Charles Bradley

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Charles Bradley
Charles Bradley & The Menahan Street Band (Jazz Fest Wien 2011)
Informação geral
Nome completo Charles Bradley
Nascimento 05 de Novembro de 1948 (66 anos)
Origem Gainesville, Flórida
País  Estados Unidos
Gênero(s) Funk, Soul, R&B
Período em atividade 2002 - Atualmente
Afiliação(ões) The Budos Band
Menahan Street Band

Charles Bradley (5 de novembro de 1948) é um cantor estadounidense de funk, soul e R&B nascido em 1948 em Gainesville, Flórida.[1] Suas performances e estilo de gravação consistem com os padrões revival da gravadora com a qual trabalha, a Daptone Records, celebrando o sentimento da música funk e soul das décadas de 60 e 70.[2] Bradley demonstra claramente as influências de James Brown e Otis Redding, tendo inclusive sido dito que ele ecoa a rendição evocativa de Otis Redding.[3]

Bradley é o assunto do documentário "Soul of America", que teve seu lançamento no South by Southwest em 2012.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bradley foi criado por sua avó na Florida até os oito anos, quando conheceu sua mãe que o convidou para morar com ela no Brooklyn em Nova Iorque.[5]

Em 1962, sua irmã o levou ao Apollo Theater para assistir um show de James Brown.[6] Bradley ficou tão inspirado pela apresentação que começou a imitar em casa o estilo de James Brown de cantar e dançar.[7]

Na adolescência, Bradley fugiu de casa e foi morar nas ruas e em metrôs durante dois anos. Algum tempo depois se alistou no Job Corps, que é um programa gratuito de educação e estímulo vocacional do governo norte americano. O Job Corps o levou para o Maine para trabalhar como cozinheiro-chefe. Certa vez enquanto estava trabalhando alguém o disse que ele parecia com James Brown, ainda assim quando questionado se sabia cantar teve medo de admitir. Finalmente superou esse medo e fez cinco ou seis shows com uma banda, que acabou se separando quando os colegas de Bradley foram convocados para a Guerra do Vietnã.[8]

Bradley continuou no seu trabalho de cozinheiro no Maine por dez anos até decidir se mudar para o oeste, atravessando o pais como caroneiro.[6] Ele morou no norte do estado de Nova Iorque, em Seattle, no Canadá e no Alasca antes de finalmente estabelecer residência na Califórnia,[5] [7] onde trabalhou em empregos temporários e se apresentou em pequenos shows durante vinte anos.[6]

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

Em 1996, Bradley recebeu uma ligação de sua mãe que pediu para que fosse morar novamente com ela no Brooklyn.[5] Foi lá que começou a se apresentar em clubes como sósia de James Brown usando o apelido Black Velvet[9] [10] Durante esse período, experienciou tempos mais difíceis, inclusive quase morreu em um hospital depois de ter recebido uma injeção de penicilina (da qual é alérgico) e acordado com a chegada da polícia na cena do assassinato de seu irmão na rua da casa de sua mãe.[5]

Durante suas apresentações como Black Velvet foi descoberto por Gabriel Roth, co-fundador da Daptone Records. Roth apresentou Bradley ao artista Tom Brennek, que o convidou para os ensaios de sua banda. Bradley disse pra banda ir tocando seus instrumentos enquanto simplesmente ia improvisando letras durante as músicas. Depois de Bradley escrever algumas músicas, a Daptone lançou algumas delas em vinil começando em 2002, dez foram escolhidas para o seu disco de estréia No Time For Dreaming em 2011.[7]

Na primavera de 2012 foi lançado Soul of America, um documentário dirigido por Poull Brien, que conheceu Bradley quando dirigiu o videoclipe para a música "The World (Is Going Up In Flames)." O filme estreou no festival de cinema SXSW em Austin, Texas e conta a história de Bradley desde sua infância na Flórida, passando por seus dias de mendigo e seus shows como Black Velvet, o filme termina com sua primeira turnê e gravação do disco pela Daptone Records.[11]

