Ciclo lisogênico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O ciclo lisogênico é um dos dois ciclos usados por vírus para sua reprodução, sendo a outra o ciclo lítico. No ciclo lisogênico, o vírus insere seu material genético na bactéria ou na célula hospedeira, onde o DNA viral incorpora-se ao DNA da célula infectada. Isto é, o DNA viral torna-se parte do DNA da célula infectada. Uma vez infectada, a célula continua suas operações normais, como reprodução e ciclo celular. Durante o processo de divisão celular, o material genético da célula, juntamente com o material genético do vírus que foi incorporado, sofrem duplicação e em seguida são divididos equitativamente entre as células-filhas. Assim, uma vez infectada, uma célula começará a transmitir o vírus sempre que passar por mitose e todas as células estarão infectadas também.

Sintomas causados por um vírus que se reproduz desta maneira, em um organismo multicelular podem demorar a aparecer. Doenças causadas por vírus lisogênico tendem a ser incuráveis. Alguns exemplos incluem a AIDS e herpes.Vale lembrar que a doença incorporada na célula pode se "despertar" por algum motivo como radiação, quimioterapia e etc. Se a doença for grave, poderá levar a óbito.

Após a penetração, o material genético viral codifica enzimas que destroem o DNA da célula e passa a comandá-la.

O ciclo lítico utilizando-se dos recursos celulares, o vírus promove uma intensa duplicação do próprio material genético e a produção de novos capsídios.

O material genético duplicado do vírus é, então, envolto dos capsídios e novos vírus então completamente formados.

Ocorre quebra (lise)da célula, liberando uma imensa quantidade de vírus aptos a reiniciar um novo processo de infecção. Um bom livro que aborda esse tema, é o livro "Biologia" de J. Laurence, da Editora Nona Geração.

Ícone de esboço Este artigo sobre microbiologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.