Centro Histórico de Curitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Centro Histórico de Curitiba, também chamado de Setor Histórico de Curitiba, é um conjunto de edificações de importância histórica e cultural da cidade brasileira de Curitiba, capital do estado do Paraná. Parte deste trajeto é conhecido informalmente como Largo da Ordem, local onde todos os domingos, desde 1973, ocorre a tradicional Feira do Largo da Ordem.

Nele encontram-se importantes construções, como a Igreja da Ordem, o Museu Paranaense, a Igreja do Rosário, a Catedral Metropolitana a Casa Romário Martins, a Igreja Presbiteriana, as Ruínas de São Francisco, a Sociedade Garibaldi, o Memorial da Cidade de Curitiba, o Museu de Arte Sacra, além do Relógio das Flores e a Fonte da Memória.

O local é tradicional ponto de encontro da população, pois, além da feira dominical, abriga vários bares, pubs e restaurantes, alguns com comida típica dos imigrantes que ajudaram a colonizar o município.

Vista parcial do Largo da Ordem, onde é possível ver a Igreja do Rosário, a Praça Garibaldi, o Solar do Rosário, a Fonte da Memória e a Igreja Presbiteriana Independente.

História[editar | editar código-fonte]

Fechada para o tráfego de veículos na primeira gestão do então prefeito Jaime Lerner, tal região passou a receber mais atenção e cuidados por parte das autoridades locais. Com significativo papel histórico, cultural e social, tem nas suas imediações construções dos séculos XVIII e XIX, que atualmente encontram-se restaurados e adaptados para utilização comercial.

Desde o século XVIII, o Largo foi palco de intenso e variado comércio, quando os colonos levavam de carroça produtos hortifrutigranjeiros, e compravam nas casas comerciais. Os tropeiros e fazendeiros da região costumavam dar de beber a seus cavalos e mulas no bebedouro, ainda hoje existente, no centro do Largo da Ordem, em frente à Igreja da Ordem e a Casa Romário Martins. Datado de meados do século XVIII, é construído em pedra, com uma bacia metálica.

Sua arquitetura conta com influência portuguesa e alemã, esta com características mais urbanas.[1]

Lendas[editar | editar código-fonte]

Cercado de lendas urbanas, algumas envolvendo as Ruínas de São Francisco. A mais conhecida trata da existência de uma série de túneis, que ligariam tal igreja inacabada às outras igrejas do Largo, bem como à catedral da cidade, ao Colégio Estadual do Paraná e aos clubes Concórdia e Garibaldi. Embora comprovada a existência de passagens secretas escondidas no subterrâneo da cidade, jamais se descobriu quais pontos elas exatamente ligam, tampouco a data da construção, ou ao menos sua finalidade.[2]

Largo da Ordem[editar | editar código-fonte]

Conhecido popularmente como Largo da Ordem, e considerado o coração do Centro Histórico de Curitiba, foi batizado no século 18 como Páteo de Nossa Senhora do Terço. Posteriormente passou a se chamar Páteo de São Francisco das Chagas e, a partir de 1917, recebe como nome oficial Largo Coronel Enéas, em homenagem ao coronel Benedicto Enéas de Paula.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]