Singapura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cingapura)
Ir para: navegação, pesquisa
Republic of Singapore
新加坡共和国
Republik Singapura
சிங்கப்பூர் குடியரசு

República de Singapura
Bandeira de Singapura
Brasão  Singapura
Bandeira Brasão
Lema: "Majulah Singapura"  (Malaio)
"Avante, Singapura"
Hino nacional: Majulah Singapura
Gentílico: singapurense;[1] singapuriano [carece de fontes?]

Localização  Singapura

Localização de Singaura na Península da Malásia.
Capital Área Central de Singapura
Língua oficial Inglês (principal)[2]
Malaio (nacional)
Mandarim
Tamil
Governo República parlamentarista
 - Presidente Tony Tan Keng Yam
 - Primeiro-ministro Lee Hsien Loong
 - Presidente do Parlamento Abdullah Tarmugi
 - Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Chan Sek Keong
Independência do Reino Unido 
 - Fundação 29 de Janeiro de 1819 
 - Autogoverno 3 de Junho de 1959 
 - Fusão com a Malásia 16 de Setembro de 1963 
 - Separação da Malásia 9 de Agosto de 1965 
Área  
 - Total 716,1[3] km² (187.º)
 - Água (%) 1,444
 Fronteira com a Malásia
População  
 - Estimativa de 2010 5 399 200[3] hab. (114.º)
 - Censo 2000 4 117 700[3] hab. 
 - Densidade 7.540[3] hab./km² (2.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2012
 - Total US$ 327,557 bilhões*[4]  
 - Per capita US$ 61 046[4]  
PIB (nominal) Estimativa de 2013
 - Total US$ 270,020 bilhões*[4]  
 - Per capita US$ 50 323[4]  
IDH (2013) 0,901 (9.º) – muito elevado[5]
Gini (2012) 47,8[6]
Moeda Dólar de Singapura (SGD)
Fuso horário +8 (UTC+8)
Clima Equatorial
Org. internacionais APEC, ASEAN, Banco Mundial, Comunidade Britânica, FMI, OMC e ONU
Cód. ISO SGP
Cód. Internet .sg
Cód. telef. +65
Website governamental www.gov.sg

Mapa  Singapura

Singapura (FO 1943: Cingapura),[nota 1] oficialmente República de Singapura, é uma cidade-Estado localizada na ponta sul da Península Malaia, no Sudeste Asiático, a 137 quilômetros ao norte do equador. Um país insular constituído por 63 ilhas, é separado da Malásia pelo Estreito de Johor, ao norte, e das Ilhas Riau (Indonésia) pelo Estreito de Singapura, ao sul. Singapura é o país com melhor IDH dos países Asiáticos, e 9° melhor do mundo em 2014. O seu território é altamente urbanizado, mas quase metade dele é coberto por vegetação. No entanto, mais terras estão sendo criadas para o desenvolvimento por meio de aterramento marítimo.

Singapura tinha sido uma parte de diversos impérios locais desde que foi habitada no século II d.C. A Singapura moderna foi fundada como um posto comercial da Companhia das Índias Orientais por Sir Stamford Raffles em 1819 com a permissão do Sultanato de Johor. Os britânicos obtiveram a soberania completa da ilha em 1824 e a cidade se tornou um dos Estabelecimentos dos Estreitos britânicos em 1826. Singapura foi ocupada pelo Império do Japão na Segunda Guerra Mundial e voltou ao domínio britânico após a guerra. Tornou-se auto-governada internamente em 1959. O território uniu-se a outros ex-territórios britânicos para formar a Malásia em 1963 e tornou-se um Estado totalmente independente dois anos mais tarde após a separação da Malásia. Desde então, teve um aumento maciço em termos de riqueza e é um dos quatro Tigres Asiáticos. A economia depende fortemente da indústria e dos serviços. O país é um líder mundial em diversas áreas: é o quarto principal centro financeiro do mundo, o segundo maior mercado de jogos de casino e o terceiro maior centro de refinação de petróleo do mundo. O porto da cidade é um dos cinco portos mais movimentados do mundo. O país é o lar do maior número de famílias milionárias em dólares per capita do planeta. O Banco Mundial considera a cidade como o melhor lugar no mundo para se fazer negócios. O país tem o terceiro maior PIB per capita por paridade do poder de compra do mundo, tornando Singapura um dos países mais ricos do planeta.

