Volta Redonda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cidade do Aço)
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Volta Redonda
"Cidade do Aço"
"VR"
Praça Oscar Cardoso

Praça Oscar Cardoso
Bandeira de Volta Redonda
Brasão de Volta Redonda
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 17 de julho de 1954 (59 anos)
Gentílico volta-redondense
Lema Flumen Fulmini Flexit
Traduzido do latim, significa: "O rio ante o raio dobrou-se"
Prefeito(a) Antônio Francisco Neto (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Volta Redonda
Localização de Volta Redonda no Rio de Janeiro
Volta Redonda está localizado em: Brasil
Volta Redonda
Localização de Volta Redonda no Brasil
22° 31' 23" S 44° 06' 15" O22° 31' 23" S 44° 06' 15" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Sul Fluminense IBGE/2008 [1]
Microrregião Vale do Paraíba Fluminense IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Barra do Piraí, Barra Mansa, Pinheiral, Piraí e Rio Claro
Distância até a capital 127 km
Características geográficas
Área 182 km² [2]
População 260 180 hab. Estimativa IBGE/2012[3]
Densidade 1 429,56 hab./km²
Altitude 390 m
Clima Tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,771 (RJ: 4º) – alto PNUD/2010 [4]
PIB R$ 9 170 922,00 mil (BR: 59º) – IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 35 573,37 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.voltaredonda.rj.gov.br
Commons
O Commons possui multimídias sobre Volta Redonda

Volta Redonda é um município da microrregião do Vale do Paraíba, na mesorregião Sul Fluminense, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Também é conhecida como a "Cidade do Aço", por abrigar a Companhia Siderúrgica Nacional. Localiza-se a 22º31'23" de latitude sul e 44º06'15" de longitude oeste, a uma altitude de 390 metros. É cortada pelo Rio Paraíba do Sul, que corre de oeste para leste, sendo a principal fonte de abastecimento de água do município e também responsável pelo seu nome, devido a uma curva do rio[6] .

Seu santo padroeiro é Santo Antônio e seu lema em latim é Flumen Fulmini Flexit, ou seja, "o rio ante o raio dobrou-se". A cidade é limitada pelos municípios de Barra Mansa (Norte, Noroeste, Oeste e Sudoeste), Barra do Piraí (Nordeste), Pinheiral e Piraí (Sudeste e Leste), e Rio Claro (Sul).

Ocupa uma área de 182,317 km², sendo 54 km² na região urbana e 128 km² na zona rural. A população estimada em 2011 foi de 259 011 habitantes,[7] o que a torna a maior cidade da região Sul Fluminense e a terceira maior do interior do estado.

Juntamente com os municípios de Barra Mansa (7 km de distância), de Pinheiral (15 km de distância) e de Barra do Piraí (esta um pouco mais distante, 35 km, mas possuindo vários bairros em áreas limítrofes), constitui uma aglomeração de aproximadamente 400.000 habitantes, conforme as estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística para 2009, sendo, no estado, a maior mancha urbana fora da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Volta Redonda está numa área estratégica, a 310 km da cidade de São Paulo, maior metrópole do Brasil, e a 127 km da cidade do Rio de Janeiro, segunda maior metrópole nacional e capital fluminense. Também está próxima de cidades-polos regionais de outros estados, como Juiz de Fora (180 km) e São José dos Campos (220 km) e de outras cidades importantes, como Angra dos Reis (85 km), Taubaté (180 km), Petrópolis (170 km), Resende (50 km), Cabo Frio (280 km), dentre outras. Possuí o quarto mais alto IDH entre os municípios fluminenses, de 0.771 (em 2010[5] ), ficando atrás somente de Niterói e da capital, Rio de Janeiro, no Grande Rio, e de Rio das Ostras[5] [8] .

História[editar | editar código-fonte]

Até meados do século XVIII, a região era habitada pelos índios puris-coroados. A partir de então, começaram a chegar os seus primeiros ocupantes não índios, procedentes de "Nossa Senhora da Conceição do Campo Alegre da Paraíba Nova" (a atual cidade de Resende), à procura de ouro e pedras preciosas[9] .

Em 1765, José Alberto Monteiro obteve, do vice-rei Antônio Álvares da Cunha, conde da Cunha, uma sesmaria à margem do Rio Paraíba do Sul, onde, hoje, se encontra a maior parte do território do município, sendo considerado o primeiro "homem branco" a habitar suas terras. A partir de então, algumas povoações cresceram próximas às grandes fazendas de café que se formaram no século XIX, durante o ciclo do café.

Em 3 de outubro de 1832, foi criado o município de Barra Mansa. Parte considerável de Volta Redonda pertencia às suas terras. Por volta de 1860, foi criado o primeiro núcleo urbano, chamado "Arraial de Santo Antônio da Volta Redonda", no atual bairro histórico de Niterói. Em 1864, foi construída uma ponte de madeira sobre o Rio Paraíba do Sul, o que permitiu o escoamento da produção cafeeira das fazendas da margem direita do rio através do porto, que se localizava na margem esquerda. O porto permitia o comércio fluvial até a cidade de Barra do Piraí[10] .

As primeiras aspirações de autonomia do lugarejo surgem em 1874, quando os moradores pleitearam a elevação do povoado à categoria de freguesia, sendo que, em 1926, Volta Redonda conseguiu o seu estabelecimento definitivo como oitavo distrito de Barra Mansa. As fazendas de café da região foram sendo gradualmente substituídas por fazendas de gado leiteiro quando do declínio da produção cafeeira após a abolição da escravatura, em 1888[11] ..

Dessa época até a chegada da Companhia Siderúrgica Nacional, o então distrito denominado Santo Antônio de Volta Redonda (o oitavo do Município de Barra Mansa) cresceu lentamente, com o aparecimento de pequenas indústrias e cooperativas e pouco desenvolvimento estrutural e social.

Então, por volta de 1941, quando a usina começou a ser construída, Volta Redonda ganhou um desenvolvimento incomum, com a chegada de milhares de pessoas em busca de trabalho no "Eldorado" brasileiro. Em 1946, a Companhia Siderúrgica Nacional entrou em operação e a população de Volta Redonda continuou crescendo vertiginosamente com o surgimento de edificações por todos os lados.

Em 17 de julho de 1954, a "Cidade do Aço" se emancipou de Barra Mansa.

No entorno da siderúrgica, foi-se erguendo (na margem direita do Rio Paraíba) a vila operária, chamada então de "Cidade Nova", que só passaria à administração municipal em 1968 e que possuía melhor infraestrutura urbana e de serviços públicos que o restante do município, também chamado de "Cidade Velha". Até essa data, a prefeitura da cidade somente administrava a área correspondente à margem esquerda e alguns poucos bairros situados na margem direita, que ainda careciam de vários serviços básicos.

Em 1973, a cidade foi declarada pelo governo federal "área de segurança nacional", situação que perdurou até 1985 e que impossibilitou a população de eleger o prefeito do município, sendo este indicado pelo presidente da República. Na década de 1980, várias greves na Companhia Siderúrgica Nacional (que contava com mais de 30 000 empregados diretos e indiretos na própria empresa e em outras coligadas, somente em Volta Redonda) agitaram o meio político e social do município, culminando, durante a Greve de 1988, com a morte de três operários no interior de sua usina por militares do Exército, o que foi acompanhado de grande mobilização popular.

Em 1993, com a privatização da companhia, a cidade enfrentou grave problema econômico que só pôde ser contornado com a intervenção do poder público e com a reorientação da economia municipal para o comércio e a prestação de serviços, sendo a mais forte nesses quesitos no Sul Fluminense.

A partir de meados da década de 1990, diversas obras de urbanização, remodelamento do mobiliário urbano bem como outras de engenharia de grande porte (viadutos, novo Estádio Municipal, praças, escolas, ginásios) deram nova feição à cidade, tida hoje como a de melhor qualidade de vida no interior do estado do Rio, segundo pequisa feita pela Universidade Federal Fluminense.

Política[editar | editar código-fonte]

Poder Legislativo

O Poder Legislativo de Volta Redonda funciona no Palácio Vereador Francisco Evangelista Delgado, situado na avenida Lucas Evangelista de Oliveira Franco, no bairro Aterrado e conta hoje com 14 vereadores, sendo presidido atualmente pelo vereador Jair Nogueira Filho, do Partido Verde.

