Chimarrita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A “chimarrita”, é uma dança típica do folclore gaúcho. Teve origem no Arquipélago dos Açores e na Ilha da Madeira, e foi trazida de Portugal por colonos açorianos, na segunda metade do séc. XVIII. Desde a sua chegada ao Rio Grande do Sul, a "chamarrita" (forma original de como era designada) foi evoluindo ao longo de gerações e, no início do séc. XX, passou a ser adotada a forma de dança de pares enlaçados.

A corruptela "Chimarrita” foi a denominação mais usual dessa dança, entre os campeiros.

Do Rio Grande do Sul (e de Santa Catarina), a dança passou para o Paraná, e para o Estado de São Paulo, bem como às províncias argentinas de Corrientes e Entre Ríos, onde ainda hoje são populares as variantes "Chamarrita" e "Chamamê".

Também se encontra a “chimarrita” no Uruguai, onde é considerada um dos ritmos de raiz mais populares.[1]

A “chimarrita” tem como características o bater de pés e o bater de mãos.

Coreografia[editar | editar código-fonte]

A coreografia apresenta-se sob três formas:

  • o "Rufado" - simples dança, sem batidas dos pés no chão e das mãos;
  • o "Valsada" - sem batidas dos pés e das mãos;
  • o "Rufando" - onde os passos são valsados às batidas ritmadas das palmas e do sapateado.

Os figurantes dispõem-se em filas e depois seguem assim, até formarem uma roda, um atrás do outro. O passo é lento e atraente. É um baile cantado, onde há solo e coro. A “chimarrita” é uma espécie de antiga polca, ou rancheira moderna.

Referências

  1. J.C. Paixão Cortês, Luís Carlos Barbosa Lessa. Manual de Danças Gaúchas: Com Suplemento Musical e Ilustrativo. [S.l.]: Irmãos Vitale.