Cidade Kemel (bairro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde abril de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Cidade Kemel
—  Bairro do Brasil  —
Unidade federativa São Paulo
Zona Leste
Distrito Itaim Paulista (No município de São Paulo. Em outras cidades não existem distritos)
Município Poá, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba e São Paulo
Criado em 1954
População
 - Total 40 000
Subprefeitura Itaim Paulista/Vila Curuçá (No município de São Paulo)
Fonte: Não disponível

Cidade Kemel é um bairro que faz parte de quatro municípios: Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Poá e São Paulo (sendo que em São Paulo ela é informalmente dividida em Cidade Kemel I e Cidade Kemel II). O bairro tem cerca de 40.000 habitantes os chefes de familias em média ganham menos de 3 salarios minimos mensais media de filhos por casais ficou em uma mediana de 3.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Sua formação foi parecida com o processo de conurbação que o ocorreu em toda a Grande São Paulo.[carece de fontes?] O nome do bairro é herança dos antigos proprietários. Assim como na maioria dos municípios da Região do Alto Tietê, o atual bairro era em 1953 uma fazenda que produzia uva Itália, pera d'água e caqui que foi comprada por Kemel Addas e que que no ano seguinte foi loteada.[2] O primeiro loteamento da região começou a ser construído pela Imobiliária Kemel em 1954 e acabou-se batizando o bairro de Kemel. Por ser tão extenso, acabou se acrescentando anos depois o termo "cidade", formando então o nome Cidade Kemel. Os primeiros a comprar lotes da então Fazenda Kemel, eram basicamente o mesmo público da atual Zona Leste de São Paulo, moradores de outras cidades da Grande São Paulo e do litoral sul do Estado de São Paulo, atraídos pelas quantidade de árvores e plantações da região. Na medida em que o centro da capital ia se desenvolvendo e tendo o custo de vida elevado, os moradores acabavam migrando para bairros periféricos. A Imobiliária Kemel também foi responsável pelo loteamento de um outro bairro do município de São Paulo, o Jardim Monte Kemel no distrito de Vila Sônia.[3]

O pai do Kemel Addas, Massud Addas, viveu no bairro fundado pelo filho até 1988, quando faleceu com 108 anos de idade. Kemel Addas morreu em 1998, aos 87 anos, em decorrência de um atropelamento que sofreu no município de São Paulo. Hoje as fotos do processo de loteamento do bairro e de seu fundador estão expostas no Terminal Rodoviário da Cidade Kemel.[4]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Rua Alcântara (em Poá), um dos principais corredores de ônibus da Cidade Kemel.[5]

A Cidade Kemel fica nos extremos dos quatro municípios, portanto, é um dos bairros mais distantes do centro de São Paulo, perdendo apenas para os bairros do extremo sul. Por isso, o bairro tem características mais próximas de bairros do Alto Tietê do que de outros bairros do município de São Paulo. O bairro é cortado pelo Córrego Três Pontes.

Em relação a Poá, a Cidade Kemel é um dos bairros mais antigos, criado cinco anos depois da emancipação de Poá (de Mogi das Cruzes) Fica na parte oeste do município, à dois quilômetros de seu centro, sendo portanto o centro de município mais próximo desse bairro. Trata-se de uma estreita faixa de cerca de 200 metros de comprimento e uma ligação por uma ponte sobre o Córrego Três Pontes.[6] [7]

Transporte[editar | editar código-fonte]

O bairro possui um terminal rodoviário, administrado pela Prefeitura de Poá, que abriga ônibus intermunicipais da EMTU Por ele passam linhas municipais de Poá e Ferraz de Vasconcelos.[8] O terminal foi inaugurado em 2004 para atender a demanda local, e por conta de sua localização estratégica, serve de apoio operacional as linhas dos municípios vizinhos, em que a Cidade Kemel faz parte. Em 2008 passou por readequação para oferecer salas operacionais, sanitários e cobertura. Foram feitas adequações viárias, de sinalização e o tratamento de calçadas e entorno e pavimentação de vias adjacentes. O investimento foi de R$ 1,3 milhão. No lado paulistano, suas ruas abrigam pontos finais de linhas municipais de São Paulo, sob responsabilidade da SPTrans.[9]

Plantio de árvores[editar | editar código-fonte]

No ano de 2006, na parte da Cidade Kemel que pertence a Capital, foram plantadas pela prefeitura em conjunto com 150 escoteiros do município de São José dos Campos, mais de 600 mudas de árvores em apenas 15 minutos, o que ajudou a Capital, junto com outros bairros do município, a conseguir o título de município que mais plantou árvores em menos tempo. Essa façanha entrou para o Livro dos Recordes (Guiness Book).[10] [11]

No ano de 2009, a Subprefeitura de Itaim Paulista/Vila Curuçá executou um novo paisagismo em uma rua importante do bairro, com flores trazidas do município de Holambra, município esse que é conhecido nacionalmente pela Expoflora, uma exposição de variados tipos de flores.[12]

Na parte do bairro que pertence a Poá, foram plantados vários pinheiros em volta do Terminal Rodoviário da Cidade Kemel, durante a sua construção. Durante a reforma ocorrida em 2008, foram plantados algumas palmeiras em sua volta.

