Cerco de Lovech

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cerco de Lovech
Guerras bizantino-búlgaras
Lovech Fortress Plan.png
Fortaleza de Lovech
Data Primavera de 1187
Local Lovech
Desfecho Vitória búlgara
Combatentes
Segundo Império Búlgaro Segundo Império Búlgaro Império Bizantino Império Bizantino
Comandantes
Segundo Império Búlgaro Desconhecido Império Bizantino Isaac II Ângelo
Forças
Desconhecida Desconhecida
Baixas
Desconhecidas Desconhecidas
Lovech está localizado em: Bulgária
Lovech
Localização de Lovech no que é hoje a Bulgária

O Cerco de Lovech (em búlgaro: Обсада на Ловеч) aconteceu durante a primavera de 1187 quando as forças do Império Bizantino cercaram a cidade de Lovech, controlada pelo Império Búlgaro.

Contexto[editar | editar código-fonte]

Em 1185, os irmãos Asen e Pedro lideraram uma revolta contra os bizantinos para restaurar o Império Búlgaro. Toda a região da Mésia Inferior com exceção de Varna foi rapidamente libertada e os irmãos passaram a atacar as guarnições bizantinas ao sul da cordilheira dos Balcãs. As táticas búlgaras incluíam marchas aceleradas e ataques de surpresa, dificultando muito a reação bizantina.

Para mudar a situação, o imperador Isaac II Ângelo resolveu marchar contra a região norte da Bulgária para atingir diretamente o coração do território rebelde, as proximidades de Tarnovo.

O cerco[editar | editar código-fonte]

No final do outono de 1186, o exército bizantino marchou para o norte na direção de Sredets (Sófia). A campanha foi planejada para surpreender os búlgaros. Porém, duras condições climáticas e o início adiantado do inverno atrasaram os bizantinos, cujo exército acabou invernando em Sredets.

Na primavara do ano seguinte, a campanha foi retomada, mas já sem o elemento surpresa. Os búlgaros aproveitaram o atraso para reforçar as defesas no caminho de Tarnovo, inclusive a fortaleza de Lovech. O cerco durou três meses e foi um desastre completo para Isaac. O único sucesso foi a captura da esposa de João Asen, mas o feito não foi suficiente para dobrar os búlgaros e o imperador acabou forçado a aceitar uma trégua, reconhecendo assim a restauração do Império Búlgaro.

Consequências[editar | editar código-fonte]

De acordo com o tratado, o mais jovem dos irmãos Asen, Kaloyan, foi enviado como refém para Constantinopla para garantir a paz. Porém, Nicetas Coniates relata que a situação se tornou ainda pior para os bizantinos: logo depois do cerco, os búlgaros na região da Macedônia também se revoltaram sob o comando do general Dobromir Chrysos.

A paz durou até 1189, quando, por causa da proposta búlgara de ajudar a Terceira Cruzada contra os bizantinos, Isaac lançou uma campanha punitiva. O imperador foi derrotado e por pouco não perdeu a vida na Batalha de Tryavna, que confirmou a superioridade militar búlgara na época.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Йордан Андреев, Милчо Лалков, Българските ханове и царе, Велико Търново, 1996.