A cidade é uma república parlamentar com um sistema Westminster de governo unicameral. O Partido de Ação Popular (PAP) ganhou todas as eleições desde a concessão britânica de autonomia interna em 1959. O sistema legal de Singapura tem suas bases no sistema da common law inglesa, mas modificações foram feitas a ela ao longo dos anos, como a remoção de julgamento por júri. A imagem popular do PAP é a de um governo forte, experiente e altamente qualificado, apoiado por um serviço especializado civil e um sistema de educação com ênfase na realização e na meritocracia. No entanto, o partido é visto por alguns eleitores, críticos da oposição e observadores internacionais como sendo autoritário e demasiado restritivo quanto a liberdade individual.

Cerca de 5 milhões de pessoas vivem em Singapura, dos quais 2,91 milhões nasceram no local. A maioria da população é descendente de chineses, malaios e indianos. Há quatro línguas oficiais: inglês, chinês, malaio e tâmil. Um dos cinco membros fundadores da Associação de Nações do Sudeste Asiático, Singapura também abriga a Secretaria da APEC e é membro da Cúpula do Leste Asiático, do Movimento dos Países Não-Alinhados e da Commonwealth.

História[editar | editar código-fonte]

O início do povoamento hoje conhecido como Singapura iniciou-se no século II d.C.[7] Foi um posto avançado do império de Srivijaya, chamado Temasek ("cidade do mar"). Entre os séculos XVI e XIX, era parte do sultanato de Johor. Em 1613, invasores portugueses queimaram o povoamento e a ilha afundou no esquecimento durante dois séculos.[7]

Em 1819, Thomas Stamford Raffles chegou e assinou um tratado com o sultão Shah Hussein em nome da Companhia Britânica das Índias Orientais para desenvolver a parte do sul de Singapura como um entreposto comercial britânico, ante sua privilegiada localização na passagem que liga o sul do Mar da China ao Oceano Índico.[8] Em 1824 toda a ilha se tornou uma possessão britânica no âmbito de um tratado adicional pelo qual o sultão e os Temenggong entregaram à Companhia Britânica das Índias Orientais, que ampliou e explorou o porto. Em 1826, tornou-se parte dos Estabelecimentos dos Estreitos, um grupo de colônias britânicas. Até 1869, 100.000 pessoas viviam na ilha.[8]

Tropas japonesas vitoriosas marcham através da Cidade de Singapura, após a derrota britânica na Batalha de Singapura.

Na Segunda Guerra Mundial, o Exército Imperial Japonês invadiu a Malásia, o que deu origem à Batalha de Singapura. Os ingleses foram derrotados e renderam-se em 15 de fevereiro de 1942. O então primeiro-ministro britânico, Winston Churchill, chamou o episódio de "o pior desastre e a maior capitulação da história britânica."[9] Os japoneses ocuparam Singapura até os britânicos retomarem o território em setembro de 1945, após a rendição do Japão.[10]

A primeira eleição geral em Singapura, em 1955, foi ganha pelo pró-independentista David Marshall, chefe da Frente de Trabalho. Exigindo um governo completamente independente, Marshall liderou uma delegação a Londres, mas o seu intuito foi recusado pelos britânicos. Demitiu-se quando retornou e foi substituído por Lim Yew Hock, cujas políticas convenceram o Reino Unido a conceder plena autonomia interna para Singapura em todas os temas, exceto assuntos de defesa e relações internacionais[11]

Nas eleições de maio de 1959 o partido Ação Popular obteve uma vitória esmagadora e imediatamente fez de Singapura um Estado autônomo dentro da Commonwealth, com Lee Kuan Yew como o primeiro-ministro.[12] O Governador de Singapura Sir William Allmond Codrington Goode serviu como o primeiro chefe de Estado do país até dezembro de 1959, quando foi sucedido por Encik Yusof bin Ishak, mais tarde primeiro presidente de Singapura.

