Cessna 208

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Novembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Cessna 208B Grand Caravan
Grand Caravan - Aeronave extremamente econômica, um dos monomotores turboélice mais vendidos do mundo
Descrição
Fabricante Cessna Aircraft Company
Missão Utilitário, executivo e transporte regional de passageiros
Tripulação 1 piloto e 1 co-piloto
Dimensões
Comprimento Aprox. 12,6 m
Envergadura Aprox. 15,8 m
Altura Aprox. 4,3 m
Propulsão
Motores Pratt & Whitney Canada PT6A
Performance
Velocidade máxima Aprox. 320 km/h

O Cessna Caravan é uma econômica e robusta aeronave monomotor turboélice de asa alta e construção convencional metálica, usada com muita frequência em mais de 60 países para transporte executivo de passageiros, transporte de cargas aéreas para empresas de táxi-aéreo e outras pessoas jurídicas, para uso militar no transporte para regiões de difícil acesso, e para transporte regional de passageiros por companhias aéreas regionais, com capacidade para transportar até sete passageiros em viagens interestaduais e intermunicipais, projetada, desenvolvida e fabricada nos Estados Unidos desde a década de 1980 pela Cessna Aircraft Company, um dos maiores fabricantes de aeronaves executivas do mundo.[1] [2]

O Cessna Caravan (conhecido também como Cessna 208A) é um projeto totalmente original da Cessna, que desde o início deu prioridade aos aspectos de simplicidade e robustez no projeto da aeronave, com ênfase a itens como flaps elétricos e trem de pouso fixo, com o objetivo de reduzir o máximo possível os custos de manutenção da aeronave, sem prejudicar a segurança de vôo. A opção pelo confiável motor canadense Pratt & Whitney PT6A também foi estratégica, é o motor turboélice mais vendido do mundo, com serviços de manutenção disponíveis em um grande número de localidades em muitos países do mundo.[3]

Mercado[editar | editar código-fonte]

Os principais mercados para a aeronave são o de transporte executivo, transporte de passageiros por companhias aéreas regionais e de taxi aéreo, transporte de carga aérea e transporte militar, porém a versatilidade da aeronave também permite o uso em outras situações, como lançamento de paraquedistas civis e o uso por agropecuaristas, por exemplo.

Alguns dos principais concorrentes do Cessna Caravan são o Pilatus PC-12, o Piper Malibu Meridian e o Socata TBM da Socata, embora a velocidade de cruzeiro do Caravan seja inferior às velocidades de cruzeiro do Pilatus PC-12 e Socata TBM.

O Cessna Caravan é utilizado principalmente como utilitário, para o transporte de pessoas e de pequenas cargas. A versão especializada em transporte exclusivo de carga aérea é conhecida como Cargomaster. Essa versão não tem janelas, tem piso reforçado e portas traseiras mais largas que as demais versões.

Atendendo a pedidos de clientes, ainda na década de 1980 o fabricante norte-americano Cessna passou a disponibilizar a versão alongada da mesma linha de aviões, chamada Cessna 208B Grand Caravan, um derivado com espaço interno aumentado e melhorado para transportar até nove passageiros em viagens interestaduais e intermunicipais.

O Cessna 208B Grand Caravan, com fuselagem alongada, e o seu irmão menor Cessna 208A Caravan, podem ser equipados com bagageiro externo fixado na parte de baixo da fuselagem da aeronave, solução adotada também em outros modelos de aeronaves com motorização turboélice de outros fabricantes, como, por exemplo, os bimotores Jetstream 31 e Jetstream Super 31 da British Aerospace.

O resultado final foi satisfatório para os clientes na década de 1980, com reflexos imediatos no volume de vendas, com mais de 1.400 unidades de Caravan e Grand Caravan vendidas até hoje, um grande sucesso de vendas que é a prova definitiva de uma nova tendência no mercado mundial de aeronaves, muito favorável aos monomotores turboélice.

Cessna 208A Caravan - A versão menor do Caravan, utilizada também em paraquedismo

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Na década de 1980, percebendo claramente a existência de uma lacuna nesse nicho de mercado, a Cessna iniciou o desenvolvimento do Cessna Caravan, que logo despertou a atenção e o interesse da empresa de transporte de cargas aéreas americana Federal Express (Fedex), o primeiro grande cliente do avião.

A aeronave tem sido usada intensivamente desde então por companhias aéreas regionais e de táxi aéreo, transporte de carga aérea e para transporte militar em localidades de difícil acesso, com baixo tráfego de pessoas ou pouco volume de cargas, alimentando as linhas principais ou hubs com aeronaves maiores.