A Câmara de Vereadores da cidade é composta, atualmente, pelos seguinte nomes, eleitos para a legislatura 2009-2012:

Nome Partido
América Tereza Nascimento da Silva PMDB
Antônio Roberto Tavares PMDB
Carlos Roberto Paiva PT
Edson Carlos Quinto PR
Francisco Novaes Filho PP
Geraldo Costa Júnior (2º Secretário) PDT
Jair Nogueira Filho (Presidente) PV
José Augusto de Miranda PSL
José Martins de Assis (2º Vice-Presidente) PMDB
Luis Cláudio da Silva DEM
Marco Antonio da Cunha PCdoB
Neuza Maria Ferreira Jordão (1º Secretário) PV
Nilton Alves de Faria (1º Vice-Presidente) PCdoB
Paulo César Lima Conrado PSL
Poder Executivo

O Poder Executivo de Volta Redonda funciona no Palácio 17 de Julho, na praça Sávio Gama, bairro Aterrado.

Palácio 17 de Julho, sede da prefeitura

O chefe do executivo é o prefeito Antônio Francisco Neto (Partido do Movimento Democrático Brasileiro), tendo o município Nelson Kruschewsky dos Santos Gonçalves (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) como vice-prefeito, com ambos a exercer suas funções desde 1º de janeiro de 2009. O prefeito Neto, como é conhecido, está à frente da prefeitura da cidade pelo terceiro mandato, já tendo ocupado o cargo entre os anos de 1997 e 2004.

Ao longo de sua história, Volta Redonda já teve dezenove prefeitos, sendo que todos aqueles que ocuparam o cargo, entre 1977 e 1985, foram indicados pelo Governo Federal, haja visto o município, à época, ser considerado, a partir de 1973, área de segurança nacional. A cidade teve ainda o primeiro prefeito brasileiro a sofrer o processo de impedimento para o exercício do cargo, que foi César Cândido Lemos, no ano de 1960.

Poder Judiciário

O Poder Judiciário estadual em Volta Redonda funciona em instalações novas, havendo o prédio sido inaugurado em agosto de 2008, localizado no bairro Vila Americana, no qual foram unificadas as instalações da Justiça estadual e dos Juizados Especiais Cível e Criminal. O Fórum conta com seis varas Cíveis, três varas de Família, duas varas Criminais, dois Cartórios do Juizado Especial Cível e um Criminal.

Volta Redonda conta, também, com três varas da Justiça do Trabalho, todas situadas no bairro Aterrado, região central do município, além de 3 varas federais mistas, bem como 2 Juizados Especiais Federais, da Seção Judiciária fluminense da Justiça Federal, as quais têm jurisdição sobre os municípios de Volta Redonda, Barra Mansa e Pinheiral, localizadas no bairro Aterrado.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, cuja sede regional também está no município, no bairro Voldac, Volta Redonda possui o maior colégio eleitoral do sul do estado do Rio de Janeiro com 216 938 eleitores, sendo 115 228 mulheres e 101 621 homens distribuídos em quatro zonas eleitorais com 567 seções em 66 locais de votação, tendo uma densidade demográfica de eleitores em torno de 1 190 por quilômetro quadrado.

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

Para melhor atender aos voltarredondenses e planejar com maior eficiência o desenvolvimento urbano, a prefeitura dividiu o Município em sete setores na organização do Plano Diretor da cidade.

Os sete setores foram definidos com 51 bairros "oficiais" e outros tantos "não oficiais", contando a cidade com apenas um distrito.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população do município de Volta Redonda, de acordo com o último censo realizado pelo IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, divulgado em 1º de dezembro de 2010, apresenta os seguintes dados:

  • População masculina: 122 919 habitantes - 47,67%,
  • População feminina: 134 884 habitantes - 52,33%,
    • Total das populações por gênero: 257 803 habitantes - 100,00%.
  • Zona urbana: 257 686 habitantes - 99,95%,
  • Zona rural: 117 habitantes - 0,05%,
    • Total da população do município: 257 803 habitantes - 100,00%.

Até o início da década de 1940, Volta Redonda se apresentava como um pequeno povoado, com uma população que não alcançava 3 000 pessoas, concentradas na margem esquerda do Rio Paraíba do Sul, além de pequenos núcleos esparsos. Com o início das obras da Companhia Siderúrgica Nacional sua população saltou para mais de 9 000 pessoas, levando-se em consideração que, aproximadamente dois terços desse contingente era formado dos empregados diretos da empresa. Esta foi, ainda, responsável pelo crescimento demográfico acelerado que se verificou nas décadas seguintes, resultando, já para 1950, quatro anos antes de sua emancipação, uma população fixa de 35 965 pessoas, que perfaziam a maior parte dos habitantes do município de Barra Mansa, ao qual pertencia como distrito naquele momento. Até os anos 1980, quando a Companhia Siderúrgica Nacional finalizou seus planos de expansão e o país começou a atravessar grave crise econômica, a empresa e outras indústrias que vieram a se instalar no município se mantinham como o principal indutor da migração de pessoas para a cidade. Nos anos 1990, após transformações na economia municipal, verificou-se um decréscimo na ampliação do quadro demográfico, com os últimos dados mostrando uma população recenseada de 257 803 habitantes no ano de 2010.

Evolução demográfica da cidade de Volta Redonda.[12]

Clima[editar | editar código-fonte]

Gráfico climático para Volta Redonda
J F M A M J J A S O N D
 
 
240
 
30
20
 
 
195
 
30
20
 
 
158
 
30
20
 
 
86
 
28
18
 
 
45
 
26
15
 
 
33
 
25
13
 
 
24
 
25
13
 
 
28
 
26
14
 
 
67
 
26
15
 
 
110
 
27
17
 
 
153
 
28
18
 
 
208
 
29
20
Temperaturas em °CPrecipitações em mm
Fonte: Tempo Agora

O clima é Tropical de altitude Cwa mesotérmico, com verões quentes e chuvosos e invernos secos. A umidade relativa do ar é alta (77%), mesmo nos meses de frio, quando varia entre 71% e 72%. A temperatura média compensada é de 20°C, a média mínima anual de 16,5°C e média máxima anual de 27,8°C. A precipitação média anual é de 1.377,9mm, sendo janeiro e fevereiro os meses com maior incidência de chuvas. Sentido noroeste, porém a localização do município, em fundo de vale, faz com que na maior parte do tempo haja calmaria. Isso dificulta a dispersão dos gases e partículas, lançadas principalmente pela usina siderúrgica e pela grande quantidade de veículos automotores circulantes, os quais perfazem mais de 100 000 veículos registrados no município,[13] e provoca alterações no micro-clima.

É comum, no inverno, o fenômeno da inversão térmica, causado pela camada de poluição que permanece sobre a cidade, formando uma barreira à penetração dos raios solares, diminuindo a insolação e impedindo a liberação do calor e das novas cargas de poluentes lançados a cada dia.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O Rio Paraíba do Sul domina a paisagem urbana de Volta Redonda; é o corpo-receptor natural de toda a malha hidrográfica do município e, ao mesmo tempo, o grande manancial de que a cidade dispõe para seu abastecimento.

A estrutura hidrográfica da região caracteriza-se pela grande quantidade de riachos e córregos perpendiculares ao rio Paraíba do Sul, conformando pequenas bacias ao longo de seu curso. Na região, destacam-se as bacias do rio Turvo, à margem esquerda, e a do rio Piraí, à margem direita.

Em Volta Redonda, os afluentes do rio Paraíba do Sul são, pela margem esquerda, o Ribeirão do Inferno e os córregos do Peixe, Santo Antônio, Santa Rita, União, Coqueiros, do Açude, dos Carvalhos, Bugio e Ano Bom; e, pela margem direita, os córregos Ponte Alta, Secades, Brandão, Água Limpa, Minerlândia, Cachoeirinha, Dourados, São Geraldo, Jardim Amália, Cafuá, Vila Rica, Serenon e o ribeirão Três Poços.

Para o abastecimento de água da população, são captados, em média, quase 1000 litros por segundo, ou 86,4 milhões de litros por dia. Esta captação é feita no rio Paraíba, na altura do bairro Belmonte.