Singapura declarou a sua independência do Reino Unido em 31 de agosto de 1963,[13] antes de ingressar na então nova Federação da Malásia em setembro, junto com Malásia, Sabah e Sarawak, como resultado do Referendo de 1962 sobre a Incorporação de Singapura. Tunku Abdul Rahman separou Singapura da Federação dos dois anos mais tarde, após o conflito ideológico aquecido entre os partidos do governo da Malásia e de Singapura.[13]

Singapura ganhou soberania como "República de Singapura" (permanecendo dentro da Commonwealth), em 9 de agosto de 1965,[13] com Yusof bin Ishak como presidente e Lee Kuan Yew, ainda como primeiro-ministro. Em 1970 o país se juntou ao Movimento Não-Alinhado e em 1976 ajudou a fundar a Associação das Nações do Sudeste Asiático.[14] Em 1990, Goh Chok Tong sucedeu Lee como primeiro-ministro. Durante seu mandato, o país enfrentou a crise financeira asiática de 1997, o surto de SARS de 2003 e as ameaças terroristas colocadas pela Jemaah Islamiyah. Em 2004, Lee Hsien Loong, filho mais velho de Lee Kuan Yew, se tornou o terceiro primeiro-ministro.[15]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Singapura é constituída por 63 ilhas, incluindo a ilha de Singapura. Há duas conexões para Johor, Malásia - a Johor-Singapura Causeway, no norte, e Malaysia–Singapore Second Link no oeste, e que constituem as travessias da fronteira Malásia-Singapura sobre os estreitos de Johor. A Ilha de Jurong, Pulau Tekong, Pulau Ubin e Sentosa são as maiores ilhas de Singapura. O maior ponto natural de Singapura é na colina Bukit Timah, com 166 metros.[16] O sul de Singapura, em torno da foz do rio Singapura e que é agora a Área Central de Singapura, costumava ser a única área urbana concentrada, enquanto o restante do terreno era de floresta tropical ou utilizado para a agricultura. Desde 1960 o governo tem vindo a construir novas vilas residenciais em áreas periféricas, resultando em uma paisagem totalmente urbana. A Autoridade de Planejamento Urbano foi criada em 1 de Abril de 1974, sendo responsável pelo planejamento urbano.

Mapa de Singapura e de suas ilhas vizinhas.

No momento, Singapura passa por projetos de aterros com terra retirada de seu território e de países vizinhos. Como resultado, a área de terra de Singapura aumentou de 581,5 km² em 1960 para 704 km² atualmente, e pode aumentar mais 100 km ² até 2030.[17] Os projetos, por vezes envolvem algumas das ilhas menores, que são unidas através de recuperação de terras a fim de formar grandes ilhas, mais funcionais, como no caso da Ilha de Jurong.

Sob o sistema de classificação climática de Köppen, Singapura tem um clima equatorial, sem estações distintas. Seu clima é caracterizado por temperatura uniforme e pressão, alta umidade e chuvas abundantes. As temperaturas variam entre 22 °C a 34 °C. Em média, a umidade relativa é de cerca de 90% na parte da manhã e 60% à tarde. Durante a chuvas fortes e prolongadas, a umidade relativa muitas vezes chega a 100%.[18] As temperaturas mais baixas e mais altas já registradas foram de 19,4 °C e 35,8 °C, respectivamente. Junho e julho são os meses mais quentes, enquanto novembro e dezembro compõem a estação das monções úmidas. De agosto a outubro, muitas vezes há neblina, algumas vezes grave o suficiente para motivar as advertências de saúde pública, devido às queimadas na vizinha Indonésia. Singapura não possui horário de verão ou uma alteração no fuso horário de verão. A duração do dia é quase constante durante todo o ano, devido à localização do país, perto do equador.

Cerca de 23% do território de Singapura é constituído de terras de floresta e reservas naturais.[19] A urbanização tem eliminado muitas áreas de floresta primária anteriores, sendo a única área remanescente de floresta primária a Reserva Natural de Bukit Timah. Uma variedade de parques são mantidos com a intervenção humana, como Jardim Botânico de Singapura.

