Cem Sonetos de Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Dança
Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
Ou flecha de cravos que propagam fogo:
Te amo como se amam certas coisas obscuras,
Secretamente, entre a sombra e a alma.

Te amo como a planta que não floresce e
Leva dentro de si, oculta, a luz daquelas flores.
E graças a teu amor, vive oculto em meu
Corpo o apertado aroma que ascende da terra.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde.
Te amo diretamente sem problemas nem orgulho;
Assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

Senão assim, deste modo, em que não sou nem és.
Tão perto de tua mão sobre meu peito é minha,
Tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.

Cem Sonetos de Amor é um livro de Pablo Neruda publicado em 1959 com cem sonetos relacionados ao romantismo, amor etc., divididos em quatro partes: Manhã, Meio-dia, Tarde e Noite, nas quais Neruda expressa todo o conteúdo da palavra amor.

O soneto "A Dança" foi divulgado no filme Patch Adams, no qual Patch o recita para Monica Potter.

Cinco outros sonetos ("Si no fuera porque tus ojos...", "Amor, amor, las nubes...","No estés lejos de mí...", "Ya eres mía", "Amor mío, si muero y tu no mueres") foram musicados por Peter Lieberson, que orquestrou as canções durante temporada que passou em Abadiânia. Há uma gravação ao vivo com James Levine e a Sinfônica de Boston.

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.