Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

O Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco é o centro responsável diversos cursos nas áreas de arquitetura, planejamento urbano, comunicação social, letras, entre outros.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1975, surgiu da junção da Escola de Belas Artes, da Faculdade de Arquitetura, do Instituto de Letras e do Curso de Biblioteconomia e ocupa uma área de 15.500 metros quadrados [2] , distribuídos entre salas de aula, Biblioteca Joaquim Cardozo, auditório, teatro, núcleos de pesquisas, laboratórios, hemeroteca e oficinas. O Centro é o pólo de efervescência cultural da Universidade mas também mostra-se atento às questões sociais, através da Comissão de Direitos Humanos Dom Hélder Câmara, uma equipe formada por professores de diferentes áreas que realizam estudos, discussões e projetos de extensão em defesa da cidadania. O CAC mantém ações de extensão com a comunidade carente e oferece cursos para a população. A procura pelos serviços é grande, principalmente no Núcleo de Línguas e Culturas. Atualmente situa-se em um prédio baixo, ao lado do Centro da Filosofia e Ciências Humanas da UFPE.[1]

Departamentos[editar | editar código-fonte]

Arquitetura e urbanismo[editar | editar código-fonte]

Originário da Escola de Belas Artes do Recife, onde hoje é ministrado o curso de graduação em Arquitetura com aproximadamente 60 professores e 700 alunos. Nesse mesmo departamento funciona o Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano (MDU) com tem 30 anos de funcionamento, é o único na região Norte/Nordeste na área de Planejamento Urbano, oferecendo cursos regulares de pós-graduação stricto sensu, cobrindo os níveis de Mestrado e Doutorado.

Os laboratórios desse departamento são:

  • Lacam (Laboratorio de Conforto Ambiental)
  • Laboratório da paisagem
  • Liau (Laboratorio de Imagem de Arquitetura e Urbanismo)

Ciência da informação[editar | editar código-fonte]

Originário do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Pernambuco que teve seus primórdios em 1948, quando José Césio Regueira Costa, à frente da Diretoria de Documentação e Cultura (DDC) da Prefeitura do Recife, lançou planos, inovadores para a época, de bibliotecas populares municipais e outros recursos de divulgação da cultura. Em 13 de janeiro de 1950, o Conselho Universitário resolveu estabelecer o Curso de Biblioteconomia junto à Biblioteca da Faculdade de Direito do Recife, que veio a ser reconhecido pelo Decreto n°. 59.114 de 23 de agosto de 1966. Em 1968, o Curso passou a integrar o Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, como um dos seus departamentos.
Em 1975, com a criação do Centro de Artes e Comunicação, passou o Departamento de Biblioteconomia a integrar nesse novo Centro, tendo em 1998 passado a chamar-se Departamento de Ciência da Informação.

A partir de 2008 vincula-se também ao Centro e ao Departamento de Ciência da Informação, o curso de Gestão da Informação, através de uma proposta inovadora de interação da informação com os meios atuais (veículos e suportes digitais) de produção, disseminação e uso da informação nos mais variados ambientes. A ideia é integrar-se ao curso de Biblioteconomia, reforçando e dando importância a informação como veículo essencial para o desenvolvimento humano e social.

Ambos os Cursos estão vinculados ao Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação.

Expressão gráfica (desenho)[editar | editar código-fonte]

Originário do Curso de Professorado de Desenho, posteriormente denominado Licenciatura em Desenho e Plástica, nascido com a Escola de Belas Artes, e um dos primeiros cursos superiores reconhecidos naquela instituição.
Seu corpo docente, salvo naquelas disciplinas que exigiam formação mais técnica, fornecida por engenheiros e arquitetos, ou naquelas de conteúdo pedagógico ou filosófico, atendidas por profissionais saídos das faculdades de Filosofia, contava com a participação dos artistas plásticos de maior renome local, com reconhecimento universal de suas obras. Eram nomes de porte, como Murillo La Greca, Vicente do Rego Monteiro, Pierre Chalita, Reynaldo Fonseca, Arraldo Baldini e Isidro Queralt Prat. Entre 1977 e 1983 o curso de Licenciatura em Desenho e Plástica esteve desativado, em virtude da sua absorção na estrutura curricular do curso de Licenciatura em Educação Artística. Essa modalidade de graduação, calcada numa formação polivalente, com a clara intenção de integrar no ensino básico todas as areas da formação artística, foi implantada em todo o Brasil e, rapidamente, se mostrou alvo de críticas. Esse formato de Licenciatura Curta (polivalente) e Licenciatura Plena em várias habilitações(Artes Plásticas, Artes Cênicas, Música...), foi sendo abandonado, por quase todas as instituições de ensino superior do país, ao longo de mais de uma década, em virtude de sua ineficácia na formação de licenciandos realmente capacitados para um desempenho polivalentes. Na UFPE, observou-se um progressivo desmembramento do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística em outros Departamentos, como são o caso do Departamento de Música, do Departamento de Expressão Gráfica e o Departamento de Design. Isso ocorreu exatamente pela insatisfação gerada com o projeto pedagógico polivalente e pela premente necessidade de formação específica nas diferentes áreas da expressão artística. Defendendo os interesses pertinentes às áreas de atuação anteriormente elencadas, o Departamento de Música do CAC consegue o reconhecimento do curso independente de Licenciatura em Música no início da década de 80, o que leva o Departamento de Desenho a também pedir a reativação da Licenciatura em Desenho e Plástica. Assim, a Licenciatura em Educação Artística prosseguiu com apenas duas áreas de formação plena: a de Artes Cênicas e a de Artes Plásticas. Mas ressalte-se que, para fazer uma carreira acadêmica, toda uma geração dos professores da área de plástica teve sua formação também garantida pelo curso de Licenciatura em Desenho. Quando da sua reativação, em 1983, foi necessário manter no perfil todas as disciplinas da área de expressão artística, por exigência do currículo mínimo do MEC. No sentido de afinar-se com as demandas atuais na formação dos profissionais que atuam na área de expressão gráfica, um novo projeto pedagógico para o Curso de Licenciatura em Plástica está em fase de implantação na UFPE.