Em Volta Redonda, o rio Paraíba do Sul sofre uma redução em sua vazão média, com relação ao município de Barra Mansa, que está situado imediatamente a montante. A vazão média verificada em Volta Redonda é de, aproximadamente, 318 m³/s, enquanto que em Barra Mansa a vazão média é superior em, pelo menos, 6 m³/s. Tal fato deriva da diferença entre o volume de captação e o volume de contribuição que incidem sobre o rio, no trecho que corta a cidade. A presença da usina da CSN é fundamental para explicar essa diferença, pois a empresa consome grande volume de água, captando cerca de 12 m³/s, através de uma derivação lateral.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Acompanhando o Rio Paraíba do Sul, que corta Volta Redonda pelo meio, no sentido sudoeste-leste, a área urbana do Município fica situada às suas margens, em uma planície circundada por colinas. A altitude varia de 350 metros, às margens do rio, a 707 metros, na ponta nordeste.

Do ponto de vista topográfico, o território municipal pode ser dividido em duas grandes áreas: a área de planície aluvial e a área de "mar de morros".

A área da planície aluvial tem, aproximadamente, 20 km²: 15 km² na margem direita e 5 km² na margem esquerda do Rio Paraíba do Sul. Encontra-se embutida no conjunto de elevações circundantes, que formam a área do "mar de morros".

Esses morros têm forma de "meia-laranja" emborcada, com alturas que variam de 50 a 200 metros de declividades da ordem de 25 a 50%. No "mar de morros", as áreas mais planas correspondem a pequenos setores descontínuos, situados nos topos achatados dos morros e no fundo dos pequenos vales intermediários.

Observe-se que as altitudes e declividades se acentuam nas próximas da Serra do Mar, ao sul, e da Serra da Mantiqueira, ao norte. Em especial, na porção norte do Município são encontradas encostas íngremes e as maiores altitudes.

Na porção sul, em meio ao "mar de morros", encontram-se algumas áreas planas ou de topografia suave, que formam dois conjuntos de áreas planas agregadas (clareiras topográficas), cada um deles com, aproximadamente, um quilômetro quadrado[carece de fontes?]. O primeiro conjunto é o que vem sendo ocupado nas últimas décadas por empreendimentos habitacionais, a partir dos bairros Casa de Pedra e Siderópolis, no sentido norte-sul. O segundo localiza-se nas proximidades da Rodovia Presidente Dutra.

Economia[editar | editar código-fonte]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Com pequena expressão na economia municipal, haja vista a cidade ter tido por muitos anos a sua economia voltada basicamente para indústria, a agropecuária se faz presente, principalmente, na criação de gado no extremo Sul (na divisa com Rio Claro), no extremo Norte próximo ao distrito de Nossa Senhora do Amparo (Barra Mansa), e no extremo Leste, no bairro Três Poços, próximo à divisa com Pinheiral, com destaque para a produção de leite. Ao todo, o município conta com cerca de 10 mil cabeças de gado. No extremo Oeste do município, o bairro Santa Rita de Cássia é o maior produtor de hortaliças do Sul Fluminense.

Anualmente, o município organiza a Expo-VR na Ilha São João, onde há exposição da produção agropecuária de Volta Redonda e região além de shows abertos ao público.

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Além da maior siderúrgica da América Latina, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), CSN Cimentos (do grupo CSN), a Usina de Oxigênio e Nitrogênio da White Martins,além da Companhia Estanifera Brasileira (CESBRA).

Em diversos pontos da cidade, principalmente às margens da Rodovia dos Metalúrgicos, há outras indústrias de menor porte, voltadas tanto para a área de metal-mecânica, alimentos e vestuário. Está previsto a criação de um novo pólo industrial às margens da Rodovia Nelson dos Santos Gonçalves, e outro na Rodovia Presidente Dutra.

  • Companhia Siderúrgica Nacional

A CSN foi fundada em 9 de abril de 1941, e iniciou suas operações em 1º de outubro de 1946. A usina é um marco no processo brasileiro de industrialização, pois foi a primeira produtora de aço do país. Privatizada em abril de 1993, no governo Itamar Franco, passou por um profundo processo de reestruturação, o que a transformou num dos maiores complexos siderúrgicos da América Latina, com capacidade de produção de 5,8 milhões de toneladas anuais de aço bruto.

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Apesar de ainda fortemente marcada pela indústria, Volta Redonda não é mais considerada uma cidade operária, pois, além de ser a maior cidade de toda a região Sul Fluminense em termos econômicos e populacionais, possui uma infraestrutura de comércio e serviços que não fica restrita a um só bairro. Há, na Vila Santa Cecília, inúmeras clínicas e consultórios médico-odontológicos, centros comerciais e escritórios de profissionais liberais que não só atendem a população local como atraem pessoas de várias cidades vizinhas, e de outros estados, já que a cidade possui uma área de influência que atinge municípios do Vale do Paraíba Paulista e Sul de Minas Gerais.

Três outros centros comerciais se destacam: Centro, Aterrado e Retiro (média centralidade) atendendo a toda a cidade e no Santo Agostinho, outro de menor proporção (pequena centralidade), concentrando-se no próprio bairro e atendendo as localidades circunvizinhas.

A cidade possui diversas instituições financeiras, sendo 28 agências e diversos postos de atendimento bancários espalhados pelos bairros cidade, diversas financeiras e vários centros de auto atendimento espalhados pelos centros comerciais do município. É também a cidade-sede do maior jornal da região Sul Fluminense, o Diário do Vale e da Superintendências Regionais no Sul Fluminense do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

  • Mercado Popular

Com uma Praça de Alimentação que funciona de segunda-feira a segunda-feira, durante 24 horas por dia, o mercado popular situa-se na Vila Santa Cecília e possui em seu entorno, à esquerda, a Praça Brasil; à direita, a Universidade Federal Fluminense; ao fundo, o Colégio Estadual Manuel Marinho e, em frente, o Banco do Brasil.

Foi inaugurado em 27 de abril de 2001, com o objetivo de estruturar e organizar o mercado informal na Vila Santa Cecília, concentrando os ambulantes que atuavam no entorno da Praça Brasil. A construção em alvenaria e estrutura metálica abriga 92 quiosques com comércio diversificado e uma praça de alimentação, com diversas lanchonetes.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Transporte público

Atualmente, quatro empresas de transporte coletivo servem o município, num total aproximado de 200 veículos, 43 linhas municipais, média de 120 mil viagens, e 65 mil passageiros/dia.

Os horários de maior movimento são os do início da manhã e o do final da tarde. Os principais bairros de origem são o Santa Cruz e o Santo Agostinho. Já os de destino são a Vila Santa Cecília, o Aterrado e Retiro.

Ônibus urbano padronizado com as cores de Volta Redonda

Está em curso um reordenamento da distribuição do transporte coletivo municipal, tendo em vista que o plano atual está em vigor desde a década de 1970, que visa à modernização e à racionalização do transporte de massa e a diminuição do número de veículos nas ruas da cidade.

Além disso, a frota de automóveis por habitante de Volta Redonda é a segunda maior do Brasil, com um carro para cada três moradores, perdendo apenas para a cidade de São Paulo.

Rodovias

Volta Redonda é cortada por duas das principais rodovias brasileiras. A Rodovia Presidente Dutra (BR-116), ligando a cidade do Rio de Janeiro à cidade de São Paulo, e a Rodovia Lúcio Meira (BR-393).

Rodovia Presidente Dutra, no trecho que atravessa Volta Redonda. À direita, o terreno que irá abrigar o Hospital Regional do Médio Paraíba.

Além destas, conta ainda com a RJ-153, rodovia estadual que liga o município ao Sul de Minas Gerais, passando pelo Distrito de Nossa Senhora do Amparo. Esta é uma importante estrada para o escoamento da produção de leite das fazendas do distrito barramansense e do bairro Santa Rita do Zarur.

