou a sua primeira Tríplice Coroa desde 1969, ganhando a Copa da Liga e a Copa da Escócia.

Parte do sucesso de Martin O'Neill aconteceu no retorno do Celtic como grande força Européia, talvez as custas dos triunfos em casa. Em três ocasiões seu Celtic classificou-se para a fase de Grupos da Liga dos Campeões da UEFA, e só uma fez falhou ao classificar o Celtic para a grande competição Européia, mas classificando para a Copa da UEFA. Na liderança de O'Neill, o Celtic Park virou uma fortaleza em competições nacionais e europeias.

Times como Juventus, Porto, Valencia, Barcelona visitaram Glasgow para enfrentar o Celtic e retornaram para casa derrotados. Na sua liderança o Celtic também começou uma corrida invicta de 77 jogos no Celtic Park que durou de 2001 a 2004 e bateu um recorde na Escócia de mais vitórias consecutivas em uma só temporada.

Em 2003, cerca de 80.000 torcedores do Celtic viajaram para assistir o clube competir na final da Copa da UEFA em Sevilha na Espanha. Este foi o maior número de torcedores que viajaram para assistir a um único jogo, segundo a UEFA e a Organização Governamental de Futebol Europeu.[6] [7] [8] O Celtic perdeu a partida por 3-2 para o Porto na prorrogação. No entanto, houve muitas consolações como o exemplo da conduta de milhares de torcedores do Celtic e o premio que os torcedores ganharam da FIFA e da UEFA, o Fair Play Award.

Em 2005, travando uma intensa corrida pelo título da SPL, o Celtic chegou à última rodada na liderança, por 2 pontos, podendo até empatar no último jogo, com o Motherwell, dependendo do resultado do jogo do Rangers. Nos minutos finais o Celtic estava ganhando o jogo por 1-0, resultado que, independente do resultado do jogo do Rangers, levava a taça novamente para o Celtic Park.

No entanto, Scott McDonald, atacante do Motherwell que depois viria a se transferir para o Celtic, marcou dois gols. O Rangers venceu o Hibernians por 1-0, conquistando o título.[21] Nesta temporada o Celtic havia ganhado sete vezes consecutivas do Rangers.

O Celtic fechou a temporada uma semana depois, com uma vitória de 1-0 sob o Dundee United na final da Copa da Escócia, último jogo da vitoriosa campanha de Martin O'Neill no comando do Celtic, já que em 25 de maio de 2005, O'Neill tinha anunciado que iria deixar o clube, devido à atenção que queria dar a sua mulher Geraldine, que estava com linfoma, no fim da temporada.[22]

Temporadas recentes[editar | editar código-fonte]

2005-06[editar | editar código-fonte]

O ex-jogador do Aberdeen e da seleção da Escócia, Gordon Strachan, assumiu como técnico do Celtic em 1º de junho de 2005, com um contrato semelhante ao de Martin O'Neill, já que poderia se estender em um ano. Garry Pendrey foi escolhido assistente.

O clube passava por momentos difíceis e foi graças a contratação do meia japonês Shunsuke Nakamura que a equipe voltou a ser a maior do país, com o jogador o Celtic conquistou o tricampeonato escocês, muito graças as exímias assistências e cobranças de falta de Shunsuke.

Em seu primeiro jogo oficial, contra o Artmedia Bratislava em 27 de julho de 2005, o Celtic perdeu de 5-0 na primeira-mão de uma importante fase de qualificação para a UEFA Champions League, sofrendo a pior derrota na história do clube e a maior margem de derrota desde a temporada 1963-64, quando o Celtic perdeu de 6-0 do Kilmarnock F.C no Rugby Park. Na segunda-mão contra o Artmedia Bratislava o Celtic ganhou de 4-0 mas foi eliminado da no resultado agregado.

No primeiro jogo da temporada 2005-06 da SPL em 30 de julho de 2005, o Celtic, que estava ganhando de 3-1 do Motherwell quando foi ao intervalo, acabou empatando a partida por 4-4 depois de um suado gol de empate marcado por Craig Beattie.

O nono gol contra o Celtic em duas partidas oficiais no comando de Strachan foi o maior número de gols sofridos pelo clube em partidas consecutivas por 14 anos.

No entanto, com esses contratempos e uma derrota contra o Rangers no primeiro Old firm da temporada em Ibrox, o Celtic ganhou uma série de partidas consecutivas, incluindo duas vitórias contra o Rangers, e voltou a figurar no topo da SPL.