Design[editar | editar código-fonte]

O Departamento de Design (dDesign) da Universidade Federal de Pernambuco foi criado em 1997. A área de design da UFPE, no entanto, foi instituída desde 1972, com a criação do curso de Desenho Industrial e suas habilitações em programação visual e projeto do produto. Hoje o dDesign oferta um curso de graduação plena em Design (bacharelado), o Mestrado Acadêmico em Design e Especialização em Ergonomia, Design da Informação, Design de Moda e Game Design. O grupo de docentes está envolvido em atividades de pesquisa e extensão nas áreas de design gráfico, informacional, e de produto com foco em aspectos culturais; ergonômicos; de acessibilidade e usabilidade; meio ambientais; da biônica; de gestão e educação em design.

Letras[editar | editar código-fonte]

Surgiu a partir do Curso de Letras - criado pela Lei Federal nº 1.254, de 4 de dezembro de 1950 - da Faculdade de Filosofia de Pernambuco, instituição estadual de ensino superior e uma das células embrionárias da Universidade do Recife em 1946.
Em 1965, a Universidade do Recife passou a integrar o novo sistema de educação do país com o nome de Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), tendo ocorrido o desmembramento da antiga faculdade em Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Instituto de Educação e o Instituto de Letras.
Em 1975, com a criação do Centro de Artes e Comunicação, houve a fusão dos antigos departamentos do Instituto de Letras sob a denominação de Departamento de Letras.

Graduação
O Curso de Letras da UFPE oferece Licenciaturas em Língua Portuguesa, Línguas Portuguesa e Espanhola, Línguas Portuguesa e Francesa e Línguas Portuguesa e Inglesa, e Bacharelados em Língua Portuguesa (Pesquisador), Língua Portuguesa (Crítico Literário), Língua Francesa (Tradutor), Língua Inglesa (Tradutor).

Pós-graduação
O Programa de Pós-graduação em Letras da UFPE deu início aos seus Cursos de Mestrado em 1976 e ao Curso de Doutorado em 1990. Acha-se credenciado desde 1980 e mantém duas áreas de concentração: Linguística e Teoria da Literatura.

Música[editar | editar código-fonte]

Foi integrada com a Universidade do Recife que a Escola de Belas-Artes deu inicio ao curso de Música em 1958. Hoje o curso se encontra no Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco e oferece diversos cursos de graduação e pós-graduação. Além de oferecer cursos de extensão, pesquisas e também abriga os grupos de etnomusicologia e computação sônica e diversos outros grupos musicais residentes.

Graduação A graduação oferece o bacharelado em instrumento, canto e licenciatura em música.

O curso de Bacharelado em Instrumento foi criado na então Universidade do Recife, atual Universidade Federal de Pernambuco, em 1957, com início de funcionamento em 1960. E o Curso de Licenciatura em Música foi criado em 1972, teve autorização de funcionamento em 05 de julho de 1978, e foi reconhecido em de 24 de agosto de 1978, publicado no Diário Oficial da União, em 25 de agosto de 1978.

Pós-graduação O núcleo de música oferece especialização em pedagogia do instrumento.

Teoria da arte e expressão artística[editar | editar código-fonte]

Gerências[editar | editar código-fonte]

Coordenadorias[editar | editar código-fonte]

  • Graduação
  • Pós-graduação
    • Programa de Pós-graduação em Artes Visuais
    • Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação
    • Programa de Pós-graduação em Comunicação
    • Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano e Regional
    • Programa de Pós-graduação em Design
    • Programa de Pós-graduação em Direitos Humanos
    • Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (Mestrado e Doutorado)

Cursos[editar | editar código-fonte]

Graduação Pós-graduação
Arquitetura Desenvolvimento Urbano
Educação Artística
- Artes Cênicas
- Artes Plásticas
Biblioteconomia

Gestão da Informação

Ciência da Informação
Comunicação Social
- Jornalismo -
Publicidade e Propaganda -
Radialismo (Rádio e TV) -
Cinema
Design Design
Letras
- Licenciatura
Língua Portuguesa
Língua Portuguesa e Língua Estrangeira
(Espanhola, Francesa ou Inglesa)
- Bacharelado
Língua Portuguesa - Pesquisador ou Crítico Literário
Língua Estrangeira (Francesa ou Inglesa) - Tradutor
Letras
- Linguística
- Teoria da Literatura
Música
- Canto
- Instrumento
- Licenciatura
Turismo

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Universidade Federal de Pernambuco - UFPE editar
Unidades de Ensino, Pesquisa e Extensão
CAC | CCB | CCEN | CCJ | CCSA | CCS | CE | CFCH | CIn | CTG
Órgãos Suplementares
Biblioteca Central | Editora Universitária | Hospital das Clínicas | Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami - LIKA | Núcleo de Educação Física e Desportos | Núcleo de TV e Rádio Universitárias | Núcleo de Tecnologia da Informação | Prefeitura da Cidade Universitária
Ícone de esboço Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.