Divisas complexas[editar | editar código-fonte]

A conjuntura formada pelos quatro municípios talvez atrapalhe o desenvolvimento da região, já que as divisas são complexas,[13] e deve se considerar também a negligência das prefeituras ao longo dos anos. Pode se considerar como um exemplo a parte do bairro onde existe a divisa entre os municípios de Poá e Itaquaquecetuba. Duas vias (Rua Deputado Emílio Carlos e Avenida Washington Luis) pertenciam à Poá até o ano de 1979, até que eles deixaram de receber os boletos de IPTU da prefeitura de Poá e passaram a receber boletos da prefeitura de Itaquaquecetuba. Apesar da cobrança de imposto por parte da prefeitura itaquaquecetubense, nenhum serviço de utilidade pública era realizado por ela. Em 2004, vereadores e o vice-prefeito de Poá passaram a tratar desse assunto diretamente com os moradores e a associação de amigos do bairro e em conjunto com os departamentos jurídicos dos dois municípios, foi encontrada uma solução.

No início de outubro de 2008, os vereadores e o vice-prefeito de Poá na época, em conjunto com os 77 moradores envolvidos entraram com um pedido de devolução das ruas ao município de Poá, através de certidões emitidas junto ao cartório de registro imobiliário, para que os moradores voltem a ser considerados habitantes de Poá.[14]

Em abril de 2011 o então prefeito de Poá prometeu um café da manhã com os moradores para conversar sobre o problema dessas vias que ainda não foram asfaltadas. Entretanto, ele não compareceu para o evento, e a prefeitura de Poá alega que todas as ruas de sua responsabilidade foram devidamente asfaltadas, e a prefeitura de Itaquaquecetuba não quis se pronunciar sobre o assunto quando foi procurada.[15]

Saúde[editar | editar código-fonte]

O bairro conta com duas principais unidades básicas de saúde (UBS), uma em Poá (UBS Edivaldo Lupetis) e outra em São Paulo. Elas fazem o atendimento básico para a população e desafogam o atendimento do Hospital Municipal Guido Guida e Maternidade Maria de Nazaré (em Poá) e do Hospital Geral de Itaim Paulista (em São Paulo).[16] [17]

Educação[editar | editar código-fonte]

O bairro abriga várias escolas de ensino fundamental e ensino médio sendo que uma delas, a Professor José Antônio Bortolozzo em Poá que foi demolida para dar lugar a uma escola modelo, que manteve o mesmo nome. O novo estabelecimento educacional municipal poaense tem 16 salas de aula, piscina semiolímpica aquecida, quadra poliespostiva, salas de música, entre outros. [18] O formato desse estabelecimento é semalhante ao dos Centros Educacionais Unificados que existem na Cidade de São Paulo, com alunos estudando em período integral.[19]

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Gnome globe current event.svg
Este artigo ou secção contém informações sobre uma construção futura.
É provável que contenha informações de natureza especulativa, e seu conteúdo pode mudar drasticamente.
Tower crane colorize.png

Nos últimos anos foram feitas obras e projetos sociais para melhorar a vida dos habitantes da região, estas obras foram feitas por todas as prefeituras dos municípios em que a Cidade Kemel faz parte. Exemplo disto é o "Pólo da Promoção", que é uma central de atendimento social da prefeitura de Poá. O local oferece pães e promove cursos de pintura, de manicure, e de dança.[20]

Em 26 de novembro de 2010 foi inaugurado pela prefeitura de Poá um Centro de Referência de Assistência Social, para atendimento ao habitantes de baixa renda do município.[21]

Na parte do bairro pertencente à Ferraz de Vasconcelos está em construção uma Praça de Esportes e da Cultura (PEC), que se trata de um complexo que possuirá cinco pavimentos e terá, entre outros equipamentos, playground, área de descanso, quadra poliesportiva, sala de informática, biblioteca e cineteatro com 60 lugares, além de um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). O prédio, que terá elevador para portadores de deficiência física, será inaugurado em 2014.[22]

Referências

  1. Jornal do Município - Serra tem domingo animado e de apoios em Cidade Kemel
  2. Notícias de Poá - Fotos na rodoviária do Kemel contam a história do bairro
  3. PONCIANO, Levino. São Paulo: 450 bairros, 450 anos. São Paulo: Editora Senac, 2004
  4. Notícias de Poá - Fotos na rodoviária do Kemel contam a história do bairro
  5. Notícias de Poá - Vereadora pede reparos em ruas
  6. Notícias de Poá - Moradores aguardam melhorias no Terminal do Kemel
  7. Cidade Kemel no WikiMapia
  8. :::: EMTU - Artigos Técnicos :::
  9. SPTrans - Itinerários
  10. Site Itaim Paulista - Subprefeitura anuncia o plantio de 500 mudas de ipês
  11. Prefeitura de São Paulo - Praça no Itaim é exemplo de cidadania
  12. Site Itaim Paulista - Dia das mães é comemorado no bairro Cidade Kemel
  13. Fundação Seade
  14. Notícias de Poá - Divisa: Poá e Itaquá dão esperança a moradores
  15. Diário de Suzano - Ruas sem asfalto causam transtornos aos moradores da Cidade Kemel
  16. Prefeitura de Poá - Governador libera recursos para UBS da Cidade Kemel
  17. Diário do Alto Tietê - Testinha vai levar PSF para a Cidade Kemel
  18. Notícias de Poá - Orquestra leva música à inauguração do Bortolozzo
  19. Jornal do Município - Treze grandes projetos transformam Poá em um “canteiro de obras”
  20. Notícias de Poá - Inaugurado Pólo Social na Cidade Kemel
  21. Notícias de Poá - Cidade Kemel ganha unidade do CRAS
  22. Diário de Suzano - Começam as obras do complexo esportivo e cultural do Cidade Kemel

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Brasaopoaense.gif Este artigo é um esboço sobre o município de Poá. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.