O Celtic tirou seus rivais Rangers da Copa da Liga Escocesa em 19 de novembro de 2005 e o Celtic foi eliminado da Copa da Escócia em 8 de janeiro de 2006, pelo time da divisão inferior Clyde F.C

Os comandos de Strachan bateram o Rangers novamente em 12 de fevereiro e bateram um recorde, 17 vitórias nos últimos 21 jogos contra o Rangers. O Celtic ganhou a Copa da Liga com uma vitória de 3-0 sob o Dumfermline Athletic em 19 de março. Eles bateram um novo recorde de gols numa partida da SPL, uma vitória de 8-1 contra o Dunfermline em fevereiro de 2006, onde Maciej Zurawski marcou 4 gols e deu o passe para outros 2.

Em 5 de abril de 2006 o Celtic conquistou o seu 40º título nacional graças a um gol marcado por John Hartson na vitória de 1-0 contra o Hearts no Celtic Park. O título foi o 4º em 6 anos para o Celtic. Este foi conquistado com 6 rodadas de antecedência. Os Bhoys levantaram o troféu na partida contra o Hibernian no Celtic Park, que terminou em 1-1.

Em abril de 2006, o time reserva e o sub-19 também conquistaram seus títulos, completando uma tríplice coroa nos campeonatos nacionais. O time reserva do Celtic ganhou seu 5º título consecutivo e o sub-19 seu 4º título consecutivo.

2006-07[editar | editar código-fonte]

Tão bom foi o começo de temporada para o Celtic, que Paddy Power apostou em 4 de novembro de 2006 que o Celtic seria campeão, com apenas 13 jogos disputados. No meio de novembro o Celtic estava a 15 pontos do 2º colocado.

Em 21 de novembro, o Celtic derrotou o Manchester United por 1-0 no Celtic Park, se classificando para as oitavas de final pela primeira vez desde que o formato da Champions League mudou em 1993, sendo sorteado para enfrentar o Milan. Depois dos jogos terem acabado em 0-0, a corrida do Celtic na Champions League terminou por um gol milanês marcado por Kaká no tempo extra.

Durante a janela de transferências de janeiro de 2007, o Celtic contratou os jogadores do Hearts Steven Pressley e Paul Hartley, o zagueiro Jean-Joël Perrier-Doumbé do Rennes e o goleiro Mark Brown do Inverness Caledonian Thistle.

Em 22 de abril de 2007 o Celtic ganhou seu 41º campeonato nacional e o segundo consecutivo. O título foi ganho por uma cobrança de falta de Shunsuke Nakamura nos acréscimos em uma vitória contra o Kilmarnock.[23]

Em 26 de maio de 2007 o Celtic ganhou a Copa da Escócia pela 34ª vez batendo o Dunfermline por 1-0.

2007-08[editar | editar código-fonte]

O Celtic reforçou o time para a temporada, contratando Scott Brown, Chris Killen, Scott McDonald e Massimo Donati. O ex-capitão Neil Lennon se transferiu para o Nottingham Forest depois de passar 7 anos no Celtic.[24] Depois de um empate contra o time russo do Spartak Moscou na terceira fase classificatória da UEFA Champions League 2007-08 a vaga foi decidida em cobranças de pênaltis, com Artur Boruc defendendo duas cobranças, garantindo a passagem do Celtic à fase de grupos. Esta foi a primeira vitória européia do Celtic em cobranças de pênaltis.

O Último Old Firm da temporada, onde o Celtic acabou vencendo por 3-2, voltando à ter chances na conquista do título.

Na fase de grupos o Celtic enfrentou A.C. Milan, Benfica e Shakhtar Donetsk, vencendo todas as partidas no Celtic Park e perdendo todas jogadas fora da Escócia. Acabando em 2º lugar, o Celtic garantiu a segunda qualificação consecutiva para as oitavas de final da Copa dos Campeões, onde foi sorteado para enfrentar o FC Barcelona, campeão da temporada 2005/06.

A primeira contratação da janela de transferência de inverno foi o alemão Andreas Hinkel, seguido pelo japonês Koki Mizuno e o atacante grego Georgios Samaras. O Celtic fechou a janela de transferências se reforçando com Barry Robson, do Dundee United e o jovem atacante Ben Hutchinson, do Middlesbrough.

Na primeira partida das oitavas da Copa dos Campeões, jogada no Celtic Park, o Celtic perdeu por 3-2 do Barcelona. Neste jogo Barry Robson fez sua estreia europeia e marcou um dos gols do Celtic. Na partida de volta o Barcelona conseguiu um gol no começo, marcado por Xavi, e segurou o resultado de 1-0, se classificando com um resultado agregado de 4-2.