Entre as estradas e rodovias municipais, cabe destacar a Rodovia Nelson dos Santos Gonçalves (braço da BR-393, ainda não inaugurado), conhecida popularmente como "Rodovia do Contorno" estrada que deverá tirar o tráfego pesado da Zona Central do Município, ligando a rodovia Lúcio Meira à Rodovia dos Metalúrgicos (VRD-001), também municipal e que liga o Centro ao Conjunto Habitacional Vila Rica, e também aos bairros do Complexo Roma, facilitando o acesso entre as Zonas Leste e Sul da cidade. Entre os bairros Casa de Pedra e Vila Santa Cecília, cabe citar a Rua 60 (VRD-004), alternativa para o acesso ao centro comercial do município.

Outra via de acesso a cidade é a Via Sérgio Braga (VRD-100), principal acesso daqueles que vêm da cidade de Barra Mansa em direção à Zona Central de Volta Redonda, é uma auto-pista com tráfego intenso porém dificilmente congestionado, devido à quantidade de faixas de rolamento e vias de escoamento, que corta os bairros da Zona Oeste que se situam na margem direita do rio Paraíba do Sul, marcadamente o Ponte Alta e o Conforto. Para tentar conter o tráfego, a Prefeitura construiu a Via Expressa Afrânio Bastos, paralela à Via Sérgio Braga, que contorna o cruzamento semaforado desta com a entrada/saída do Elevado Castelo Branco, permitindo mais rapidez na ligação para Barra Mansa.

A Radial Leste Antonio Pedro da Costa, ou, simplesmente, "Sr. AP", liga a Rodovia Lúcio Meira ao bairro Niterói, evitando o trânsito intenso da avenida Amaral Peixoto (Centro) e do viaduto Nossa Senhora das Graças.

A Estrada Francisco Vilela Arantes, conhecida como "Estrada Volta Redonda - Getulândia", que liga o bairro Roma II à Getulândia (distrito de Rio Claro), onde esta encontra a RJ-155, é uma alternativa para ir ao município de Angra dos Reis, no litoral sul-fluminense. Esta estrada atravessa a área rural sul do Município. É preciso tomar alguns cuidados ao usá-la, pois é muito estreita e cheia de curvas. Diminui em 20 quilômetros a distância entre Volta Redonda e o litoral.

A Avenida Francisco Torres (VRD-102), que faz a ligação dos bairros Voldac e São Luís, a Avenida Sávio Cotta de Almeira Gama (VRD-103) interligando o bairro Niterói ao bairro Açude, por meio da Avenida Antônio de Almeida (também parte da VRD-103), todos situados à margem esquerda do Rio Paraíba, conjuntamente com a Avenida Almirante Adalberto de Barros Nunes (VRD-002), popularmente conhecida como "Beira-Rio", entre os bairros Niterói e Jardim Belmonte.

A Estrada Volta Redonda - Pinheiral Avenida Paulo Erlei Alves Abrantes (VRD-101), atravessando bairros como o Pedreira, Três Poços e Vila Rica, é hoje um dos principais vetores de desenvolvimento urbano da cidade.

O sistema viário da cidade é baseado em vias radiais, sendo um dos melhores dentre as de seu porte, e está configurado da seguinte maneira, observada a disposição dos principais troncos coletores:

  • tronco Centro - Oeste/Sul, pela margem direita do Rio Paraíba, representado pela Via Sérgio Braga e secundariamente pela Rua 4;
  • tronco Centro - Oeste/Norte, pela margem esquerda do Rio paraíba, compreendendo a Avenida Beira-Rio e subsidiariamente as Avenidas Sávio Gama e sua principal continuação, a Antônio de Almeida;
  • tronco Centro - Leste/Sul, pela margem direita do Rio Paraíba, correspondendo à Rodovia Lúcio Meira;
  • tronco Centro - Leste/Norte, pela margem esquerda do Rio Paraíba do Sul, representado pela Estrada Francisco Torres;
  • tronco Centro - Sul/Oeste, representado pelo leito da Rodovia Lúcio Meira (Rua 207) e secundariamente pela Rua 249;
  • tronco Centro - Sul/Centro, tendo a Rodovia dos Metalúrgicos como vetor principal e o eixo da Rua Sessenta e suas subsequentes como vetores secundários;
  • tronco Centro - Sul/Leste, correspondendo à Estrada Volta Redonda - Pinheiral;
  • tronco Centro - Norte/Centro, representado pela RJ-153.

Diversas outras vias constam no planejamento do sistema viário municipal, havendo estradas, avenidas e rodovias planejadas, implantadas e/ou já pavimentadas, como a VRD-002, entre o bairro Ponte Alta e a Rodovia Presidente Dutra; VRD-003, entre os bairros Santa Rita do Zarur e Vila Brasília; VRD-006, atualmente acesso ao bairro Candelária, com previsão de implantação até a VRD-104, entre o bairro Santa Cruz e a RJ-153, em entroncamento com a VRD-105, na região Norte do município, próximo à divisa com Barra Mansa na altura do distrito de Nossa Senhora do Amparo; e VRD-200, entre o bairro Voldac e a BR-393, atravessando o bairro Santo Agostinho e a Ilha São João.

Transporte aéreo

Após a desativação do aeroporto municipal situado no bairro Aero Clube, devido ao crescimento do Município no seu entorno ao longo dos anos, está prevista a construção, no bairro Roma II, na divisa com o município de Piraí, do Aeroporto Regional Vale do Aço, numa área de 1 600 000 metros quadrados, que irá atender a todo o Vale do Paraíba Fluminense. Para que a obra tenha início, é necessária a liberação do Instituto Estadual do Ambiente devido a questões ambientais.

Trem-Bala

A cidade poderá receber uma das estações do Trem de Alta Velocidade no Brasil, que terá a função de interligar as duas grandes metrópoles brasileiras: São Paulo e Rio de Janeiro. Segundo o projeto, o TAV partirá da Estação da Luz, na capital paulista, até a Estação Leopoldina, no Rio de Janeiro, num total de 412 quilômetros entre as duas cidades. A Estação Volta Redonda deverá ficar no bairro Roma II, ou às margens da Rodovia dos Metalúrgicos. Há ainda a possibilidade da estação ficar localizada no município vizinho de Barra Mansa. O custo da passagem entre Volta Redonda e São Paulo está previsto para R$ 97,50, com duração da viagem em torno de 71 minutos e para o Rio de Janeiro, R$ 40,20, com duração em torno de 34 minutos.

Turismo[editar | editar código-fonte]

  • Zoológico Municipal - "Parque Municipal da Criança"

Localizado no bairro Vila Santa Cecília, numa área verde de 150 mil metros quadrados, o Zoológico Municipal de Volta Redonda, também conhecido como "Horto Municipal" e oficialmente nomeado "Parque Municipal da Criança", completou 30 anos em 2011. Conta com quatrocentos animais de cem espécies diferentes e uma excelente estrutura para receber os visitantes, sendo uma das opções de lazer mais concorridas da cidade, principalmente em finais de semana e feriados, devido também à proximidade com a Mata da Cicuta com uma das reservas de Mata Atlântica do Município. É também o único zoológico do interior do estado do Rio de Janeiro.

  • Fazenda Santa Cecília do Ingá

É a maior área verde da cidade, com 211 hectares. Desde novembro de 2005, o local foi transformado num Parque Natural Municipal, aberto à visitação pública. Fica a cerca de 10 quilômetros do Centro de Volta Redonda, no bairro Santa Cruz. No local são produzidas 5000 mudas de árvores por mês, que recompõem áreas degradadas do município.

  • Fazenda Santa Cecília

Uma das grandes e importantes fazendas oriundas dos desmembramentos ocorridos nas extensas sesmarias da região do Vale do Paraíba Fluminense, em meados de 1820. A fazenda foi adquirida pelo governo do estado do Rio de Janeiro, em 1º de setembro de 1941, e doada à Companhia Siderúrgica Nacional com o objetivo de viabilizar a instalação da Usina e da Vila Operária, hoje Vila Santa Cecília. Para garantir a preservação do ecossistema, todos os equipamentos de esporte e lazer foram colocados à disposição do público na área da Fazenda Santa Cecília, que vem a ser o entorno da Reserva da Mata da Cicuta. Foram instaladas placas indicativas em diversos pontos da reserva, para orientar os visitantes de que a entrada na mata é proibida. A principal preocupação é garantir a integridade do espaço e criar uma cultura ambientalista direcionada para a população e os visitantes.