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Singapura Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 34,3 35,2 36 35,8 35,4 35 34 34,2 34,3 34,6 34,2 33,8 36
Temperatura máxima média (°C) 30,1 31,2 31,6 31,7 31,6 31,3 30,9 30,9 30,8 31,1 30,6 30 31
Temperatura mínima média (°C) 23,3 23,6 23,9 24,4 24,8 24,8 24,6 24,5 24,2 24,1 23,7 23,5 24,1
Temperatura mínima registrada (°C) 19,4 19,7 20,2 20,7 21,2 20,8 19,7 20,2 20,7 20,6 21,1 20,6 19,4
Precipitação (mm) 243,2 159,9 185,7 178,9 171,3 162,1 158,7 175,4 169,2 193,8 256,9 287,4 2 342,5
Dias com chuva 15 11 14 15 15 13 13 14 14 16 19 19 178
Umidade relativa (%) 84,7 82,8 83,8 84,8 84,4 83 82,8 83 83,4 84,1 86,4 86,9 84,2
Horas de sol 173,6 183,5 192,2 174 179,8 177 189,1 179,8 156 155 129 133,3 2 022,4
Fonte: National Environment Agency (temperaturas: 1929-1941 e 1948-2011; chuva: 1869-2011, 1929-1941 e 1948-2011; umidade e dias de chuva: 1891-2011);[20] Observatório de Hong Kong (dias de sol, 1982—2008) [21]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Cidade de Singapura, a capital e a maior cidade do país.

De acordo com estatísticas do governo, a população de Singapura em de 2009 era de aproximadamente 5 milhões de habitantes, dos quais 3,73 milhões eram de Singapura ou residentes permanentes (denominados "Moradores de Singapura").[22] Vários grupos linguísticos chineses formam 74,2% dos moradores de Singapura, malaios são 13,4%, 9,2% são indianos, enquanto euroasiáticos, árabes e outros grupos formam 3,2% da população.

Em 2006 a taxa de natalidade foi de 10,1 por 1000, um nível muito baixo atribuído às políticas de controle de natalidade, e a taxa de mortalidade foi também uma das mais baixas no mundo, em 4,3 por 1000. O crescimento da população total foi de 4,4%, com os residentes em Singapura crescendo a 1,8%. A alta taxa de crescimento percentual é, em grande parte, graças a imigração líquida, mas também ao aumento da esperança de vida. Singapura é o segundo país com mais alta densidade demografica do mundo depois de Mônaco. Em 1957, a população de Singapura era de, aproximadamente, 1,45 milhões, e havia uma taxa de natalidade relativamente alta. Ciente de que país é extremamente limitado em recursos naturais e em território, o governo introduziu políticas de controle de natalidade na década de 1960. No final da década de 1990 a população começou a envelhecer, com menos pessoas entrando no mercado de trabalho, gerando uma escassez de trabalhadores qualificados. Numa inversão dramática de sua política, o governo de Singapura introduziu um regime de "bônus bebê" em 2001 (melhorado em agosto de 2004), que incentivou os casais a terem mais filhos.[23]

Em 2008, a taxa de fecundidade total foi de apenas 1,28 filhos por mulher, o 3º menor nível do mundo, e bem abaixo dos 2,10 necessários para substituir a população.[22] [24] Em 2008, nesceram 39.826 bebês, em comparação com cerca de 37.600 nescimentos em 2005. Esse número, entretanto, não é suficiente para manter o crescimento da população. Para ultrapassar este problema, o governo está incentivando estrangeiros para imigrar para Singapura. O grande números de imigrantes mantiveram a população de Singapura longe do declínio.[25]

Política[editar | editar código-fonte]

Parlamento de Singapura com o centro financeiro da cidade ao fundo.

Singapura é uma democracia parlamentar com um sistema Westminster de governo parlamentarista unicameral representando diferentes circunscrições. A maior parte do poder executivo cabe ao Conselho de Ministros, chefiado pelo Primeiro-Ministro, atualmente Lee Hsien Loong. Ao cargo de Presidente de Singapura, historicamente cerimonial, foi concedidos alguns poderes de veto a partir de 1991, por algumas decisões-chave, tais como o uso das reservas nacionais e da nomeação de cargos judiciais. Embora a posição deve ser eleito pelo voto popular, apenas a eleição de 1993 foi contestada até a data. O ramo legislativo do governo é o Parlamento.

Os membros eleitos do Parlamento servem como uma ponte entre a comunidade e o Governo, garantindo que as preocupações dos seus eleitores sejam ouvidos no Parlamento. O atual Parlamento possui 94 deputados, sendo composto por 84 membros eleitos do Parlamento, uma NCMP e nove membros nomeados.