O Celtic foi eliminado da Copa da Escócia pelo Aberdeen FC depois de empatar por 1-1 no Pittodrie Stadium e perder por 1-0 no Celtic Park. Nos últimos 8 jogos da temporada o Celtic ganhou todos, incluindo duas vitórias contra o Rangers, conquistando o seu 42º título da Scottish Premier League, após uma vitória, no último dia da temporada, por 1-0 contra o Dundee U. no Tannadice Park.

2008-09[editar | editar código-fonte]

O Celtic abriu a janela de transferências com a contratação do lateral Pat McCourt, do Derry City, em 19 de junho. O grego Georgios Samaras, atacante do Manchester City que passou a segunda metade da temporada 2007-08 no Celtic por empréstimo, foi contratado definitivamente em 14 de julho, assinando por 3 anos.

O primeiro jogo da temporada na SPL foi contra o St. Mirren no Celtic Park, em 10 de agosto. O Celtic ganhou por 1-0 com um gol de Barry Robson. Antes do começo da partida, o Celtic apresentou à torcida Marc Crosas, que havia sido contratado ao Barcelona no dia anterior. O Celtic confirmou a saída de Thomas Gravesen, Evander Sno e a chegada de Shaun Maloney, vindo do Aston Villa Football Club, respectivamente.

Como campeão da SPL, o Celtic se classificou diretamente para a fase de grupos da UEFA Champions League, mas após ser sorteado para o Grupo E, juntamente com Manchester United, Villarreal e AaB Aalborg, acabou na quarta posição.

Na janela de transferências de Janeiro, o Celtic contratou o lateral Niall McGinn, do Derry City, o zagueiro Milan Mišůn, do FK Marila Príbram, e o meio-campista Willo Flood, do Cardiff City F.C., fazendo também um pré-contrato com o goleiro do Dundee United, Łukasz Załuska.

O Celtic ganhou a Copa da Liga Escocesa numa final contra o Rangers, no Hampden Park, em 15 de março de 2009. Após um tempo normal sem gols, o Celtic ganhou por 2-0 na prorrogação, com gols de Darren O'Dea e Aiden McGeady.

No último dia da temporada, o Celtic não conseguiu conquistar o seu 4º título consecutivo da SPL, com o Rangers ganhando do Dundee United e ficando com o título. No dia seguinte, o técnico Gordon Strachan se desligou do clube e foi substituído pelo ex-jogador do Celtic, Tony Mowbray, que estava treinando o West Bromwich Albion.

Foi também o final de um ciclo, o meia japonês Shunsuke Nakamura, que havia chegado na temporada 2005, e desde então ganhado inúmeros títulos com o clube e também individuais, acertou sua transferência para o Espanyol, foi ovacionado e saiu de campo aos prantos após seu último jogo, infelizmente sem conseguir obter o 4º título nacional consecutivo.

2009-10[editar | editar código-fonte]

Na janela de transferências de verão, o Celtic contratou Marc-Antoine Fortuné, por £3.8 milhões, que estava no AS Nancy, e Landry N'Guemo por empréstimo.

Na 3ª fase classificatória para a UEFA Champions League, o Celtic enfrentou o Dínamo de Moscovo.

2010-11[editar | editar código-fonte]

O novo técnico, Neil Lennon criou a contratação de Charlie Mulgrew de Aberdeen, Du-Ri Cha de Frankfurt, Joe Ledley de Cardiff, Efraín Juárez de UNAM e Daryl Murphy do Sunderland.

Elenco 2013-14[editar | editar código-fonte]

Atualizado até 31 de agosto de 2011[25]

Goleiros
24 Polónia Łukasz Załuska
Defensores
02 País de Gales Adam Matthews
03 Honduras Emilio Izaguirre
04 Nigéria Efe Ambrose
05 Países Baixos Virgil Van Dijk
06 Israel Nir Biton
21 Escócia Charlie Mulgrew
22 França Steven Mouyokolo
23 Suécia Mikael Lustig
45 Escócia Lewis Toshney
Meio-campistas
08 Escócia Scott Brown Capitão
15 Escócia Kris Commons
16 País de Gales Joe Ledley
33 Israel Beram Kayal
46 Escócia Dylan McGeouch
56 República Checa Filip Twardzik
58 República Checa Patrik Twardzik
Atacantes
10 República da Irlanda Anthony Stokes
11 Países Baixos Derk Boerrigter
17 Portugal Amido Baldé
49 Escócia James Forrest
Treinador
Noruega Ronny Deila


