Charles Taylor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Charles McArthur Ghankay Taylor
Presidente da Libéria
Período de governo 2 de agosto de 1997 - 11 de agosto de 2003
Antecessor(a) Samuel Kanyon Doe
Sucessor(a) Moses Blah
Vida
Nascimento 28 de Janeiro de 1948 (66 anos)
Arthington, Montserrado, Libéria
Dados pessoais
Primeira-dama Tupee Enid Taylor
Partido National Patriotic Party
Profissão economista e político

Charles McArthur Ghankay Taylor (Arthington, 28 de janeiro de 1948) é um economista, político e líder liberiano que foi presidente da Libéria de 1997 a 2003. Era um líder militar proeminente na guerra civil liberiana da década de 1990,[1] foi eleito presidente, preso, foragido com apoio americano[2] [3] [4] [5] e forçado a exilar-se.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em 1948, filho de libero-americanos, estudou nos Estados Unidos. Voltou à Libéria quando ocorreu o golpe de Estado por Samuel Kanyon Doe em 1980 que foi bem sucedido, onde foi encarregado de controlar o orçamento de Estado. Todavia, desviou cerca de um milhão de dólares e, assim, Taylor regressou aos Estados Unidos, mesmo enfrentando um pedido de extradição do governo da Libéria.

Charles Taylor foi exilado para a Serra Leoa, depois de ter sido capturado na Nigéria, próximo de Camarões, onde se preparava para fugir com duas malas cheias de dólares e euros.

O Tribunal Especial para a Serra Leoa foi criado para "julgar todos os que têm grande responsabilidade pelos crimes contra a Humanidade e de Guerra". Charles Taylor foi acusado por 17 crimes de guerra e contra a humanidade, incluindo aterrorizar a população, assassinatos ilegais, violência sexual e física, recrutamento forçado de crianças-soldado, sequestros (raptos), trabalho forçado, ataques ao pessoal da ONU, entre outros.

Julgamento e condenação[editar | editar código-fonte]

Taylor foi condenado por um órgão ligado as Nações Unidas e a Serra Leoa, tornando-se o primeiro ex-chefe de nação a ser condenado pela justiça internacional, Charles Taylor foi condenado a 50 anos de prisão pelo Tribunal Especial para Serra Leoa, seu julgamento foi realizado em Haia na Holanda[6] .

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Samuel Kanyon Doe
Presidente de Libéria
1997 - 2003
Sucedido por
Moses Blah


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.