  • Sede da Fazenda Três Poços

O atrativo é afastado do centro urbano, no bairro Três Poços, em área arborizada, com alamedas e canteiros gramados. Possui em seu entorno a Fundação Osvaldo Aranha, alguns morros e um grande jardim com árvores de grande e médio porte, além de arbustos e flores. A construção, que desde 1970 abriga a Escola de Engenharia de Volta Redonda, era propriedade do Comendador Lucas Antônio Monteiro de Barros. Após sua morte, sua viúva assumiu a administração da Fazenda e ao falecer, deixou-a em testamento aos padres beneditinos. Atrás dela encontram-se ruínas de uma beneficiadora de arroz, onde hoje funciona uma oficina que atende à escola. Nos fundos dessa oficina havia um alambique e em uma das fachadas há a inscrição "1864".

  • Morro Bela Vista

O Morro Bela Vista, situado em bairro residencial do Bela Vista, possui 435 metros de altitude, oferecendo vista parcial da Usina Presidente Vargas e de grande parte da área do município. Destacam-se, ainda, as instalações do Hotel Bela Vista, situado no topo desse morro.

  • Morro da Torre de Tevê

O Morro da Torre de TV, situado no bairro Coqueiros, com altitude aproximada de 512 metros, possui um pequeno mirante próximo às instalações da torre de retransmissão de TV. No seu entorno, encontram-se morros com cumes arredondados e com vegetação de pequeno porte, denominados "meias laranjas". Do mirante, também é possível observar uma significativa área do município, com ênfase no complexo da Companhia Siderúrgica Nacional e em grande extensão do Rio Paraíba do Sul.

  • Praça Sávio Gama

Na praça que homenageia o primeiro prefeito do município, o Doutor Sávio Gama, e onde situa-se o Palácio 17 de Julho (Prefeitura Municipal), encontram-se quatro jardins que fazem parte do "Projeto de Paisagismo", com o objetivo de mostrar, à população, um pouco dos estilos de jardins existentes no mundo:

- Asiático (Japão / China): jardim utilizando espécies que aceitam topiaria (poda escultural), como por exemplo, tuias, azaleias e ixórias.

- Europeu (França / Espanha / Inglaterra): caracteriza-se por formar espécies geometricamente simétricas, estátuas etc. Visa a mostrar a riqueza econômica e cultural dos povos europeus (buchinho e cinerária).

- Africano (África): apesar de ser uma região com pouco recurso hídrico e muito sol, retrata-se as espécies existentes nesta região que apresentam seus valores ornamentais (cactos e barba-de-bode).

- América (Brasil): é a região do continente que apresenta uma grande diversidade de espécies e principalmente de grande valor ornamental (orquídeas e bromélias).

  • Praça Oscar Cardoso

Localizada no bairro Casa de Pedra, às margens da Rodovia dos Metalúrgicos, a praça Oscar Cardoso, a maior do município, possui um chafariz interativo bastante frequentado pela população durante os dias de calor. Bem no meio da praça, 126 bicos de 2" de diâmetro lançam jatos variados de água de 5 metros de altura. A praça de 23 000 metros quadrados, possui ainda um pequeno chafariz, uma pista de 550 metros para cooper, um anfiteatro, raias para jogos de bolas de gude, playground, mesas de damas e xadrez e um amplo estacionamento.

  • Obelisco Getúlio Vargas

O monumento é um obelisco em formato quadrangular, pesando mais de 900 toneladas de granito e medindo 27 metros de altura. Possui em sua larga base uma superfície esculpida em baixo relevo com representação dos quatro principais setores da Companhia Siderúrgica Nacional: a coqueria, o alto-forno, a aciaria e a laminação. A obra ostenta ainda os seguintes dizeres: "Ao presidente Getúlio Vargas, criador de Volta Redonda, esta homenagem: 54/59". Ao seu redor existe um espelho d'água. A estátua em bronze de Getúlio Vargas encontra-se em pé, com a mão esquerda no bolso e a direita na posição de segurar o charuto. Ao lado, encontram-se duas figuras de mulheres nuas, simbolizando a indústria e a agricultura. Finalmente, fechando o círculo, encontra-se a escultura em bronze do operário siderúrgico, com indumentária característica. O obelisco, assim como a Praça Brasil, encontra-se tombado pelo Patrimônio Histórico do município.

  • Memorial 9 de Novembro

O Memorial 9 de Novembro, de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer, foi inaugurado no dia 1º de maio de 1989, na Praça Juarez Antunes, na Vila Santa Cecília, em homenagem aos três operários da CSN (William, Walmir e Barroso), mortos durante conflito com as tropas do Exército, que aconteceu na greve dos operários em 1988. No dia seguinte à inauguração, por volta das três horas da manhã, o local foi parcialmente destruído por um atentado à bomba. Com a explosão, o memorial tombou para frente, ficando preso apenas pelos vergalhões. O memorial é composto por um bloco de concreto com imagem de três corpos em baixo relevo. O do meio é transpassado por uma lâmina, também de concreto. A pedido do próprio Niemeyer ele não foi remodelado e sim mantido como ficou. O arquiteto pediu ainda que se colocasse a seguinte frase em uma placa: " Um monumento aqueles que lutam pela Justiça e pela Igualdade ". Foi reinaugurado em 12 de agosto de 1989.

  • Memorial Volta Redonda

Localizado na interseção da Rodovia Presidente Dutra com a Rodovia dos Metalúrgicos, no bairro Rio das Flores o monumento, de autoria do arquiteto Roberto Pimenta da Cruz, é uma alegoria à curva do Rio Paraíba do Sul e à divisa constante do Brasão de Armas do município: "Flvmen Fvlmini Flexit", expressão latina que significa: "O rio, ante o raio, dobrou-se". A construção, relacionada à atividade maior da cidade, é de estrutura metálica, pintada em verde para confundir-se com o fundo (floresta) e deixar a curva, pintada em cor laranja, com aparência de solta no ar.

Construída em 1903, pelo Dr. José Rodrigues Peixoto, foi um antigo engenho produtor de aguardente e açúcar, que mais tarde foi adquirido pelo Coronel Aprígio Cravo para produção de laticínios. Situada no bairro de Nossa Senhora das Graças, foi utilizada também como funerária e outras atividades comerciais. O prédio do engenho foi demolido no governo do prefeito João Paulo Pio de Abreu, quando foi construído o viaduto de Nossa Senhora das Graças. Porém, a chaminé do engenho foi mantida, por ter sido considerada marco histórico da cidade. Dessa forma, foi tombada pela prefeitura de Volta Redonda, em 18 de dezembro de 1985, pelo decreto 2 105, no governo de Benevenuto dos Santos Neto. A chaminé está situada em um pedestal, toda revestida em tijolo aparente, contornada por beiral. Com altura aproximada de 40 metros, a chaminé chega ao topo com 2 metros de largura, onde há um beiral com a data de construção. Nos dias que antecedem o natal, é colocado um Papai Noel em uma escada como se estivesse subindo a chaminé chamando a atenção de quem passa pelo viaduto de Nossa Senhora das Graças.

  • Praça Brasil

Inaugurada em 24 de janeiro de 1957 no bairro Vila Santa Cecília, com a presença do presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira. A comissão de construção foi presidida pelo Tenente Oscar Arthur de Mello de Morais e o projeto e a execução do arquiteto Leão Velloso. Na praça existem quatro estátuas: a de Getúlio Vargas; a de homenagem especial ao General Edmundo de Macedo Soares e Silva, idealizador e construtor de Volta Redonda; a do Trabalhador e a em homenagem aos Engenheiros e Técnicos que orientaram a construção da usina.

Sociedade[editar | editar código-fonte]

Volta Redonda possui a maior malha urbana do interior do Rio. Com 95% das ruas asfaltadas, 100% dos domicílios com atendimento de água potável, 89,2% de rede de esgoto e 90% de energia elétrica. Os bairros de maior população são o Retiro, Santo Agostinho, Vila Brasília e Casa de Pedra.

Educação[editar | editar código-fonte]

Volta Redonda possui uma rede de ensino que oferece desde o estudo básico até o ensino superior, com inúmeros cursos universitários e formação técnica profissional especializada, principalmente nas áreas mecânica e metalúrgica. A rede municipal de ensino público e particular conta com mais de 80 escolas, em sua grande maioria de ensino fundamental.