Emprestados
Posição Jogador
Escócia
M
Jackson Irvine (emprestado ao Kilmarnock)
Escócia
M
Callum McGregor (emprestado ao Notts County)
Escócia
AT
Tony Watt (emprestado ao Lierse)


Capitães[editar | editar código-fonte]

  • Escócia James Kelly (1888-1897)
  • Escócia Daniel Doyle (1897-1899)
  • Escócia Sandy McMahon (1899-1903)
  • Escócia Willie Orr (1903-1906)
  • Escócia James Hay (1906-1911)
  • Escócia Sunny JimYoung (1911-1917)
  • Escócia Alec McNair (1917-1920)
  • Escócia William Cringan (1920-1923)
  • Escócia Charlie Shaw (1923-1925)
  • Escócia Willie McStay (1925-1929)
  • Escócia Jimmy McStay (1929-1934)
  • Escócia Bobby Hogg (1934-1935)
  • Escócia Willie Lyon (1935-1939)
  • Escócia John McPhail (1948-1952)
  • República da Irlanda Sean Fallon (1952-1953)
  • Escócia Jock Stein (1953-1955)
  • Escócia Bobby Evans (1955-1957)
  • Irlanda do Norte Bertie Peacock (1957-1961)
  • Escócia Duncan MacKay (1961-1963)
  • Escócia Billy McNeill (1963-1975)
  • Escócia Kenny Dalglish (1975-1977)
  • Escócia Danny McGrain (1977-1987)
  • Escócia Roy Aitken (1987-1990)
  • Escócia Paul McStay (1990-1997)
  • Escócia Tom Boyd (1997-2002)
  • Escócia Paul Lambert (2002-2004)
  • Escócia Jackie McNamara (2004-2005)
  • Irlanda do Norte Neil Lennon (2005-2007)
  • Escócia Stephen McManus (2007–2010)
  • Escócia Scott Brown (2010-)

Treinadores[editar | editar código-fonte]

  • Escócia Willie Maley (1897-1940)
  • Escócia Jimmy McStay (1940-1945)
  • Escócia Jimmy McGrory (1945-1965)
  • Escócia Jock Stein (1965-1978)
  • República da Irlanda Sean Fallon (1975-1976)*
  • Escócia Billy McNeill (1978-1983)
  • Escócia David Hay (1983-1987)
  • Escócia Billy McNeill (1987-1991)
  • República da Irlanda Liam Brady (1991-1993)
  • Escócia Frank Connor (1993)*
  • Escócia Lou Macari (1993-1994)
  • Escócia Tommy Burns (1994-1997)
  • Escócia Billy Stark (1997)*
  • Escócia David Hay (1997)*
  • Países Baixos Wim Jansen (1997-1998)
  • Eslováquia Josef Venglos (1998-1999)
  • Inglaterra John Barnes (1999-2000)
  • Escócia Kenny Dalglish (2000)*
  • Irlanda do Norte Martin O'Neill (2000-2005)
  • Escócia Gordon Strachan (2005-2009)
  • Inglaterra Tony Mowbray (2009-2010)
  • Irlanda do Norte Neil Lennon (2010-2014)
  • Noruega Ronny Deila (2014-)

* Assumiu o cargo interinamente.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Treinador do ano PFA
Treinador do ano - imprensa esportiva

Presidentes[editar | editar código-fonte]

  • Escócia John H. McGlaughlin (1897-1909)
  • Escócia James Kelly (1909-1914)
  • Escócia Tom White (1914-1947)
  • Escócia Robert Kelly (1947-1971)
  • Escócia Desmond White (1971-1985)
  • Escócia Tom Devlin (1985-1986)
  • Escócia John McGinn (1986-1991)
  • Escócia Kevin Kelly (1991-1994)
  • Escócia Fergus McCann (1994-1999)
  • Escócia Frank O'Callaghan (1999-2000)
  • Escócia Brian Quinn (2000-2007)
  • Escócia John Reid (2007–)

