Cerco de Osaka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2014)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Cerco de Osaka
Caron1663.jpg
Data 8 de novembro de 161422 de janeiro de 1615 e maio a junho de 1615
Local Castelo de Osaka, Osaka, Japão e áreas ao redor
Desfecho Vitória do Shogunato e destruição do Clã Toyotomi
Casus belli Toyotomi Hideyori prepara uma revolta contra o novo Shogunato Tokugawa.
Perdas territoriais Castelo de Osaka e áreas ao redor.
Combatentes
Shogunato Tokugawa Clã Toyotomi
Comandantes
Tokugawa Ieyasu, Tokugawa Hidetada, Naoe Kanetsugu, Date Masamune Toyotomi Hideyori, Sanada Yukimura, Öno Yasunaga
Forças
164.000 (inverno)
140.000 (verão)
150.000 (inverno)
90.000 (verão)
Baixas
Tokugawa Ieyasu (Ferido), Tokugawa Hidetada (Ferido), Naoe Kanetsugu, Hattori Hanzö, aprox. 70.000 tropas. Toyotomi Hideyori, Sanada Yukimura, Öno Yasunaga, Miyamoto Musashi (Ferido), Shigenari Kimura, quase o exército inteiro.

O Cerco de Osaka (大坂の役, Ōsaka no Eki?, ou na forma mais comum, 大坂の陣 Ōsaka no Jin) foi uma série de batalhas feitas pelo Shogunato Tokugawa contra o Clã Toyotomi, que terminou com a destruição deste.

Início[editar | editar código-fonte]

Quando Toyotomi Hideyoshi morreu em 1598, o Japão passou a ser regido pelo Conselho dos Cinco Regentes ( 五大老 , Go-Tairō?), entre os quais Tokugawa Ieyasu possuía a maior autoridade. Após derrotar Ishida Mitsunari na batalha de Sekigahara, Ieyasu praticamente tomou controle do Japão, para si, suprimindo o Conselho. Em 1603, o shogunato Tokugawa foi criado, com sua capital em Edo. Ieyasu procurou estabelecer um regime estável e poderoso sob a controle de seu próprio clã, apenas os Toyotomi, liderados pelo filho de Hideyoshi Toyotomi Hideyori estabelecidos em Osaka, permaneceu como um obstáculo a essa meta.

Campanha de Inverno[editar | editar código-fonte]

Em 1614, o clã Toyotomi reconstrói o Castelo de Osaka. Ao mesmo tempo, o chefe do clã patrocinou a reconstrução do Hōkō-ji, em Quioto. Estas incluíam reformas no templo e a colocação de um grande sino de bronze, com uma inscrição que dizia " O maior reino pacífico e próspero; do Oriente cumprimenta a lua pálida, e do Ocidente despede-se do sol.". O shogunato, que tinha o seu poder nas províncias orientais, interpretou isto como um insulto, e as tensões começaram a crescer entre os Tokugawa e os Toyotomi. A tensão aumentou quando Toyotomi Hideyori começou a reunir uma força de ronins anti-shogunato em Osaka. Em novembro do mesmo ano, Ieyasu, apesar de ter passado o título de Shogun para seu filho em 1605, manteve uma influência significativa, e estava decidido a não deixar que qualquer força maior crescesse, levando 164.000 homens a Osaka (a contagem não inclui a tropas de Shimazu Tadatsune, um aliado dos Toyotomi).

O cerco foi iniciada em 19 de novembro, quando Ieyasu levou três mil homens para o Rio Kizu, destruindo um forte que ficava na região. Uma semana depois, atacou a aldeia de Imafuku, com 1.500 homens, contra uma força de defesa de 600 homens. Com a ajuda de um esquadrão portando Arcabuzes Tanegashima, as forças do shogunato conseguiram outra vitória. Várias outras pequenas fortalezas e aldeias foram atacadas antes do Cerco do Castelo de Osaka que se iniciou em 4 de dezembro.

