Charles Bradley

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Charles Bradley
Charles Bradley & The Menahan Street Band (Jazz Fest Wien 2011)
Informação geral
Nome completo Charles Bradley
Nascimento 1948
Origem Gainesville, Flórida
País  Estados Unidos
Gênero(s) Funk, Soul, R&B
Período em atividade 2002 - Atualmente
Afiliação(ões) The Budos Band
Menahan Street Band

Charles Bradley é um cantor estadounidense de funk, soul e R&B nascido em 1948 em Gainesville, Flórida.[1] Suas performances e estilo de gravação consistem com os padrões revival da gravadora com a qual trabalha, a Daptone Records, celebrando o sentimento da música funk e soul das décadas de 60 e 70.[2] Bradley demonstra claramente as influências de James Brown e Otis Redding, tendo inclusive sido dito que ele ecoa a rendição evocativa de Otis Redding.[3]

Bradley é o assunto do documentário "Soul of America", que teve seu lançamento no South by Southwest em 2012.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bradley foi criado por sua avó na Florida até os oito anos, quando conheceu sua mãe que o convidou para morar com ela no Brooklyn em Nova Iorque.[5]

Em 1962, sua irmã o levou ao Apollo Theater para assistir um show de James Brown.[6] Bradley ficou tão inspirado pela apresentação que começou a imitar em casa o estilo de James Brown de cantar e dançar.[7]

Na adolescência, Bradley fugiu de casa e foi morar nas ruas e em metrôs durante dois anos. Algum tempo depois se alistou no Job Corps, que é um programa gratuito de educação e estímulo vocacional do governo norte americano. O Job Corps o levou para o Maine para trabalhar como cozinheiro-chefe. Certa vez enquanto estava trabalhando alguém o disse que ele parecia com James Brown, ainda assim quando questionado se sabia cantar teve medo de admitir. Finalmente superou esse medo e fez cinco ou seis shows com uma banda, que acabou se separando quando os colegas de Bradley foram convocados para a Guerra do Vietnã.[8]

Bradley continuou no seu trabalho de cozinheiro no Maine por dez anos até decidir se mudar para o oeste, atravessando o pais como caroneiro.[6] Ele morou no norte do estado de Nova Iorque, em Seattle, no Canadá e no Alasca antes de finalmente estabelecer residência na Califórnia,[5] [7] onde trabalhou em empregos temporários e se apresentou em pequenos shows durante vinte anos.[6]

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

Em 1996, Bradley recebeu uma ligação de sua mãe que pediu para que fosse morar novamente com ela no Brooklyn.[5] Foi lá que começou a se apresentar em clubes como sósia de James Brown usando o apelido Black Velvet[9] [10] Durante esse período, experienciou tempos mais difíceis, inclusive quase morreu em um hospital depois de ter recebido uma injeção de penicilina (da qual é alérgico) e acordado com a chegada da polícia na cena do assassinato de seu irmão na rua da casa de sua mãe.[5]

Durante suas apresentações como Black Velvet foi descoberto por Gabriel Roth, co-fundador da Daptone Records. Roth apresentou Bradley ao artista Tom Brennek, que o convidou para os ensaios de sua banda. Bradley disse pra banda ir tocando seus instrumentos enquanto simplesmente ia improvisando letras durante as músicas. Depois de Bradley escrever algumas músicas, a Daptone lançou algumas delas em vinil começando em 2002, dez foram escolhidas para o seu disco de estréia No Time For Dreaming em 2011.[7]

Na primavera de 2012 foi lançado Soul of America, um documentário dirigido por Poull Brien, que conheceu Bradley quando dirigiu o videoclipe para a música "The World (Is Going Up In Flames)." O filme estreou no festival de cinema SXSW em Austin, Texas e conta a história de Bradley desde sua infância na Flórida, passando por seus dias de mendigo e seus shows como Black Velvet, o filme termina com sua primeira turnê e gravação do disco pela Daptone Records.[11]