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Todos os jogadores são escoceses, a não ser os destacados com a bandeira do país de origem.
Maiores Artilheiros[26]
# Name Career Gols
1 James McGrory 1922-1937 472
2 Bobby Lennox 1961-1978
1979-1980
273
3 Henrik Larsson Suécia 1997-2004 242
4 Stevie Chalmers 1958-1971 231
5 Jimmy Quinn 1900-1917 217
6 Patsy Gallacher República da Irlanda 1911-1926 192
7 John Hughes 1960-1971 189
8 Sandy McMahon 1891-1903 171
9 Jimmy McMenemy 1902-1920 168
10 Kenny Dalglish 1969-1977 167
Mais Jogos
# Nome Carreira Jogos
1 Billy McNeill[27] 1957-1975 790
2 Paul McStay 1981-1997 678
3 Roy Aitken 1976-1990 669
4 Danny McGrain 1970-1987 661
5 Pat Bonner República da Irlanda 1978-1995 642
6 Bobby Lennox 1961-1978
1979-1980
587
7 Bobby Evans 1944-1960 548
8 Jimmy Johnstone 1962-1975 515
9 Jimmy McMenemy 1902-1920 515
10 Tommy Burns 1975-1989 504

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Nome Campeonato Escocês Copa da Escócia Copa da Liga Escocêsa Taça da Europa Total
Willie Maley República da Irlanda 16 14 - - 30
Jimmy McStay Escócia 0 0 - - 0
Jimmy McGrory Escócia 1 2 2 - 5
Jock Stein Escócia 10 9 6 1 26
Billy McNeill Escócia 4 3 1 0 8
David Hay Escócia 1 1 0 0 2
Liam Brady República da Irlanda 0 0 0 0 0
Lou Macari Escócia 0 0 0 0 0
Tommy Burns Escócia 0 1 0 0 1
Wim Jansen Países Baixos 1 0 1 0 2
Jozef Vengloš Eslovénia 0 0 0 0 0
John Barnes Inglaterra 0 0 0 0 0
Kenny Dalglish Escócia 0 0 1 0 1
Martin O'Neill Irlanda do Norte 3 3 1 0 7
Gordon Strachan Escócia 3 1 2 0 6
Tony Mowbray Inglaterra 0 0 0 0 0
Neil Lennon Irlanda do Norte 3 2 0 0 5

O Celtic e a mídia[editar | editar código-fonte]

O Celtic sempre tentou se engajar diretamente com a sua torcida e usar a mídia tradicional como um método de comunicação que leve informações verdadeiras para todo o mundo sobre o que se passa dentro do clube.

Em 1965, o Celtic começou a publicar o The Celtic View, o primeiro jornal regular de um clube no Reino Unido.

Em 2004, o Celtic inaugurou o seu próprio canal de TV digital, o Celtic TV, disponível em todo o Reino Unido no Setanta Sports e em plataformas à cabo e via satélite. Desde 2002, o canal via internet do Celtic, o Channel67 (conhecido antes como Celtic Replay), transmite o próprio conteúdo do Celtic por todo o mundo, oferecendo coberturas de partidas ao vivo para residentes no Reino Unido e agora já possui 3 canais online.

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes dos jogadores[editar | editar código-fonte]

  • 1º Uniforme - Camisa listrada em verde e branco, calção branco e meias pretas;
  • 2º Uniforme - Camisa preta, calção e meias pretas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme

Uniformes dos goleiros[editar | editar código-fonte]

  • Camisa amarela, calção e meias amarelas;
  • Camisa verde, calção e meias verdes;
  • Camisa preta, calção e meias pretas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Uniformes de treino[editar | editar código-fonte]

  • Camisa amarela, calção e meias amarelas;
  • Camisa cinza, calção e meias cinzas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2012-13
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
  • 2011-12
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
  • 2010-11
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro

Escudo[editar | editar código-fonte]

O primeiro escudo do Celtic era uma Cruz Céltica. No entanto, propagandas do Celtic no últimos anos, mostram uma harpa contra um fundo azul. O time também já vestiu uma camisa com um grande shamrock como sendo o escudo (década de 1950), então o Celtic passou a jogar sem escudo, na camisa só havia as listras brancas e verdes horizontais, modelo que foi imortalizado pela conquista da Copa Européia de 1967.

Este modelo foi usado até o final da década de 1970, quando o trevo de quatro folhas se tornou o emblema do clube, que é usado até os dias de hoje. A Cruz Céltica também apareceu como escudo no ano do centenário e em 2003, para celebração dos 100 anos de uso das listras brancas e verdes no uniforme. Já foi considerada uma mudança no escudo até um certo ponto, mas nunca mais o assunto foi debatido, a torcida agradeceu.

40º Aniversário dos Leões de Lisboa
  • Um escudo contendo as frases: 25 de Maio - Leões de Lisboa - 40º aniversário foi adotado na camisa da temporada 2007-08 devido aos 40 anos da conquista da Copa Européia de 1967 pelo Celtic, com o time conhecido como Leões de Lisboa.

Ficaram conhecidos como os Leões de Lisboa devido a terem ganho a Taça dos Clubes Campeões Europeus a 25 de maio de 1967 contra o Inter Milão, por 2-1, no Estádio Nacional.