No Cerco de Sanada-maru (uma fortificação barbacã defendida pelo vassalo de Toyotomi Sanada Yukimura com a ajuda de 7000 homens), o exército do Shogun foi repetidamente massacrado, e Sanada e seus homens lançaram uma série de ataques contra as linhas de cerco, quebrando-as por três vezes. Ieyasu então recorreu à artilharia (ikncluindo 17 canhões importados europeus de ferro forjado) Assim como sapadores cavando sob as paredes. Mesmo assim os canhões foram destruídos por Sanada e o Shongunato foi derrotado na Campanha de Inverno.

A Campanha de Verão[editar | editar código-fonte]

Em Abril de 1615, Ieyasu recebeu palavra que Toyotomi Hideyori foi reunir mais tropas do que no anterior mês de Novembro, e que desta vez, ele estava disposto a acabr com Ieyasu de uma vez por todas. As tropas de Toyotomi (frequentemente chamado o Exército Ocidental) começaram a atacar o contingente das forças do Shogunato (Exército do Leste), perto de Osaka. Comandadas por Ban Danemon, eles invadiram o Castelo Wakayama, uma fortaleza costeira pertencente a Asano Nagaakira, um aliado do Shogun, em 29 de abril. Os homens de Asano, diante do castelo, atacaram os invasores,mas foram derrotados pelas forças de Toyotomi. No início de junho, o Exército do Leste havia chegado, antes que Hideyori conseguisse obter qualquer terreno para usar contra eles. Na batalha de Dōmyōji, em 2 de junho, 2600 dos seus homens encontraram 23 mil soldados do Exército Oriental. O comandante de Hideyori na batalha, goto Matabei, tentou recuar para o nevoeiro, mas a batalha foi perdida, e ele foi morto. Após isto, o general Sanada Yukimura, de Toyotomi, interceptou essas forças de Tokugawa em Honta-Ryo. Sanada tentou forçar uma batalha com Date Masamune, mas o vássalo de Date, Katakura Shigenaga retirou ja que suas tropas estavam esgotadas as forças de Sanada haviam vencido mais uma vez, e Toyotomi estava com o moral maior que o Shogunato.

A mesma noite, Tōdō Takatora e Chōsokabe Morichika bateram em Yao. Outra batalha teve lugar na Wakae em torno do mesmo tempo, entre Shigenari Kimura e Ii Naotaka. As forças de Chōsokabe alcançaram a vitória, mas Shigenari Kimura foi derrotado pela ala esquerda do exército de Ii Naotaka. As principais forças de Tokugawa mudaram-se para ajudar Shigenari Tōdō Takatora depois da vitória, Chosokabe retornou para Osaka.

Depois de outra série de vitórias de Toyotomi na periferia de Osaka, a Campanha de Verão chegou a uma cabeça na batalha de Tennoji. Hideyori planejou uma operação "martelo e bigorna", em que 55 mil homens atacariam o centro do Exército Oriental, enquanto uma segunda força de 16.500 homens da retaguarda. Outro contingente esperou na reserva. O exército de Ieyasu foi liderado por seu filho,Tokugawa Hidetada, em torno de 155 mil soldados. Eles se mudaram em quatro linhas paralelas, preparado para fazer manobras acompanhamento da sua própria. Erros de ambos os lados quase arruinaram a batalha, como Hideyori as forças ronin cindido do grupo principal, e Hidetada da reserva vigor subiram sem encomendas a partir da principal força. No fim, o exército de Tokugawa foi massacrado por Toyotomi e mais uma vitória para Toyotomi foi dada e Hidetada foi morto. Toyotomi estava prestes a ganhar a batalha e destruir o Shogunato, mas apareceu Naoe Kanetsugu que havia se rendido a Tokugawa, ele e Yukimura travaram uma luta entre tropas na base de Sanada. Enquanto isso, Tokugawa começou a ganhar moral por causa da aparição de Kanetsugu e destruiu as fronteiras de Toyotomi.Yukimura derrotou Kanetsugu e avançou com suas tropas em direção a Tokugawa,mas eles conseguiram revidar e a batalha ficou no empate, sobrando apenas um guerreiro vivo em Toyotomi. esse guerreiro era Sanada Yukimura, como ele foi gravemente ferido por Naoe Kanetsugu, Yukimura estava exausto, golpeou Ieyasu fazendo um grave ferimento nele também, mas ele morreu de exaustão, e Hideyori desistiu da batalha e se entregou.

