Christiane Pelajo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde dezembro de 2009) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Christiane Pelajo
Nascimento 16 de março de 1971 (43 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade Brasil brasileira
Cônjuge Fernando Sita
Ocupação jornalista

Christiane Pelajo (Rio de Janeiro, 16 de março de 1971) é uma jornalista brasileira, formada pela PUC-Rio.[1]

Trabalhou na Globo News de 1996 a 2005, apresentando as edições noturnas do jornal Em Cima da Hora e o programa Pelo Mundo. Comandou grandes coberturas, como o funeral da princesa Diana, do Reino Unido, morta em 31 de agosto de 1997 num acidente automobilístico, cuja transmissão durou mais de cinco horas, e a prisão de Saddam Hussein, ditador do Iraque, em 2003, sempre ao vivo.

Cobriu fatos como a morte do papa João Paulo II e a eleição de Bento XVI e a Copa do Mundo da França, em 1998; entrevistou candidatos à Presidência da República nas eleições de 2002 e fez duas séries de reportagens especiais: em 2003, nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, República Dominicana, e em 2004, nas Olimpíadas de Atenas, Grécia.

Desde 2005, apresenta o Jornal da Globo junto a William Waack.[1] Cobriu a Copa do Mundo de 2006 para o mesmo jornal. Apresenta, também, eventualmente, aos sábados, o Jornal Nacional.

Referências

  1. a b Yahoo br (13 de Fevereiro de 2012). William Waack e Christiane Pelajo podem sair do ‘Jornal da Globo’, diz colunista. Página visitada em 13 de Maio de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.