O segundo disco de Bradley, Victim of Love, foi lançado em 2 de abril de 2013 ainda pela Daptone Records.[12]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum Selo e Nro. Catálogo
2011 No Time For Dreaming Daptone Records DAP-021 / Dunham DUN-1001
2013 Victim of Love Daptone Records / Dunham

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Título Créditos Selo e Nro. Catálogo
2002 "Take It As It Come, Pt. 1" / "Take It As It Come, Pt. 2" Charles Bradley and Sugarman & Co. Daptone Records DAP-1005
2004 "Now That I'm Gone (Look How You're Crying)" / "Can't Stop Thinking About You" Charles Bradley and the Bullets Daptone Records DAP-1014
2006 "This Love Ain't Big Enough For The Two Of Us" Charles Bradley and the Bullets Daptone Records DAP-1021
2007 "The World (Is Going Up In Flames)" / "Heartaches And Pain" Charles Bradley & Menahan Street Band / Charles Bradley Daptone Records DAP-1034 / Dunham DNM-102
2008 "The Telephone Song" Charles Bradley Daptone Records DAP-1041 / Dunham DUN-103
2010 "No Time For Dreaming" / "Golden Rule" Charles Bradley & Menahan Street Band Daptone Records DAP-1055 / Dunham DUN-107
2010 "Every Day Is Christmas (When I'm Lovin' You)" / "Mary's Baby" Charles Bradley featuring The Gospel Queens Daptone Records DAP-1058 / Dunham DUN-109
2011 "Heart of Gold" / "In You (I Found a Love)" Charles Bradley & Menahan Street Band Daptone Records DAP-1059 / Dunham DUN-110

Outros[editar | editar código-fonte]

  • "Take It As It Comes" no álbum The Sugarman 3 Pure Cane Sugar (2002).
  • "Take It As It Comes" (Afrodisiac Soundsystem Remix) no álbum Daptone Records Remixed (2007).
  • "Stay Away" (cover do Nirvana) no álbum Newermind da revista Spin, uma coletânea de covers do Nirvana (2011).

Referências

  1. Charles Bradley Bio Official Website.. Página visitada em 14/02/2011.
  2. No Time For Dreaming: Charles Bradley Allmusic.com.. Página visitada em 14/02/2011.
  3. Charles Bradley: No Time For Dreaming Paste Magazine.. Página visitada em 09/02/2011.
  4. Charles Bradley, Late Bloomer: Review of Soul of America Frontier Psychiatrist.. Página visitada em 27/04/2012.
  5. a b c d Rollo & Grady Interview with Charles Bradley – Rollo & Grady: Los Angeles Music Blog Rollogrady.com (20/05/2011). Página visitada em 08/06/2012.
  6. a b c Charles Bradley, at 62, finally putting his own soul on display for the world - Chicago Tribune Articles.chicagotribune.com (14/04/2011). Página visitada em 08/06/2012.
  7. a b c Bradley, Charles (26/02/2011). Charles Bradley: An Impersonator Finds His Own Voice NPR. Página visitada em 08/06/2012.
  8. Live on Soundcheck: Charles Bradley - WNYC Culture Culture.wnyc.org. Página visitada em 08/06/2012.
  9. Charles Bradley played New Year's Eve, playing James Brown tribute as 'Black Velvet' (and other dates) Brooklynvegan.com (09/01/2012). Página visitada em 08/06/2012.
  10. Andy Downing (16/02/2012). Soul man Charles Bradley embraces his heartaches and pain at High Noon : 77-square Host.madison.com. Página visitada em 08/06/2012.
  11. Charles Bradley Film: "Soul of America" Charlesbradleyfilm.com. Página visitada em 02/05/2013.
  12. Sullivan, James (21/02/2013). Late Bloomer Charles Bradley Eager to Release Second Soul Album Rolling Stone. Página visitada em 10/03/2013.

== Ligações externas ==[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Charles Bradley».