Destacam-se na cidade os colégios Getúlio Vargas (bairro Laranjal), José Botelho de Athayde (bairro Vila Americana) e Themis de Almeida (bairro Conforto) administrados pela Fundação Educacional de Volta Redonda - Fevre, órgão subordinado à Prefeitura que oferece desde o ensino fundamental ao ensino médio, assim como os da rede particular, nos quais se destacam os colégios MV1 Macedo Soares, Nossa Senhora do Rosário, Colégio do Instituto Batista Americano (Ciba), Instituto de Cultura Técnica (ICT), Colégio Anglo-Americano, Garra Vestibulares, Centro Educacional Jardim Amália (CEJA), entre outros.

A cidade também conta com uma escola especializada em formação de professores, o Instituto de Educação Professor Manuel Marinho, no bairro Vila Santa Cecília, além da Escola Técnica Pandiá Calógeras (ETPC), especializada em formação técnico-profissional em Mecânica, Eletrônica, Eletromecânica, Telecomunicações, Telemática, Informática, Metalurgia, Metalmecânica, Administração, Segurança do Trabalho, localizada no bairro Sessenta. No bairro não oficial de Volta Grande III, está, ainda, localizada uma unidade da Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC), do governo estadual fluminense, voltada principalmente para o ensino técnico de Informática. Recentemente também foi instalado no bairro Nossa Senhora das Graças uma unidade do Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET).

Diversas instituições de ensino superior, que oferecem vários cursos universitários, também podem ser encontradas na cidade.

Instituições de ensino superior[editar | editar código-fonte]

Universidade Federal Fluminense (UFF) – Polo Universitário de Volta Redonda

Localizada na Vila Santa Cecília, fazem parte do polo a Escola de Engenharia Industrial e Metalúrgica de Volta Redonda - EEIMVR, que oferece cursos na área de Engenharia Metalúrgica, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Engenharia de Agronegócios e Administração de Empresas, sendo esta última embrião da Escola de Ciências Humanas e Sociais de Volta Redonda. A unidade está em fase de ampliação e em breve o campus da UFF terá duas unidades unidades acadêmicas: a Unidade de Engenharia e Ciências Básicas (ECB) e a Unidade de Humanidades, Ciências Sociais e Ciências Sociais Aplicadas (HCS).

Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA)

Localizado em Volta Redonda, o UniFOA possui diversos campus na cidade que oferecem cursos nas áreas de Design, Direito, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica (mecânica industrial e energia e petróleo), Fisioterapia, Medicina, Nutrição, Odontologia, Serviço Social, Sistemas de Informação, Manutenção Industrial, Produção Industrial, Redes de Computadores, Administração, História, Letras, Recursos Humanos, Formação de Docentes para Ensino Superior, Psicopedagogia, Meio Ambiente e Marketing; esses campus e núcleos situam-se nos bairros Três Poços, Aterrado, Tangerinal, Vila Santa Cecília e Colina (anexo ao Hospital Municipal São João Batista).

Centro Universitário Geraldo Di Biase (UGB) - Campus Aterrado

Pertencente à Fundação Educacional Rosemar Pimentel (Ferp), localiza-se no bairro Aterrado, cujo campus oferece cursos nas áreas de Administração, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Biológicas, Direito, Economia, Geografia, História, Letras, Computação, Matemática e Pedagogia. Possui, ainda, unidades nas cidades de Barra do Piraí e Nova Iguaçu.

Centro Universitário de Barra Mansa (UBM) - Campus Cicuta

Localizado entre os municípios de Volta Redonda e Barra Mansa, o campus oferece cursos em áreas diversas, tais como: Administração, Artes Visuais, Direito, Engenharia da Computação, Engenharia de Produção, Engenharia de Automação e Controle, Engenharia de Petróleo, e Enfermagem.

Centro de Educação a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cederj) – Campus Volta Redonda

Da união de várias universidades criou-se no município um pólo de ensino semi-presencial do Cederj, localizado nas dependências do estádio Raulino de Oliveira no bairro Nossa Senhora das Graças com o nome de Professor Darcy Ribeiro. Com capacidade para cerca de 5000 alunos, o pólo possui cursos de Matemática, Ciências Biológicas, Tecnologia em Computação, Física e Pedagogia.

Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ (antigo Cefet Química) - Campus Volta Redonda

Em funcionamento desde agosto de 2008 e inaugurado em março de 2009 o IFRJ possui cursos técnicos de Metrologia e Automação Industrial além das licenciaturas de Física e Matemática. Possui também cursos de atualização e especialização.

Saúde[editar | editar código-fonte]

A cidade de Volta Redonda possui uma das redes de saúde mais completas do interior do estado do Rio de Janeiro[carece de fontes?], sendo no entanto referência para toda a região do Vale do Paraíba Fluminense, Sul de Minas Gerais e Vale do Paraíba Paulista, contando com 72 postos de saúde, 8 hospitais (2 públicos) e 86 clínicas particulares de diversas especialidades. O município conta ainda com 2 Centros de Assistência Intermediária em Saúde (CAIS), sendo um localizado no bairro Conforto e outro no bairro Aterrado, este tendo um moderno centro de diagnóstico por imagem.

O município ainda conta com 5 unidades Centros de Especialidades Médicas localizadas nos bairros Retiro, Jardim Belmonte, Santo Agostinho, Vila Santa Cecília e Aterrado. Nas unidades do CEM, há especialistas em cardiologia, neurologia, nefrologia, otorrinolaringologia, nutrição, endocrinologia e ortopedia. A população ainda pode agendar exames de média complexidade como: hemograma, ultra-sonografia, mamografia, raios-x e eletrocardiograma.

O número de internações mensais no município chega a 1.586, o de consultas a 61.530, o de cirurgias chega a 331 com Volta Redonda contando hoje com aproximadamente 557 médicos especializados em todas as especialidades e mais 96 odontólogos e 118 enfermeiros.

Na rua 33, na Vila Santa Cecília, concentra-se a maior variedade de clínicas particulares da cidade.

A população de baixa renda do município também é assistida pelo "Programa Saúde da Família", no qual jovens médicos recém formados lhe prestam assistência visitando suas moradias.

Já os idosos da cidade contam com o programa "Melhor Idade", desenvolvido pela prefeitura em parceria com a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL). Com pólos espalhados pelo município, os idosos da cidade tem acesso as aulas de hidroginástica, viagens e ainda contam com dezenas de monitores para que possam lhe oferecer melhores condições de vida com aulas de ginástica.

Hospitais[editar | editar código-fonte]

  • Hospital Municipal São João Batista (HSJB) – bairro Colina
  • Hospital Municipal Dr. Munir Rafful (HMR) – bairro Retiro
  • Hospital Vita – bairro Vila Santa Cecília
  • Vita Maternidade – bairro Laranjal
  • Hospital São Camilo – bairro Vila Santa Cecília
  • Hospital Jardim Amália (HINJA) – bairro Jardim Amália I
  • Hospital Santa Margarida – bairro Niterói
  • Casa de Saúde São José – bairro Retiro
  • Hospital da Unimed - bairro Jardim Belvedere
  • Unidade de Pronto Atendimento (UPA) - bairro Santo Agostinho
  • Hospital Regional do Médio Paraíba (HRMP) (em construção) - bairro Roma I

Segurança Pública e Defesa Civil[editar | editar código-fonte]

Polícia Militar

Na cidade de Volta Redonda, ficam situadas as sedes do 5º Comando de Policiamento de Área (5º CPA), que é o comando intermediário da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro para todo o Sul e Centro-Sul Fluminense, e do 28º Batalhão de Polícia Militar (28º BPM), que é responsável ainda pelo policiamento ostensivo em Barra Mansa e Pinheiral.

  • 5º Comando de Policiamento de Área

O 5º Comando de Policiamento de Área é a unidade responsável pela organização e mobilização do policiamento em todas as cidades da região Sul e Centro-Sul Fluminense, desde Paraty até a cidade de Rio das Flores e desde Itatiaia até Piraí, estando a este comando subordinados o 10º Batalhão de Polícia Militar (com sede em Barra do Piraí), o 28º BPM (com sede em Volta Redonda), o 33º BPM (com sede em Angra dos Reis) e o 37º BPM (com sede em Resende), contando com um efetivo de cerca de dois mil homens nessa unidades.