  • Em uma cena do filme O Dia Depois de Amanhã uma televisão de um centro de controle está transmitindo um jogo de futebol entre Celtic F.C e Manchester United em Glasgow em que Ruud Van Nistelrooy havia acabado de marcar para o time de Manchester. O comentarista da partida diz que é um jogo válido pela Liga dos Campeões da UEFA. Naquele tempo o Celtic nunca havia enfrentado o Manchester United em um jogo da Champions League e o time inglês só havia jogado uma vez em Glasgow, perdendo por 1-0 em 2006. Na cena do filme claramente se vê que o Celtic está jogando de azul, uma cor nunca usada pelo time e, curiosamente, as cores do rival Rangers. Na verdade o jogo mostrado é um jogo da pré-temporada do Manchester United nos EUA, contra o Boca Juniors. Na mesma série de jogos de pré-temporada o Manchester havia jogado contra o Celtic na Filadélfia e perdido por 2-1, gols de Alan Smith para os ingleses e de Chris Sutton e Craig Beattie para o Celtic.[28]
  • A final da Copa da Escócia contra o Aberdeen em 1937 foi acompanhada por um público de 146.433 pessoas no Hampden Park em Glasgow, o que continua a ser um recorde para um jogo entre clubes no Futebol Europeu.[29]

Estádio[editar | editar código-fonte]

Celtic Park após a renovação em 1995.

Seu estádio é o Celtic Park, localizado em Parkhead, suburbio de Glasgow. O estádio é conhecido por Parkhead, devido à região onde está o estádio, e foi apelidado de Paradise pelos torcedores do Celtic.

É o segundo maior estádio da Escócia (depois do Murrayfield) e é o segundo maior estádio de clube do Reino Unido (depois do Old Trafford).[30]

O Celtic Park foi inaugurado em 1892 e em 1995, após esforços para sua modernização, teve a capacidade reduzida para 60 832 espectadores. O recorde de público vem de um confronto entre Celtic e Rangers em 1º de janeiro de 1938, com um total de 92 000 espectadores.

Em 2004, o Celtic anunciou que estão sendo feitas melhorias que são "parte do plano de renovação do estádio em cinco anos e assegurará que nós continuemos no caminho para alcançar o status de Estádio 5-estrelas da UEFA".

Peter Lawell, o Chefe Executivo do clube, falou em abril de 2007 que a Main Stand, arquibancada que não sofreu grandes alterações desde a construção do estádio em 1892, poderia ser remodelada para comportar mais 8000 espectadores, mas no momento isto era considerado muito caro. Com essa possível reforma na Main Stand, a capacidade total do Celtic Park seria de 69 000 pessoas.

Em 2014 o Celtic Park vai receber a cerimônia de abertura da 20ª edição dos Jogos da Commonwealth.

Lennoxtown[editar | editar código-fonte]

Centro de Treinamento de Lennoxtown.

Lennoxtown é o novo centro de treinamentos do Celtic. Inaugurado em 9 de outubro de 2007, foram gastos £8 milhões em novos equipamentos e na construção do complexo.

O novo CT fica à 37 minutos do Celtic Park, em East Dunbartonshire, numa área de 186.000m² perto das Colinas de Campsie Fells.

O complexo foi construído nas terras do antigo National Health Service nas adjacências do desocupado Lennox Castle Hospital e foi projetado para assumir a posição do antigo CT de Barrowfield, que vinha sendo utilizado desde a época de Jock Stein. Foi oficialmente aberto em 9 de outubro de 2007 pelo então presidente do Celtic Brian Quinn.

Oito milhões foram gastos na construção de um grande número de instalações de primeira classe. Dentre essas instalações, estão 3 campos de futebol de grama natural em padrão UEFA para treinos e campos para partidas com aquecimento subterrâneo, um campo de grama artificial e uma área adicional de treinamento de goleiros.

