Cerco de Barcelona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Barcino magna parens.jpg

O cerco de Barcelona foi uma das últimas operações militares na Guerra da Sucessão Espanhola, entre o 25 de julho de 1713 e o 11 de setembro de 1714, que enfrentou aos defensores de Barcelona e aos soldados borbónicos, muito superiores em número. Os catalães vão decidir resistir até a morte.

A resistência oferecida em Barcelona e outros territórios da Coroa de Aragão aproveitou-a Filipe V para destruir os muros das cidades que resistiram o passo borbónico, e para estabelecer uma repressão que culminou com a queima de cidades, como Xátiva, a derrogação de leis, o aprisionamento e morte de muitos cidadãos, estabelecendo definitivamente um estado baixo as leis de Castela[1] . Em 1716, com os Decretos de Nova Planta criou-se o estado espanhol com capital em Madrid.

A execução da defesa da Batalha de Barcelona utiliza-se como símbolo da resistência do povo de Catalunha em defesa do país, e o referente mereceu a consideração de ser recordado como Dia Nacional da Catalunha.

Referências

  1. Josep M. Figueres, História contemporânea da Catalunha, pag.46
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cerco de Barcelona