Centennial Bulb

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde julho de 2013).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Livermore Centennial Light Bulb.jpg

Centennial Bulb1 (em português:Lâmpada Centenária) é a lâmpada mais antiga do mundo ainda em funcionamento.

Criada por Adolphe Chaillet em 1901, ela está ligada constantemente desde então, e o maior tempo que já permaneceu desligada foi de apenas uma semana2 .

Seu recorde é homologado pelo The Guinness Book of World Records,3 e reconhecido pelo Ripley's Believe It or Not!, e pela General Electric.4

A lâmpada mais duradoura do mundo se difere das contemporâneas de duas maneiras. Seu filamento é cerca de oito vezes mais espesso do que o de uma lâmpada comum. Além disso, o filamento é feito de carbono, no lugar do tungstênio usado nas lâmpadas normais5 . Ela está localizada no Posto de Bombeiros 6, em Livermore, no norte da Califórnia.

Um fator importante que certamente influenciou a enorme longevidade, é que a lâmpada está visivelmente "sub-alimentada", ou seja, recebendo uma tensão de alimentação abaixo daquela ideal para atingir a máxima eficiência luminosa (produção de um máximo de luz, com o mínimo gasto de energia possível). Nestas condições, a vida útil de qualquer lâmpada é bastante aumentada, embora a sub-alimentação cause desperdício de energia (a lâmpada produz pouca luz, proporcional à energia elétrica que consome). Esta afirmação pode ser facilmente comprovada, observando a tabela impressa na embalagem de qualquer lâmpada moderna, onde a expectativa de vida da lâmpada é correlacionada com a tensão de alimentação: quanto menor esta última, maior será a primeira.

Adolphe A. Chaillet[editar | editar código-fonte]

Adolphe Alexandre Chaillet (Paris, 15 de Julho de 18676 - ?), o criador da lâmpada, foi um engenheiro francês.

Em 1892, ele mudou-se para os EUA. Em 1896, foi convidado pelo governo do Estado de Ohio para fundar uma fábrica de lâmpadas7 . Assim, foi criada a Shelby Electric Co. Ele foi o diretor da empresa até Agosto de 1902. Pouco se teve notícia sobre sua vida, a partir de então.

Em 1897, ele desenvolveu um filamento de carbono que fazia com que as lâmpadas brilhassem mais que os modelos convencionais8 . No dia 3 de Junho 1902, ele recebeu a patente de suas lâmpadas9 10 . Além dessa patente, ele foi o dono de mais uma outra patente11 .

O segredo da lâmpada centenária provavelmente foi para o túmulo juntamente com o seu criador12 .

A Centennial Bulb inspirou Benito Muros, presidente da SOP (Sem Obsolescência Programada), 13 a desenvolver uma lâmpada de longa durabilidade. Por causa de sua invenção, Muros vem recebendo ameaças.14

Referências

  1. huffingtonpost.com/ The Centennial Bulb, A 110-Year-Old Light Bulb, Still Shining (VIDEO)
  2. super.abril.com.br/ 8 coisas muito antigas que ainda funcionam
  3. Longest burning light bulb, Guiness World Records, http://www.guinnessworldrecords.com/Search/Details/Longest-burning-light-bulb/63240.htm .
  4. "The Little Bulb That Could… and Does", VIA, http://www.viamagazine.com/top_stories/articles/lightbulb02.asp, visitado em January 27, 2007 .
  5. hypescience.com/ Recorde: lâmpada está acesa há 110 anos
  6. rootsweb.ancestry.com/ Researching the Adolphe Alexander Chaillet Family - Part I
  7. bbc.co.uk/portuguese/ Lâmpada misteriosa está acesa há 110 anos nos EUA
  8. timelinesdb.com/
  9. rootsweb.ancestry.com/
  10. centennialbulb.org/ Proffessor Chaillet
  11. home.frognet.net/
  12. The Columbus Dispatch Bulb made in Ohio has glowed for a century plus 10
  13. OEP Electrics - Sin obsolescencia programada. Página visitada em 15-7-2013. (em espanhol)
  14. EL Economista - Benito Muros: "Me persiguen por crear una bombilla que no se funde". Página visitada em 15-7-2013. (em espanhol)

Links Externos[editar | editar código-fonte]