Patrocinadores[editar | editar código-fonte]

Recordes[editar | editar código-fonte]

  • O Celtic tem o recorde britânico de invencibilidade no futebol profissional: 62 jogos (49 vitórias, 13 empates), de 13 de novembro de 1915 até 21 de abril de 1917 - um total de 17 meses e 4 dias (eles perderam em casa para o Kilmarnock na última rodada).
  • O Celtic também tem o recorde da SPL de invencibilidade em partidas jogadas em casa (77), que durou de 2001 até 2004 (acabando com uma derrota de 2-1 para o Aberdeen em 21 de abril de 2004), e o recorde de vitórias consecutivas em uma só temporada (25 jogos).
  • Maior vitória: 11-0, contra o Dundee em 1895.[31]
  • Maior derrota: 0-8 contra o Motherwell 1937.[31]
  • Maior derrota em casa: 0-5 contra o Hearts em 1895.
  • Maior derrota pós-guerra em casa: 1-5 contra o Aberdeen em 1948
  • Maior vitória na Europa: 9-0 contra o KPV Kokkola da Finlandia, 1970
  • Maior derrota na Europa: 0-5 contra o FC Artmedia Bratislava em 27 de julho de 2005.
  • Maior vitória contra o Rangers: 7-1 na final da Copa da Escócia de 1957
  • Mais pontos ganhos em uma temporada: 72 (Premier Division, 1987-88, 2 pontos por vitória); 103 (Scottish Premier League, 2001/02, 3 pontos por vitória).
  • Recorde de público contra o Rangers em casa: 92.000 contra o Rangers em 1938. 3-0 para o Celtic
  • Jogador mais convocado para a seleção: Kenny Dalglish, convocado 102 vezes pela Escócia.
  • Jogador que mais atuou: Billy McNeill, 790 jogos, de 1957 a 1975.
  • Mais gols em uma só temporada: Henrik Larsson, 53.
  • Jogador que mais marcou gols: Jimmy McGrory, 468 (mais 13 quando estava emprestado ao Clydebank).
  • Primeiro time britânico a chegar à final da Copa Européia.
  • Primeiro time Escocês, Britânico e Norte-Europeu à ganhar a Copa Européia.
  • Único clube na história à ganhar a Copa Européia com um time completamente formado de jogadores feitos em casa (pratas-da-casa) e o único escocês a chegar na final.[4] [5]
  • Maior placar em uma final de copa doméstica: Celtic 7 a 1 Rangers, Copa da Liga de 1957[32]
  • Detém o recorde de maior público em um jogo de uma competição européia:Celtic-Leeds United na Copa Européia de 1970 no Hampden Park, Glasgow. Público oficial de 136 505.
  • Mais rápido hat-trick na história do futebol europeu: Mark Burchill x Jeunesse Esch, Luxemburgo, em 2000.
  • Campeão mais antecipado do campeonato escocês. Ganhou com 6 jogos a serem jogados, contra o Kilmarnock em 18 de abril de 2004 e o Hearts em 5 de abril de 2006.
  • Primeira publicação semanal do Reino-Unido, o 'The Celtic View'.
  • Maior margem de vitória na SPL. 8-1 contra o Dunfermline, fevereiro de 2006.
  • Recorde de maior custo de transferência entre 2 clubes escoceses: O Celtic comprou Scott Brown ao Hibernian em 16 de maio de 2007 por £4.4 milhões.[33] [34]
  • Primeiro estádio no Reino-Unido a receber uma corrida de motocicletas de alta-velocidade em 28 de abril de 1928

Recordes de público na Europa[editar | editar código-fonte]

Em 1937 o Celtic foi um dos protagonistas do maior público registrado entre clubes na Europa, ao disputar a final da Copa da Escócia contra o Aberdeen, quando estiveram reunidas 146.433 pessoas.[35]

Na semifinal da Copa dos Campeões da Europa de 1970 contra o clube inglês Leeds United, bateu o recorde em jogos oficiais da UEFA com o comparecimento de 133.961 torcedores.[36]

Notáveis jogadores[editar | editar código-fonte]

Ex-jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]

Hall da Fama do Futebol Escocês[editar | editar código-fonte]

Até agora, 21 jogadores e técnicos do Celtic entraram no Hall da Fama do Futebol Escocês:[37]

Hall da Fama do Esporte Escocês[editar | editar código-fonte]

No Hall da Fama do Esporte Escocês, 5 jogadores e técnicos do Celtic foram escolhidos, são:

Melhor Celtic de todos os tempos[editar | editar código-fonte]

Melhor Celtic de todos os tempos

O seguinte time foi votado como o melhor Celtic de todos os tempos por torcedores em 2002.[38]

Títulos[editar | editar código-fonte]

