Chão de fábrica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Chão de fábrica é a nomenclatura usada por engenheiros, arquitetos e designers para designar conhecimento das técnicas e materiais de produção de uma fábrica. Chão de fábrica é também um termo usado em manufatura para designar o local onde o processo fabril é executado. Chão de fábrica é também uma expressão utilizada para designar o conjunto de funcionários que executam tarefas produtivas na indústria, diferenciando-os daqueles cuja atividade é gerencial e administrativa no processo.

O chão de fábrica: seu significado e importância

Para compreendermos melhor o significado e importância do termo “chão de fábrica”, devemos voltar um pouco ao passado. Chão de fábrica está relacionado ao modo de produção, de acordo com as características de cada sociedade.

Como vimos anteriormente, o século XVIII ficou caracterizado pelas grandes transformações no modo de produção, a produção de máquinas e é neste período que se observa melhor o aparecimento do termo chão de fábrica.

Apesar da grande revolução proporcionada por mudanças no meio e no modo de produção, era necessário organizar o novo processo industrial, daí começam a surgir os principais modelos de controle: taylorismo e fordismo. As ideias de Taylor e Ford contribuíram para a organização da produção, simplificando e subdividindo processos, organizando o modo como os operários devem trabalhar e o tempo devem gastar em cada tarefa. Este modelo manteve-se como o principal modo de produção até a década de 70, tendo seu auge após o final da Segunda Guerra Mundial.

Após a Segunda Guerra Mundial a sujeira e desperdícios eram comuns nas fábricas japoneses. Daí, partir da década de 70, observa-se uma mudança no modelo de produção, o chamado modo de “produção enxuta”, cujo enfoque era a eliminação de todo e qualquer desperdício, desde refugos, retrabalhos até a diminuição de estoque tanto de matéria-prima quanto de produtos acabados. Deste modo, com o modelo de produção enxuta surge uma nova estrutura de organização do chão-de-fábrica. Assim, uma nova concepção para o chão de fábrica divide espaço com o modelo de taylorista e fordista.

Chão de fábrica pode ser definido como um termo utilizado, principalmente, pela engenharia para denominar o conhecimento das técnicas e materiais de produção de uma fábrica. É o local onde o processo fabril é executado. Pode ser utilizada também para designar o conjunto de trabalhadores que executam as tarefas produtivas (operacional) na indústria.

Ampliando o conceito, podemos afirmar que “chão de fábrica deve ser o local onde o valor é acrescentado, os produtos são produzidos, e os serviços são fornecidos a fim de satisfazer as necessidades de nossos clientes. O termo chão de fábrica faz parte da categoria “GEMBA”, termo japonês que significa local onde as coisas acontecem na organização. É o local sagrado onde transformamos insumos, matérias-primas, informações e demais “inputs” em objetos de desejo de nossos clientes.

Dentro da concepção de sistema aberto, o chão de fábrica vem ao longo dos anos sofrendo influencias do ambiente externo (economia, política, tecnologia, meio ambiente, entre outros) e se adaptando para continuar produzindo mais com menos recursos – mantendo a qualidade, segurança e meio ambiente.

[1]


Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.
  1. (Fonte: Prof. Márcio Silva - Liderança no Chão de Fábrica - Corporativa Brasil)