Cicolluis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cicolluis ou Cicoluis (também conhecido como Cicollus, Cicolus, Cicollui, e Cichol) é um deus na mitologia celta cultuado pelos antigos povos da Gália e que tem um paralelo na Irlanda. O nome é gaulês e significa “Todo-Peito” ou “Grande-com peito” e é provavelmente usado para significar força. Na religião galo-romana, Cicolluis é pensado como um epíteto comum para o Marte gaulês.[1] Uma inscrição dedicatória em latim de Narbona (que estava no extremo sul da Gália), França, leva às palavras MARTI CICOLLUI ET LITAVI (“Mars Cicolluis e Litavis”).[2] ,[3] “Mars Cicolluis” tem dedicatórias em Xanten, Alemanha, em Aignay-le-Duc (onde sua consorte é dada como Litavis) e Mâlain (onde sua consorte são dadas como Litavis e Belona, deusa romana e personificação da guerra) da Côte-d'Or, França. “Cicolluis” é nomeado sozinho (não como um epíteto de Marte) em uma inscrição em Chassey, Côte-d'Or, Franche-Comté, França, e uma inscrição parcial de Ruffey-lès-Echirey, Côte-d'Or, França, pode ser dedicada à Cicolluis. Em Windisch, Suíça, é conhecido como “Cicollus,” e em Dijon, Côte-d'Or, França, é conhecido como “Mars Cicoluis.”[1]

Cicolluis também pode ser identificado como Cichol ou Cíocal Gricenchos, o líder mais primitivo dos Fomorianos ou Fomóiri (os habitantes iniciais semi-divinos da Irlanda) na mitologia irlandesa. De acordo como o historiador irlandês do século XVII Seathrún Céitinn (também conhecido pelo nome inglês Geoffrey Keating), Cichol chegou na Irlanda com cinquenta homens e cinquenta mulheres em seis barcos uma centena de anos após a inundação. Lá, seu povo viveu à base de peixe e ave por duas centenas de anos até que Partholón e seu povo (que trouxe o arado e o gado) invadiram e derrotaram os Fomorianos na Batalha de Magh Ithe.[1]

O nome de Cicolluis é muito provavelmente derivado das raízes reconstruídas proto-celtas *k-kƒ[1] (“peito,” mas também cede as palavras insulares célticas para “carne,”[1] tal como o irlandês cich [“carne”][3] ) e *olyo- (“tudo,” “inteiro,” or “todo”); este leva à tradução “Todo-Peito” or “Grande-com peito.” Este provável epíteto para força pode se relacionar a Cichol como líder dos Fomorianos. Portanto, Cicolluis pode ter se identificado com o aspecto guerreiro de Marte romano e pode ter sido uma deidade protetora.[1]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f Evans, Dyfed Lloyd. “Cicolluis: A Gaulish and Irish God, Also Known as Cicollus, Cicolus, Cichol (Great-Breasted).” Celtnet: Nemeton. 22 May 2007 <http://www.celtnet.org.uk/gods_c/cicolluis.html>.
  2. Koch, John T. “Ériu, Alba, and Letha: When Was a Language Ancestral to Gaelic First Spoken in Ireland?Emania: Bulletin of the Navan Research Group 9 (1991): 17–27.
  3. a b Gwinn, Christopher. “Re: Litavi.” LISTSERV 15.0: OLD-IRISH-L Archives. 31 Dec. 2000, 13:48:19 −0500. L-Soft. 22 de maio de 2007 <https://listserv.heanet.ie/cgi-bin/wa?A2=ind0012&L=old-irish-l&P=10754>.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia celta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.