Ceto (mitologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Fevereiro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Antigo vaso Coríntio com imagens de Perseus, Andrômeda e Ceto.

Ceto ou Keto ( Em grego: Κητω ) é uma divindade primordial marinha filha de Pontos, Titã do Mar e de Gaia, a Mãe Terra [1] . O nome Cetus, que significa "monstro", é como os antigos gregos denominavam as baleias, que para eles eram monstros marinhos. Ceto é a personificação dos perigos do mar. Ela era mais especificamente uma deusa de baleias, tubarões grandes, e monstros marinhos. Também tida como deusa dos horrores e formas estranhas, coloridas e exuberantes que o mar pode produzir e revelar para os homens. Irmã e esposa de Fórcis, a deusa recebe esses epítetos: Κράταιις, Krataiis, de κραταιίς "poderoso, das rochas"; Lamia, - ,"o tubarão"; Τρίενος, Trienos, de τρίενος "dentro de três anos". Seus símbolos são as baleias; tubarões; peixes grandes e o mar.

Segundo Hesíodo, em sua Teogonia, Ceto era uma deusa extremamente bela que gerou filhas belas porém perigosas e odiadas pelos deuses.

Todavia, como é comum às divindades marinhas, Ceto possui um aspecto dual: enquanto era considerada dona de uma beleza divina, também eram vista com um monstro abissal capaz de gerar outros monstros iguais a si: as Górgonas, as Greias e o dragão insone Ladão. Já Equidna, também sua filha, era uma criatura ambígua, com tronco de uma bela ninfa e cauda de serpente em lugar dos membros.


Referências

  1. Teogonia, a origem dos Deuses, Hesíodo, trad. J.A.A. Torrano, ed. Iluminuras
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.