Cervus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaCervus
Cervus elaphus

Cervus elaphus
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Cervidae
Subfamília: Cervinae
Género: Cervus
Linnaeus, 1758
Espécies
Ver texto

Cervus é um gênero de cervídeos originalmente nativo da Eurásia, embora uma espécie ocorre no norte da África e outro na América do Norte. Além das espécies presentemente incluídas no gênero, já foram incluídas outras espécies atualmente classificadas em outros gêneros, mas algumas dessas espécies podem retornar ao gênero Cervus. A taxonomia das espécies do gênero ainda não está definida.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Gênero[editar | editar código-fonte]

Até a década de 1970, Cervus incluía membros do gênero Axis, Dama, Elaphurus and Hyelaphus, e até a década de 1980, incluía os gêneros Przewalskium, Rucervus e Rusa.[1] Com exceção de Axis axis, Rucervus duvaucelii, R. schomburgki, e os membros do gênero Dama, evidências genéticas sugerem que as outras espécies devam ser incluídas em Cervus.[2] [3]

Espécies[editar | editar código-fonte]

Na terceira edição do Mammal Species of the World de 2005, somente C. elaphus e C. nippon foram reconhecidos como espécies do gênero Cervus.[1] Evidências genéticas e morfológicas sugerem que mais espécies deveriam ser reconhecidas.[2] [3] [4]

Grupo Cervus elaphus[editar | editar código-fonte]

Neste complexe específico, alguns autores recomendam que o uapiti (C. canadensis) e Cervus wallichii sejam tratados como espécies separadas.[2] [4] [5] Se tal táxon for considerado uma espécie separada, ela também incluiria Cervus elaphus yarkandenis e Cervus elaphus bactrianus e possivelmente Cervus canadensis hanglu.[2] [4]

Outros membros desse complexo que podem ser considerados espécies diferentes são C. corsicanus, C. wallichii e C. xanthopygus.[2] [3] Sendo assim, C. corsicanus incluiria a subespécie C. c. barbarus (talvez sinônimo de corsicanus), e é restrita ao Magrebe no Norte da África, Córsega e Sardenha.[2] [4] C. wallichii provavelmente incluria a subespécie C. w. kansuensis e C. w. macneilli (ambos possivelmente sinônimos de C. w. wallichii), e seria encontrado do Tibet ao centro da China.[2] [4] [6] C. xanthopygus provavelmente incluiria a subespécie C. x. alashanicus (talvez sinônimo de C. x. xanthopygus), e seria encontrado doExtremo Oriente Russo até o nordeste da China.[2] [4] [6] Sendo assim, C. elaphus seria restrito à Europa, Anatólia, Cáucaso e noroeste do Irã, e o uapiti (C. canadensis) à América do Norte e nas regiões asiáticas de Tian Shan, Montanhas Altai e Grande Khingan.[2] Alternativamente, o complexo barbarus são subespécies de C. elaphus, enquanto que C. wallichii e C. xanthopygus são subespécies de C. canadensis.[4]

Grupo Cervus nippon[editar | editar código-fonte]

Cervus nippon seria separado em quatro espécies baseando-se na genética, morfologia e vocalização,[3] embora isso possa ser considerado equivocado.[7] Se dividido, as potenciais espécies seriam C. yesoensis do norte e Japão central(Hokkaido, Honshu), C. nippon do sul do Japão (sul de Honshu, Shikoku, Kyushu, Okinawa, Tsushima e outras pequenas ilhas), C. hortulorum do continente asiático (Extremo Oriente Russo, Coréia, leste e centro da China, e norte do Vietnã), e C. taiouanus de Taiwan.[3]

Referências

  1. a b Grubb, P.. Order Artiodactyla. In: Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.). Mammal Species of the World. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. 637–722 p. ISBN 978-0-8018-8221-0 OCLC 62265494
  2. a b c d e f g h i Pitraa, Fickela, Meijaard, Groves (2004). Evolution and phylogeny of old world deer. Molecular Phylogenetics and Evolution 33: 880–895.
  3. a b c d e Groves (2006). The genus Cervus in eastern Eurasia. European Journal of Wildlife Research 52: 14–22.
  4. a b c d e f g Ludt, Schroeder, Rottmann and Kuehn (2004). Mitochondrial DNA phylogeography of red deer (Cervus elaphus). Molecular Phylogenetics and Evolution 31: 1064–1083.
  5. Randi, Mucci, Claro-Hergueta, Bonnet and Douzery (2001). A mitochondrial DNA control region phylogeny of the Cervinae: speciation in Cervus and implications for conservation. Anim. Conserv. 4: 1–11.
  6. a b Smith and Xie, editors (2008). Mammals of China. ISBN 978-0-691-09984-2
  7. Lista Vermelha da IUCN (em inglês) — {{{título}}} Acedido em {{{data}}}.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Cervus