Childeberto I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
Childeberto I
Rei da Nêustria e de Orleães (511-558)
Co-Rei da Borgonha (534-558)
Rei de Paris (524-558)
Nascimento ca. 497
Morte 23 de dezembro de 558, Paris
Sepultura Basílica de Saint-Denis, Paris

Childeberto I (Reims, ca. 49713 de dezembro de 558) foi o rei franco de Paris, da dinastia merovíngia, um dos quatro filhos de Clóvis I que dividiram o reino herdado após a morte de seu pai em 511. Era um dos filhos de Clotilde.[desambiguação necessária]

Vida[editar | editar código-fonte]

Na divisão do reino, ele recebeu como sua parte a cidade de Paris, a área ao norte até o rio Somme, a área a oeste até o Canal da Mancha e a península Armoricana (atual Bretanha). Seus irmãos governaram em outras regiões: Teodorico I em Metz, Clodomiro em Orleães e Clotário I em Soissons.

Em 523, Childeberto participou da Guerra Burgúndia. Clodomiro morreu na Batalha de Vézeronce (então Veseruntia). Em 524, após o assassinato dos filhos de Clodomiro, Childeberto anexou as cidades de Chartres e Orleães.

Tomou parte em várias expedições posteriores contra o reino da Borgonha. Assediou Autun em 532, e em 534, recebeu como sua parte dos espólios daquele reino as cidades de Mâcon, Genebra e Lyon. Quando Witiges, rei dos ostrogodos, cedeu Provença aos francos em 535, a posse de Arles e Marselha foi garantida a Chideberto por seus irmãos. A anexação daquela província foi completada, com a ajuda de Clotário, no inverno de 536-537.

Em 531, recebeu um pedido de sua irmã Crotilda, esposa do rei Amalarico dos visigodos. O rei ariano da Hispânia, segundo Crotilda, que era católica, estava lhe maltratando rudemente. Childeberto atravessou os Pirenéus com um exército e derrotou o rei visigodo, matando-o em batalha. Crotilda na jornada de retorno à Paris de causas desconhecidas.

Chideberto fez outras expedições contra os visigodos. Em 542, tomou posse de Pamplona com a ajuda de seu irmão Clotário e assediou Saragoça, mas foi forçado a se retirar. Dessa expedição ele trouxe de volta a Paris uma preciosa relíquia, a túnica de São Vicente, em honra da qual ele construiu nos portões de Paris o famoso monastério de São Vicente, depois conhecido como Abadia de Saint-Germain-des-Prés.

Morreu sem motivo em 13 de dezembro de 558, sendo sepultado na abadia que ele havia fundado, onde sua tumba foi descoberta. Childeberto foi um monarca que expandiu seus domínios em mais guerras estrangeiras que seus irmãos; atacou a Espanha (mais de uma vez), a Borgonha (mais de uma vez), Provença e outros lugares na Gália. Gregório de Tours, um contemporâneo, falando como um neustriano, colocou estas palavras na boca de Childeberto: Velim unquam Arvernam Lemanem quae tantae jocunditatis gratia refulgere dicitur, oculis cernere [1]. Childeberto foi também um dos mais religiosos dos filhos de Clóvis, auxiliando seus irmãos, resgatando sua irmã, e construindo o famoso monastério de São Vicente para abrigar suas relíquias.

Pais[editar | editar código-fonte]

> Clóvis I (? c. 466 † 511)

+ Santa Clotilde[desambiguação necessária] (? c. 477 † c. 546)

Casamentos e filhos[editar | editar código-fonte]

  • em c. 515 com Ultrogothe (? ? † ?), princesa lombarda)
  1. > Crotberg (? ? † ?)
  2. + Crodesinde (? ? † ?)

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre História da França é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Childeberto I