Cinema da Ásia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cinema asiático
Cinema do leste asiático
Cinema do sul asiático
Cinema do sudeste asiático
Cinema do oeste asiático

Cinema da Ásia é uma referência à indústria cinematográfica e aos filmes produzidos no continente asiático, sendo conhecido também por "Cinema do Leste". Entretanto, o termo é normalmente usado para se referir ao cinema produzido nas partes sudeste, sul e leste do continente, pois o cinema produzido no oeste da Ásia é, algumas vezes, classificado como cinema do Oriente Médio, incluindo-se o Irã e o Afeganistão. O cinema realizado na parte central do continente é normalmente agrupado com o cinema do Oriente Médio e, os filmes produzidos no norte da Ásia, território dominado pela Rússia, são considerados filmes europeus e, assim, fazem parte da indústria cinematográfica daquele continente.

O cinema do leste asiático abrange o Japão, a China, Hong Kong, Taiwan e Coreia do Sul, incluindo-se a indústria japonesa de anime e a de filmes de ação de Hong Kong. O cinema do sudeste asiático inclui o Camboja, a Tailândia e outros países da região sudeste da Ásia. Já o cinema produzido na parte central do continente e na região sudeste do Cáucaso abrange o Irã e o Tadjiquistão. O cinema do oeste asiático abrange, normalmente, as obras realizadas na Turquia e em Israel. Finalmente, o cinema do sul asiático abrange o cinema da Índia, o qual inclui as indústrias cinematográficas de Bollywood, Tegulu, Tamil, Malayalam, Kannada e Bengali.

História[editar | editar código-fonte]

Precursores do filme[editar | editar código-fonte]

Encontrou-se, em Shahr-i Sokhta, Irã, uma tigela feita de barro de 5200 anos, trazendo cinco imagens pintadas de uma cabra em sua parte externa. Acredita-se que este item é um exemplo de animação feita naquela época.[1] [2] [3]

Mo-Ti, um filósofo chinês, o qual viveu por volta de 500 a.C., discorreu sobre fenomenologia) da luz invertida vinda do mundo externo irradiada, através de um pequeno orifício, na parede oposta em um quarto escuro. O teatro de sombras surgiu durante a Dinastia Han e, depois, ganhou popularidade pela Ásia. Por volta do ano 180 d.C., Ting Huan (丁緩) criou um zootropo na China.

Em 1051, Alhazen, um cientista iraquiano, experimentou o mesmo princípio ótico descrito por Mo-Ti e relatou os resultados em seu livro Book of Optics, o qual forneceu a primeira descrição clara[4] e análise correta da câmara escura.[5] Seu experimento com lâmpada a óleo, em que várias fontes de luz diferentes são dispostas ao longo da uma grande área foi o primeiro a projetar com sucesso uma imagem inteira do exterior para uma tela em um ambiente interno com a câmera escura. .[6]

Era do cinema mudo[editar | editar código-fonte]

Os primeiros filmes de curta-metragem da Ásia foram produzidos durante os anos de 1890. Os primeiros curtas produzidos no Japão foram Bake Jizo e Shinin no Sosei, ambos de 1898.[7] O primeiro curta-metragem indiano também foi produzido em 1898, The Flower of Persia, dirigido por Hiralal Sen.[8]

Referências

  1. CHTHO produces documentary on world’s oldest animation. Tehran Times. 04-03-2008.
  2. First Animation of the World Found In Burnt City, Iran, Persian Journal, 2004 (em inglês)
  3. Oldest Animation Discovered In Iran. Animation Magazine. 12-03-2008. (em inglês)
  4. David H. Kelley, Exploring Ancient Skies: An Encyclopedic Survey of Archaeoastronomy (em inglês)
  5. Wade, Nicholas J.; Finger, Stanley (2001), "The eye as an optical instrument: from camera obscura to Helmholtz's perspective", Perception 30 (10): 1157–1177, "The principles of the camera obscura first began to be correctly analysed in the eleventh century, when they were outlined by Ibn al-Haytham."  (em inglês)
  6. Bradley Steffens (2006), Ibn al-Haytham: First Scientist, Chapter Five, Morgan Reynolds Publishing, ISBN 1-59935-024-6
  7. Seek Japan, J-Horror: An Alternative Guide (em inglês)
  8. McKernan, Luke (31-12-1996). Hiralal Sen (copyright British Film Institute). Visitado em 01-11-2006. (em inglês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]