Cicloalceno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Os ciclenos ou cicloalcenos são hidrocarbonetos cíclicos com uma ligação dupla endocíclica (ou seja, na cadeia cíclica)[1] . Sua fórmula geral é CnH2n-2, a mesma dos alcinos.

Os hidrocarbonetos cíclicos com mais de uma ligação dupla são chamados de cicloalcadienos, cicloalcatrienos, etc; o termo geral que engloba todos estes compostos é olefinas cíclicas[1] .

Para escrever a sua estrutura, basta unir os átomos de carbono em ciclo, acrescentando uma ligação dupla e completando as valências de cada carbono com átomos de hidrogênio.

Nomenclatura segundo a IUPAC[editar | editar código-fonte]

  • Recebem o nome do alceno correspondente, colocando na frente o prefixo "ciclo".
  • Havendo ramificação, a numeração do ciclo inicia-se em um dos carbonos da dupla, passando imediatamente pelo outro carbono da dupla. Isso deve ser feito a fornecer o menor número à ramificação.
3-metil ciclopent-1-eno

Obs de edição, se poem o 1 para indicar onde fica a dupla ligação.

Propriedades físicas[editar | editar código-fonte]

Suas propriedades físicas seguem as mesmas características descritas para os alcenos:

  • Solubilidade: são quase que totalmente insolúveis em água devido a sua baixa polaridade e a sua incapacidade de formar interações por pontes de hidrogênio.
  • Ponto de ebulição: o ponto de ebulição dos ciclenos é maior que dos alcenos, devido ao maior tamanho da cadeia.
  • Estabilidade: quanto maior for o número de grupos alquila ligados aos carbonos da dupla ligação (quanto mais substituído estiverem os carbonos da dupla), maior será a estabilidade do alceno.

Referências

  1. a b Victor Gold, IUPAC Gold Book, cycloalkanes