Notas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bryant, Anthony. Sekigahara 1600: The final struggle for power (em inglês). [S.l.]: Osprey Publishing, 1995. ISBN 1855323958
  • Davis, Paul K.. Besieged: 100 Great Sieges from Jericho to Sarajevo (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press, 2001. ISBN 0195219309
  • Deal, William. Handbook to life in medieval and early modern Japan (em inglês). [S.l.: s.n.], 2007. ISBN 0195331265
  • Dougill, Jhon. Kyoto: a cultural history (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press, 2006. ISBN 0195301374
  • Frédéric, Louis. Japan encyclopedia (em inglês). [S.l.]: Harvard University Press, 2005. ISBN 0674017536
  • Gaskin, Carol. Breve historia de los samuráis (em espanhol). [S.l.]: Nowtilus S.L, 2005. ISBN 8497631404
  • González, Jesús. Filosofía de las artes japonesas. Artes de guerra y caminos de paz (em espanhol). [S.l.]: Verbum Editorial, 2008. ISBN 8479623853
  • McClain, James. Osaka: the merchants' capital of early modern Japan (em inglês). [S.l.]: Cornell University Press, 1999. ISBN 0801436303
  • Mitchelhill, Jennifer. Castles of the samurai: power and beauty (em inglês). [S.l.]: Kodansha International, 2003. ISBN 4770029543
  • Murdoch, James. A History of Japan: 1652-1868 (em inglês). [S.l.]: Routledge, 1996. ISBN 0415154170
  • Nolan, Cathal. The age of wars of religion, 1000-1650: an encyclopedia of global warfare and civilization (em inglês). [S.l.]: Greenwood Publishing Group, 2006. ISBN 0313337349
  • Perkins, Dorothy. The Samurai of Japan: A Chronology from Their Origin in the Heian Era (794-1185) to the Modern Era (em inglês). [S.l.]: Diane Publishing, 1998. ISBN 0788145258
  • Reiber, Beth. Frommer's Japan (em inglês). [S.l.]: Frommer's, 2008. ISBN 0470181001
  • Spackman, Chris. An Encyclopedia of Japanese History (em inglês). [S.l.]: BiblioBazaar, LLC, 2009. ISBN 0559116047
  • Turnbull, Stephen. Samurai Warfare (em inglês). [S.l.]: Sterling Publishing Co. ISBN 1854092804
  • Turnbull, Stephen. The Samurai Sourcebook (em inglês). [S.l.]: Cassell & Co, 1998. ISBN 1854095234
  • Turnbull, Stephen. Samurai Commanders (2) 1577 - 1638 (em inglês). [S.l.]: Osprey Publishing, 2005. ISBN 1841767441
  • Turnbull, Stephen. Samuráis, La Historia de los Grandes Guerreros de Japón (em espahnol). [S.l.]: Libsa, 2006a. ISBN 84-662-1229-9
  • Turnbull, Stephen. Osaka 1615, the last battle of the samurai (em inglês). [S.l.]: Osprey Publishing, 2006b. ISBN 1841769606
  • Weston, Mark. Giants of Japan: The Lives of Japan's Most Influential Men and Women (em inglês). [S.l.]: Kodansha America, 2002. ISBN 1568363249
  • Young, David. The art of Japanese architecture (em inglês). [S.l.]: Tuttle Publishing, 2007. ISBN 0804838380


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cerco de Osaka