O segundo disco de Bradley, Victim of Love, foi lançado em 2 de abril de 2013 ainda pela Daptone Records.[12]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum Selo e Nro. Catálogo
2011 No Time For Dreaming Daptone Records DAP-021 / Dunham DUN-1001
2013 Victim of Love Daptone Records / Dunham

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Título Créditos Selo e Nro. Catálogo
2002 "Take It As It Come, Pt. 1" / "Take It As It Come, Pt. 2" Charles Bradley and Sugarman & Co. Daptone Records DAP-1005
2004 "Now That I'm Gone (Look How You're Crying)" / "Can't Stop Thinking About You" Charles Bradley and the Bullets Daptone Records DAP-1014
2006 "This Love Ain't Big Enough For The Two Of Us" Charles Bradley and the Bullets Daptone Records DAP-1021
2007 "The World (Is Going Up In Flames)" / "Heartaches And Pain" Charles Bradley & Menahan Street Band / Charles Bradley Daptone Records DAP-1034 / Dunham DNM-102
2008 "The Telephone Song" Charles Bradley Daptone Records DAP-1041 / Dunham DUN-103
2010 "No Time For Dreaming" / "Golden Rule" Charles Bradley & Menahan Street Band Daptone Records DAP-1055 / Dunham DUN-107
2010 "Every Day Is Christmas (When I'm Lovin' You)" / "Mary's Baby" Charles Bradley featuring The Gospel Queens Daptone Records DAP-1058 / Dunham DUN-109
2011 "Heart of Gold" / "In You (I Found a Love)" Charles Bradley & Menahan Street Band Daptone Records DAP-1059 / Dunham DUN-110
2013 "Changes" / "Ain't It A Sin" Charles Bradley & The Budos Band / Charles Bradley & The Bullets Daptone Records DAP-1076 / Dunham DUN-115

Outros[editar | editar código-fonte]

  • "Take It As It Comes" no álbum The Sugarman 3 Pure Cane Sugar (2002).
  • "Take It As It Comes" (Afrodisiac Soundsystem Remix) no álbum Daptone Records Remixed (2007).
  • "Stay Away" (cover do Nirvana) no álbum Newermind da revista Spin, uma coletânea de covers do Nirvana (2011).

Referências

  1. Charles Bradley Bio Official Website. Visitado em 14/02/2011.
  2. No Time For Dreaming: Charles Bradley Allmusic.com. Visitado em 14/02/2011.
  3. Charles Bradley: No Time For Dreaming Paste Magazine. Visitado em 09/02/2011.
  4. Charles Bradley, Late Bloomer: Review of Soul of America Frontier Psychiatrist. Visitado em 27/04/2012.
  5. a b c d Rollo & Grady Interview with Charles Bradley – Rollo & Grady: Los Angeles Music Blog Rollogrady.com (20/05/2011). Visitado em 08/06/2012.
  6. a b c Charles Bradley, at 62, finally putting his own soul on display for the world - Chicago Tribune Articles.chicagotribune.com (14/04/2011). Visitado em 08/06/2012.
  7. a b c Bradley, Charles (26/02/2011). Charles Bradley: An Impersonator Finds His Own Voice NPR. Visitado em 08/06/2012.
  8. Live on Soundcheck: Charles Bradley - WNYC Culture Culture.wnyc.org. Visitado em 08/06/2012.
  9. Charles Bradley played New Year's Eve, playing James Brown tribute as 'Black Velvet' (and other dates) Brooklynvegan.com (09/01/2012). Visitado em 08/06/2012.
  10. Andy Downing (16/02/2012). Soul man Charles Bradley embraces his heartaches and pain at High Noon : 77-square Host.madison.com. Visitado em 08/06/2012.
  11. Charles Bradley Film: "Soul of America" Charlesbradleyfilm.com. Visitado em 02/05/2013.
  12. Sullivan, James (21/02/2013). Late Bloomer Charles Bradley Eager to Release Second Soul Album Rolling Stone. Visitado em 10/03/2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Charles Bradley

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Charles Bradley».