O Caravan voou pela primeira vez em 1982. O primeiro modelo de produção foi denominado 208A. A versão alongada Grand Caravan voou pela primeira vez em 1986 e recebeu a designação 208B.

Pela capacidade de pousar e decolar em pistas de pouso sem pavimentação, é usado por agropecuaristas de vários países como meio de transporte para visitas às suas fazendas e também por empresários e executivos para visitas às filiais de empresas, fornecedores e revendedores.

Os monomotores Cessna Caravan e Cessna Grand Caravan já saem de fábrica com radar meteorológico colorido, GPS e TCAS. São instrumentos de fundamental importância para uma viagem segura e tranquila, sem surpresas desagradáveis na rota...

O moderníssimo conjunto de aviônicos com EFIS (Electronic Flight Instrument System) é útil porque facilita a navegação e reduz a carga de trabalho do piloto.

A versão executiva pode ser encomendada equipada com ar-condicionado e assentos especiais, mais confortáveis, e outros itens de conforto.

Variantes[editar | editar código-fonte]

  • 208A Caravan I - primeiro modelo de produção.
  • 208A Caravan 675 - modelo atual de produção do caravan com motor PT6A-114A, mais potente.
  • 208A Cargomaster - versão para carga do Caravan.
  • 208B Grand Caravan ou Caravan II - versão alongada e com motor PT6A-114A.
  • 208B Super Cargomaster - variante de carga do Grand Caravan.
  • Caravan Anfíbio - possui flutuadores para decolagem e pouso na água. Alguns modelos são anfíbios, permitindo também o uso de pistas de pouso convencionais.
  • Soloy Pathfinder 21 - versão reforçada, remotorizada e com fuselagem alongada desenvolvida pela Soloy Corporation.
  • Conversões da Texas Turbine - esta empresa realiza remotorizações do Caravan para proporcionar maior potência ou economia de combustível.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Oferecido para a Força Aérea Brasileira, o Caravan foi rejeitado inicialmente como aeronave de carga por sua autonomia limitada a rotas curtas e médias e por ser uma aeronave monomotora (supunha-se que a operação sobre a Amazônia seria arriscada demais, pois em caso de falha do motor não existem locais de pouso alternativos). Mas foi aceito inicialmente como aeronave orgânica do Centro de Lançamento de Alcântara.

Durante sua operação, verificou-se que a aeronave é confiável, fácil de pilotar, robusta, fácil de operar e de manter, o que levou a compras adicionais do modelo. A aeronave opera com facilidade em pistas de terra ou precárias, mostrando-se uma alternativa aos maiores Bandeirantes para o transporte de pequenos volumes, como aeronave de ligação ou pequeno número de passageiros.

Essas características se mostraram ideais para as necessidades da FAB, que adquiriu mais aeronaves para integrar algumas unidades aéreas (1º ETA, 7º ETA e 2º/6º GAv) e outras organizações militares, como aeronave orgânica. Devido a essas qualidades, vários pilotos o chamam carinhosamente de “Avião 4X4” pelo fato da infra-estrutura aeroportuária do Brasil ser precária em várias localidades do interior brasileiro, em que sua operação é necessária.

A FAB possui em operação cerca de 7 aeronaves Caravan (208A) e cerca de 10 aeronaves Grand Caravan (208B), estas aeronaves receberam a designação C-98 e C-98A.

A Polícia Federal Brasileira também adquiriu, na década de 2000, várias aeronaves Cessna 208B Grand Caravan.

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Cessna 208B Grand Caravan

  • Capacidade (no Brasil): 9 passageiros (versão simples);
  • Capacidade (no Brasil): 6 passageiros (versão executiva);
  • Tripulação: 1 piloto e 1 co-piloto;
  • Comprimento: Aprox. 12,7 metros;
  • Envergadura: Aprox. 15,9 metros;
  • Altura: Aprox. 4,7 metros;
  • Peso máximo decolagem: 3.969 kg;
  • Pista de pouso (com bagageiro externo): Aprox. 1.300 metros (lotado / dias quentes / tanques cheios);
  • Velocidade de cruzeiro: Aprox. 320 km / h;
  • Alcance: Aprox. 1.650 quilômetros (lotado / 75% potência / com reservas);
  • Consumo médio (QAV): Aprox. 210 litros / hora (lotado / 75% potência);
  • Consumo médio (QAV): Aprox. 0,07 litro / passageiro / km voado;

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências