Chapéu-palheta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde setembro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Chapéu-palheta.

O chapéu-palheta é um tipo de chapéu de palha com textura rígida, muito popular nas primeiras décadas do século XX.

Origem e popularização[editar | editar código-fonte]

O seu uso tem origem como acessório em competições de canoagem, durante o século XIX. No alvorecer do XX, já era um modismo popular nos Estados Unidos.

Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, o item já era conhecido desde os primeiros anos do século XX, mas se popularizou ainda mais na década de 1920, com a influência da cultura norte-americana, que atingia o país principalmente através do cinema. Até o início dos anos 40 foi um acessório comum no vestuário do brasileiro. Durante a Segunda Guerra Mundial, o chapéu-palheta começou a entrar em desuso no país, até desaparecer.

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

Nos anos 30 o palheta foi largamente usado pelos boêmios do bairro da Lapa, no Rio de Janeiro. A razão era o seu baixo custo somada ao seu formato (que evoca o que é tropical). Com isso, tal chapéu passou a fazer parte da figura do malandro, no imaginário popular brasileiro. Um exemplo é o Zé Carioca (que usa chapéu-palheta), personagem criado por Walt Disney para estereotipar o brasileiro. Talvez foi esse o motivo do palheta ter diminuído a sua popularidade nos anos 40, embora acontecesse o mesmo no exterior.

Referência bibliográfica[editar | editar código-fonte]