Chucho Narvaez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Jesús Narvaez Y Suárez, mais conhecido como Chucho Narvaez (Cidade do México, 1922) é um diretor de fotografia, repórter cinematográfico e documentarista méxico-brasileiro.[1] Começou sua longa carreira nos estúdios Churubusco e Azteca, na cidade onde nasceu. Nesta ocasião, Chucho Narvaez trabalhou com grandes nomes do cinema mexicano como Cantinflas, Pedro Armendáriz, Dolores del Rio e outros.

Na década de 1940 morou nos EUA e trabalhou em grandes estúdios em Hollywood. Vive no Brasil desde 1948, quando chegou para rodar uma produção americana. Trabalhou na Atlântida Cinematográfica, na era de ouro das chanchadas, com Oscarito, Grande Otelo, Anselmo Duarte, Cyll Farney, Eliana, Carlos Manga e Watson Macedo.

Em 1965 foi um dos fundadores da Rede Globo, onde realizou grandes reportagens como: A guerrilha boliviana de Che Guevara, Assassinato de Bob Kennedy, a visita ao Brasil da Rainha Elizabeth II, entre outras. Em 1969, passou a trabalhar, na Rede Globo, com o polêmico jornalista e político Amaral Netto, e cria um novo estilo de documentários na TV com o programa Amaral Netto, o Repórter. Anos mais tarde, nas década de 1980 e 1990, passa a dirigir o Centro de TV e Cinema da Petrobras.

Referências

  1. Souza, Cláudio Mello e. In: Cláudio Mello e. Quinze anos de história (em <Língua não reconhecida>). [S.l.]: Rede Globo, 1984. Visitado em 28 de abril de 2011.
Ícone de esboço Este artigo sobre cineastas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.