Cheirinho da loló

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Cheirinho-da-loló ou Loló é o nome popular de um entorpecente preparado clandestinamente baseado em clorofórmio e éter[1] .

Apesar de não existirem estudos conclusivos sobre dependência, sabe-se que possui diversos efeitos colaterais. No Brasil, foi proibida pelos vários relatos de parada cardíaca pelo uso desta droga, ou seja, o uso excessivo da droga pode causar morte.

O loló usado como inalante. Coloca-se um pouco em uma peça de tecido pequena e inala-se pelo nariz ou pela boca. Também é usado diretamente, inalando-se de uma latinha/garrafa pela boca e narinas ele também quando é inalado chega a ser parecido com o gás butano.

As alucinações do loló implicam em desequilíbrio, confusões auditivas e em alguns casos visuais. O loló também deixa as pessoas mais animadas e avulsas pra confusões. O usuário também torna-se desinibido e suas pupilas dilatam. Relata-se que algumas pessoas têm como efeito auditivo escutar um som comparado ao de uma ambulância, ou parecia como uma de helicóptero.

Referências

  1. Solventes ou Inalantes. Página visitada em 13/11/12.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma droga é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

h3po4 CH3C=O