  • 28º Batalhão de Polícia Militar

Para efeitos de organização, o policiamento ostensivo da cidade está a cargo da 1ª Companhia do 28º Batalhão de Polícia Militar (28º BPM/1ªCia), sediada no bairro Bela Vista, no interior do batalhão, que ainda faz a guarda dos tribunais e do fórum municipal, entre outros estabelecimentos públicos, controlando também os Postos de Policiamento Comunitários (PPC), instalados em locais estratégicos nas saídas do município (nove ao todo), têm como finalidade coibir atos ilícitos nas regiões em que estão situados, bem como facilitar o cerco à meliantes que possam tentar empreender fuga da cidade após o cometimento de um crime.

Os PPC estão instalados nos bairros Santa Cruz, às margens da RJ-153, e Retiro (na Zona Norte); Vila Rica, à beira da Rodovia dos Metalúrgicos e Roma I, próximo à Rodovia Presidente Dutra (ambos na Zona Sul); São Lucas, na Rodovia Lúcio Meira (BR-393), Ponte Alta, às margens da Via Sérgio Braga e Jardim Belmonte, próximo à divisa com Barra Mansa (os três na Zona Oeste); e nos bairros São Luiz, também na rodovia Lúcio Meira, na divisa com Barra do Piraí, e Três Poços, próximo à divisa com Pinheiral (ambos na Zona Leste). Todas as cabines contam com viaturas que patrulham as regiões em que estão localizadas.

Tanto o 5º CPA quanto o 28º BPM se situam no início do bairro Voldac, na Zona Norte da cidade.

Polícia Federal

Localizada no bairro Aterrado, região Central do município, próximo ao início da Rodovia dos Metalúrgicos, a Delegacia de Polícia Federal de Volta Redonda é responsável pela jurisdição em 14 municípios na região Sul Fluminense. Sua missão é reprimir a ação do crime organizado, que usa o Vale do Paraíba fluminense como entrada de drogas, armas, munições e contrabando, além de atuar no combate a crimes de grande repercussão que extrapolem as fronteiras estaduais. Na Delegacia da Polícia Federal de Volta Redonda, a população pode também obter o passaporte ou a carteira de estrangeiro.

Polícia Rodoviária Federal

Na Rodovia Presidente Dutra, próximo à entrada da cidade, na altura do bairro Rio das Flores, localiza-se um posto da Polícia Rodoviária Federal, subordinado à Delegacia da PRF no distrito de Floriano, em Barra Mansa.

Polícia Civil
  • 93ª Delegacia de Polícia

Também localizada no bairro Aterrado, a 93ª DP é responsável pelos serviços de polícia judiciária, tendo jurisdição sobre todo o município de Volta Redonda. Funciona no mesmo prédio da 9ª CRPI, tendo sido reinaugurada recentemente após modernização de suas instalações.

  • Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher

Localizada no bairro Aterrado, a DEAM de Volta Redonda é responsável pelo atendimento às mulheres, crianças e idosos que sofrem algum tipo de maus tratos. A delegacia assiste tanto a cidade de Volta Redonda como também de seus municípios vizinhos.

Corpo de Bombeiros Militar

O 22º Grupamento de Bombeiros Militar (22º GBM) está localizado no bairro Aterrado e é subordinado ao Comando de Bombeiros de Área - Sul (CBA SUL) localizado em Ribeirão das Lages no município de Piraí. Este GBM possui cinco Destacamentos de Bombeiro Militar subordinados: DBM 1/22 - Barra do Piraí, DBM 2/22 - Valença, DBM 3/22 - Miguel Pereira, DBM 4/22 - Piraí e DBM 5/22 - Vassouras. É também responsável pelas atividades de Defesa Civil Estadual (SREDEC - Sub-regional de Defesa Civil) concernentes ao CBMERJ. O Grupamento possui uma Viatura Auto Bomba Tanque - ABT, uma viatura Auto Cavalo Mecânico e Tanque Reboque - ACM/TR utilizadas para combate a incêndio, além de uma viatura Auto Busca e Salvamento Híbrido - ABS, utilizada para salvamentos diversos e combate a princípios de incêndio. Possui também uma viatura tipo Auto Socorro de Emergência Avançado - ASE/A utilizada como UTI móvel e uma viatura Auto Tático de Emergência - ATE, viatura utilizada para salvamentos diversos, combate a princípios de incêndio com um compartimento para o Atendimento Pré-Hospitalar básico de vítimas de acidentes. Além dessas possui também uma viatura Auto Remoção de Cadáver - ARC e uma viatura Auto Rápido - AR.

Guarda e Defesa Civil municipais

Com um efetivo de 310 homens, a Guarda Municipal de Volta Redonda, atua na organização do tráfego municipal, além de realizar o patrulhamento escolar e a vigilância do patrimônio público da cidade, inclusive o patrimônio ambiental.

A Guarda Municipal é responsável, ainda, pelo comando da Defesa Civil Municipal, responsável pelo controle das construções em área de risco na cidade e notificação de moradores que residam nessas áreas, bem como o auxílio aos atingidos por catástrofes naturais. A corporação tem sua sede na Ilha Pequena, ao lado da entrada principal da Ilha São João, no bairro Voldac.

Câmeras e postos de segurança pública

A cidade de Volta Redonda conta com um moderno sistema de monitoramento por câmeras, que auxiliam a Guarda Municipal e a Policia Militar, evitando que atos de vandalismo ao patrimônio sejam praticados, além de coibir furtos nas áreas nas quais as mesmas estão instaladas e ajudam também nas ocorrências de trânsito nas vias do município. Com a implantação das câmeras, os índices de violência nas áreas em que se localizam, caíram consideravelmente.

A central de monitoramento localiza-se anexo a Rodoviária Prefeito Francisco Torres e conta com paramédicos e um carro resgate da Guarda Municipal totalmente equipado.

O município dispõe atualmente de dois Postos Avançados de Segurança Pública, um localizado na Vila Santa Cecília e outro no bairro Retiro. Estes postos funcionam durante 24 horas e têm como finalidade a vigilância desses centros e também contam com paramedicos e carros resgate da Guarda Municipal. Nestes postos também funcionam uma central de monitoramento que monitora as câmeras de segurança instaladas nestas regiões.

Unidade prisional

Localizada no bairro Roma I, Zona Sul da cidade, a Casa de Custódia Dr. Franz de Castro Holzwarth tem capacidade para abrigar 300 detentos enquanto aguardam julgamento. A unidade de Volta Redonda possui ainda, em seu interior, uma biblioteca e uma fábrica de vassouras feitas com materiais recicláveis.

Cultura[editar | editar código-fonte]

  • Ilha São João

A Ilha São João, além de ter o maior ginásio da cidade e um mini-estádio, é sede de algumas secretarias municipais e conta com uma boa estrutura para eventos, feiras e exposições, sendo o local normalmente escolhido para grandes eventos no Município. Nela também se situa a única escola pública de Hipismo do Brasil.

  • Memorial Zumbi dos Palmares

Projetado em 1989, pelo arquiteto Celso Dal Belo, o Memorial Zumbi dos Palmares é composto por um anfiteatro e um salão de exposições. Em 2003, foi instalada uma cobertura em lona e estrutura metálica sobre o anfiteatro. A utilização é principalmente voltada para manifestações da cultura negra. Na área existe uma escultura em homenagem a Zumbi dos Palmares e está também situado no bairro Vila Santa Cecília.

  • Memorial Getúlio Vargas

Para eternizar a memória de Getúlio Vargas, o Memorial mantém a "Exposição Permanente Getúlio Vargas", que oferece à população a oportunidade de conhecer um pouco mais da história de uma das figuras mais ilustres do período republicano no país. O projeto foi concebido pelo Centro de Pesquisa e Documentação da História Contemporânea do Brasil (CPDOC), da Fundação Getúlio Vargas.

Vargas foi o principal mentor da implantação da grande siderurgia no Brasil, no final da década de 1930, e foi responsável pela construção da Companhia Siderúrgica Nacional, em torno da qual se desenvolveu Volta Redonda.