CONTINENTAIS
Competição Títulos Temporadas
Coppacampioni.png Liga dos Campeões da UEFA 1 1966-67
BRITÂNICOS
Competição Títulos Temporadas
Reino Unido Coronation Cup 1 1953
NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Escócia Campeonato Escocês 45 1892-93, 1893-94, 1895-96, 1897-98, 1904-05, 1905-06, 1906-07, 1907-08, 1908-09, 1909-10, 1913-14, 1914-15, 1915-16, 1916-17, 1918-19, 1921-22, 1925-26, 1935-36, 1937-38, 1953-54, 1965-66, 1966-67, 1967-68, 1968-69, 1969-70, 1970-71, 1971-72, 1972-73, 1973-74, 1976-77, 1978-79, 1980-81, 1981-82, 1985-86, 1987-88, 1997-98, 2000-01, 2001-02, 2003-04, 2005-06, 2006-07, 2007-08, 2011-2012, 2012-2013 e 2013-2014.
Escócia Copa da Escócia 36 1892, 1899, 1900, 1904, 1907, 1908, 1911, 1912, 1914, 1923, 1925, 1927, 1931, 1933, 1937, 1951, 1954, 1965, 1967, 1969, 1971, 1972, 1974, 1975, 1977, 1980, 1985, 1988, 1989, 1995, 2001, 2004, 2005, 2007, 2011 e 2013
Escócia Copa da Liga Escocesa 14 1957, 1958, 1966, 1967, 1968, 1969, 1970, 1975, 1983, 1998, 2000, 2001, 2006, 2009)

Títulos Secundários[editar | editar código-fonte]

  • Campeonato Escocês Sub-18 (2):
  • 2000, 2003
  • Campeonato Escocês Sub-19 (3):
  • 2004, 2005, 2006
  • Campeonato Escocês Sub-21 (3):
  • 2002, 2003, 2004
  • Campeonato Escocês de Reservas (4):
  • 2005, 2006, 2007, 2008
  • Copa Escocêsa Jovem (9):
  • 1984, 1987, 1989, 1996, 1997, 1999, 2003, 2005, 2006
  • 1953
  • Glasgow Cup (28):
  • 1891, 1892, 1895, 1896, 1905, 1906, 1907, 1908, 1910, 1916, 1917, 1920, 1921, 1927, 1928, 1929, 1931, 1939, 1941, 1949, 1956, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968, 1970, 1975*, 1982
    * O troféu de 1975 foi dividido com o Rangers após um empate em 2-2

Referências

  1. Ronny Deila é o novo treinador do Celtic O Jogo (6 de junho de 2014).
  2. Scottish Premier League. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  3. Top 30 English Football Clubs by League Attendances. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  4. a b BBC - A Sporting Nation - Celtic win European Cup 1967. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  5. a b SI.com - Soccer - Celtic immersed in history before UEFA Cup final - Tuesday May 20, 2003 07:20 PM. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  6. a b Celtic in Seville: Observer Sport Monthly index. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  7. a b Report: Celtic vs FC Porto - UEFA Cup - ESPN Soccernet. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  8. a b http://www.fifa.com/en/mens/awards/gala/0,2418,73590,00.html?articleid=73590
  9. Celtic will make credit cards for US fans. Página visitada em 2006-07-20.
  10. [1]
  11. Coronation Cup - Page History - Kerrydale Street. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  12. Scotsman.com Sport. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  13. Relentless attack captures European Cup. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  14. uefa.com - UEFA Champions League. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  15. Brief History. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  16. 1985-05-18: Celtic 2-1 Dundee United, Scottish Cup Final - Kerrydale Street. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  17. [2]
  18. Scottish Football Association: The Scottish FA: Football in Scotland. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  19. BBC News. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  20. BBC SPORT. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  21. BBC SPORT. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  22. Edinburgh Evening News. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  23. Colin Moffat, Kilmarnock 1-2 Celtic, BBC Sport, 22 April, 2007
  24. Forest win race to capture Lennon, BBC Sport, 12 de junho de 2007
  25. Título não preenchido, favor adicionar.
  26. Top Goalscorers - Kerrydale Street. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  27. McNeill, Billy. Hail Cesar. [S.l.]: Headline Book Publishing (4 Oct 2004). ISBN 978-0755313150
  28. US ChampionsWorld Series - goalzz.com. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  29. [3]
  30. WorldWeb. Glasgow, GLG Arenas & Stadiums WorldWeb.com. Página visitada em 2007-06-11.
  31. a b http://www.upyarkilt.com/celticfc.html
  32. Lone Star Celtic Supporters Club (n.d.). 1957 Celtic in Seventh Heaven. Página visitada em 2007-06-11.
  33. Scott Brown signs for Celtic. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  34. BBC SPORT. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  35. 1937
  36. 1970
  37. The Scottish Football Museum : Hall of Fame. Página visitada em 27 de outubro de 2009.
  38. BBC SPORT. Página visitada em 27 de outubro de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]