Integram ainda o espaço, um local idealizado para exposições e a sala de multimédia que possibilitará a um grupo de visitantes, estudantes e professores participarem de aulas interativas, explorando o material disponibilizado. Permitirá também a realização de mini cursos, debates, conferências e diversas outras atividades. No interior do Memorial está também instalada a Biblioteca Municipal Raul de Leoni.

  • Memorial aos Ex-Combatentes

Localizado na Praça Monte Castelo, no bairro Sessenta, foi construído em homenagem justa àqueles que lutaram na frente de batalha em defesa da Democracia e da Soberania Nacional na Segunda Guerra Mundial.

O memorial está tombado desde 29 de dezembro de 1992, através do Decreto 4 319, considerando que a Lei Municipal 2 075, de 6 de novembro de 1985, institui o tombamento de bens que devam ficar sob a proteção especial do poder público municipal

  • Espaço Zélia Arbex

Inaugurado em 17 de março de 2005, o Espaço Zélia Arbex tem 200 metros quadrados de área construída, todo em vidro e estrutura metálica. Na prática, é como se fossem três galerias de arte, comportando no total cem obras. Foi projetado tendo em vista a popularização das artes. O espaço é destinado à exposições de artes plásticas e outras manifestações culturais, como o Concurso “Salão de Humor”, que elege as melhores charges e caricaturas. Aberto de 2ª a domingo (inclusive feriados), das 10 às 19 horas.

Esporte[editar | editar código-fonte]

Nos últimos anos, Volta Redonda tem investido muito no esporte e lazer. Atualmente há dez ginásios poliesportivos espalhados pela cidade. Várias escolas municipais têm quadras cobertas.

O vôlei é o esporte mais popular, praticado em várias quadras espalhadas pela cidade. Com a conquista do Bicampeonato Estadual pelos "Gigantes de Aço" em 2009, Volta Redonda tornou-se a "Cidade do vôlei" no Rio de Janeiro, entrou para a elite do vôlei brasileiro participando da Superliga Nacional. Com isso, as melhores equipes de vôlei do Brasil estão sempre vindo à Volta Redonda desafiar os Gigantes de Aço. Esses confrontos disputados tem mobilizado a população, que lota as arquibancadas nos dias de jogos da equipe do Volta Redonda.

No bairro Jardim Tiradentes, há um ginásio voltado para a prática do skate, frequentado por jovens de toda a região.

  • Complexo Esportivo Oscar Cardoso

O Complexo Esportivo Jornalista Oscar Cardoso, no bairro Aero Clube, conta com uma estrutura de quatro campos de futebol, vestiários, playground e um mini-estádio onde treinam os jogadores do Volta Redonda Futebol Clube.

Inaugurado no ano de 1966, teve suas instalações reformadas e ampliadas, sendo palco da etapa fluminense do campeonato brasileiro de kart e uma das sedes do campeonato estadual. Nele funciona, ainda, uma escola pública de kart, sendo aberta ao público a locação de veículos para entretenimento. Funciona no bairro Aero Clube, próximo do Complexo Esportivo Oscar Cardoso.

  • Estádio General Sílvio Raulino de Oliveira - O "Estádio da Cidadania"
Estádio da Cidadania.

Um dos mais modernos estádios de futebol do país e situado no bairro Nossa Senhora das Graças, o Estádio General Sílvio Raulino de Oliveira, também conhecido simplesmente como "Raulino" e ultimamente como "Estádio da Cidadania" é o primeiro a abrigar em seu interior um grande complexo de esportes, lazer, saúde e educação. Tem capacidade para vinte e um mil espectadores e quando não há partidas, a população tem acesso gratuito à orientação de profissionais para a prática de atividades esportivas. É ainda a "casa" do Volta Redonda Futebol Clube, ou "Voltaço", principal time de futebol do Sul Fluminense.

  • Parque Aquático General Euclides Figueredo

Foi construído em 1981 e desativado em 1987. Dez anos depois, foi revitalizado e atualmente atende mais de três mil voltarredondenses por dia. Funciona na Ilha Pequena, vizinha à Ilha São João, no meio do rio Paraíba do Sul.

Imprensa[editar | editar código-fonte]

Televisão

Volta Redonda tem a cobertura da TV Rio Sul (afiliada da Rede Globo), da TV Bandeirantes Barra Mansa, antiga TV Sul Fluminense (afiliada da Band), TV Volta Redonda (afiliada da TV Brasil), além de contar com repetidoras das principais redes de televisão nacional dentro do estado do Rio de Janeiro, como SBT Interior (afiliada do SBT), TV Record Rio (afiliada da Rede Record), Rede TV!, entre outras.

Rádio

A cidade tem ainda a cobertura de diversas rádios regionais, situando-se nela as rádios "Cidade do Aço FM", "Volta Redonda FM", "88 FM" e outras menores.

Jornais e Revistas

Na mídia impressa, possui o Diário do Vale, o maior diário sediado na cidade e na região, e o Jornal Aqui, maior semanário do município, contando ainda com outros jornais de circulação menor.

Circulam também na cidade os principais diários nacionais e estaduais (Estado de São Paulo, Folha de São Paulo, O Globo, O Dia etc.), bem como o jornal "A Voz da Cidade", de Barra Mansa, entre outros periódicos regionais.

Eventos[editar | editar código-fonte]

  • Feira da Primavera - Grande festa popular que acontece no mês de setembro, na Ilha São João, que atrai visitantes de toda a região.
  • Expo-VR - Exposição Agropecuária do município, que é realizada no mês de maio, também na Ilha São João.
  • Aniversário da Cidade - Extensa programação nos bairros durante todo o mês de julho.
  • Réveillon - Espetáculo com queima de fogos e shows na curva do rio Paraíba do Sul, no bairro Barreira Cravo.
  • Trilha da Meia-Noite - Maior evento off-road do estado do Rio de Janeiro, conta com a presença de vários jipeiros. Sua concentração é realizada na praça Brasil, na Vila Santa Cecília, onde, a partir da meia-noite, larga o primeiro carro rumo às trilhas da cidade e cidades vizinhas. O evento é organizado pelo Jeep Clube de Volta Redonda anualmente no mês de julho.
  • Encontro anual de carros antigos e fora de série - Realizado anualmente no mês de julho pelo Clube de Antiguidades Automotivas de Volta Redonda na Ilha São João, conta com a presença de diversas raridades automobilísticas.
  • Encontro Nacional de Motociclistas - Realizado anualmente no mês de Setembro, o Encontro Nacional de Motociclistas é organizado pelo grupo "Falcões de Aço Moto Clube" durante 3 dias na Ilha São João e conta com diversas atrações, entre shows, feira, exposições e o campeonato nacional de Wheelling.
  • VR Folia - Shows na época de agosto que acontecem na Ilha São João ou no Clube Comercial

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  3. Estimativa 2012. Estimativa da População 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 23 de julho de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 29 de Julho de 2013..
  5. a b c d Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 23 de dezembro de 2012.
  6. LIMA, R. G. S. Museu virtual: a Volta Redonda do café e do leite. Disponível em http://portalvr.com/cultura/museu/apoio/arquivos/robertoguiao.pdf. Acesso em 28 de março de 2013.
  7. Estimativas da população para 1º de julho de 2009 (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de outubro de 2010). Página visitada em 16 de agosto de 2009.
  8. http://g1.globo.com/brasil/idhm-2013/platb/
  9. LIMA, R. G. S. Museu virtual: a Volta Redonda do café e do leite. Disponível em http://portalvr.com/cultura/museu/apoio/arquivos/robertoguiao.pdf. Acesso em 28 de março de 2013.
  10. LIMA, R. G. S. Museu virtual: a Volta Redonda do café e do leite. Disponível em http://portalvr.com/cultura/museu/apoio/arquivos/robertoguiao.pdf. Acesso em 28 de março de 2013.
  11. LIMA, R. G. S. Museu virtual: a Volta Redonda do café e do leite. Disponível em http://portalvr.com/cultura/museu/apoio/arquivos/robertoguiao.pdf. Acesso em 28 de março de 2013.
  12. Histórico demográfico do município de Volta Redonda. Prefeitura de Volta Redonda. Página visitada em 7 de janeiro de 2011.
  13. Frota de VR passa de 100 mil veículos. Jornal Diário do Vale. Página visitada em 11 de abril de 2009.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete Volta Redonda.