O Partido de Ação Popular (PAP) é o partido no poder em Singapura desde que o auto-governo foi alcançado.[26] Há vários partidos da oposição em Singapura, os mais notáveis são o Partido dos Trabalhadores de Singapura, o Partido Democrático de Singapura (SDP) e a Aliança Democrática de Singapura (SDA). A Economist Intelligence Unit descreve Singapura como um regime "híbrido" de elementos democráticos e autoritários.[27] A Freedom House classifica o país como "parcialmente livre".[28] Embora as eleições gerais sejam isentos de irregularidades e fraudes eleitorais, o PAP foi criticado por alguns por manipular o sistema político através da utilização de censura, gerrymandering e difamação civil contra políticos da oposição.[29]

Istana, residência oficial e escritório do presidente.

Singapura tem uma economia de mercado bem sucedida e transparente. Empresas estatais são dominantes em diversos setores da economia local, como a comunicação social, serviços públicos e transporte público. Singapura tem sido consistentemente avaliada como o país menos corrupto da Ásia e entre os dez mais livre de corrupção do mundo, de acordo com Transparência Internacional.[30]

Embora as leis de Singapura sejam herdadas do Reino Unido e da Índia britânica e incluam muitos elementos do direito comum Inglês, o governo também tem seguido a linha de não seguir alguns elementos dos valores democráticos liberais. Não há julgamentos e há leis que restringem a liberdade de expressão que podem produzir má vontade ou causar desarmonia dentro da sociedade multirracial e multi-religiosa de Singapura. A atividade criminosa é geralmente punida com pesadas sanções, incluindo multas pesadas ou cárcere, e também existem leis que permitem a pena capital em Singapura por homicídio qualificado e tráfico de drogas. O governo de Singapura alega que o país tem o direito soberano de determinar o seu próprio sistema judicial e impor o que ele vê como uma punição adequada, incluindo a pena capital para os crimes com uma maior gravidade.[31]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

A Singapura é uma cidade-estado insular. O país está dividido em 5 regiões, que são subdivididas em áreas de planejamento urbano.

Economia[editar | editar código-fonte]

Centro financeiro de Singapura à noite.

Singapura tem uma economia altamente desenvolvida baseada no livre-mercado, que historicamente girava em torno do entreposto comercial, em outras palavras, uma enorme economia de exportação, dependente da exportação de mercadorias para outros países. Juntamente com Hong Kong, Coreia do Sul e Taiwan, Singapura é um dos quatro Tigres Asiáticos. A economia (que entre 1966 e 1990 cresceu, em média, 8,5% ao ano) depende fortemente da exportação e refino de produtos importados, especialmente na indústria transformadora. A indústria constituía 26% do PIB de Singapura em 2005.[32] A indústria de transformação é bem diversificada, contando com os setores de eletrônica, refino de petróleo, produtos químicos, engenharia mecânica e ciências biomédicas. Em 2006, Singapura produziu cerca de 10% da produção mundial de wafer de fundição.[33] Singapura tem um dos portos mais movimentados do mundo e é o quarto maior centro de negociação de câmbio do mundo depois de Londres, Nova York e Tóquio.[34]

Singapura foi avaliada como o país com o maior número de empresas de economia familiar em todo o mundo,[35] [36] com milhares de expatriados estrangeiros a trabalhar em empresas multinacionais. Singapura é também considerado como um dos principais centros de financiamento da região e do mundo. Além disso, a cidade-estado também emprega dezenas de milhares de trabalhadores colarinho branco estrangeiros de todo o mundo.

Como resultado da recessão global e uma crise no setor de tecnologia, o PIB do país contraiu 2,2% em 2001. O Economic Review Committee (ERC) foi criado em dezembro de 2001, e recomendou várias mudanças de política com vista à revitalização da economia. Singapura já se recuperou da recessão, em grande parte devido às melhorias na economia mundial, a economia de Singapura cresceu 8,3% em 2004, 6,4% em 2005[37] e 7,9% em 2006.[38] Em 19 de agosto de 2007, o Primeiro-Ministro Lee Hsien Loong anunciou que a economia de Singapura deve crescer pelo menos 4-6% anualmente durante os próximos 5-10 anos.

Vista do centro financeiro de Singapura à noite, com destaque para o Marina Bay Sands e a Singapore Flyer, a maior roda-gigante do mundo.

O PIB per capita em 2006 foi de US$ 29,474.[39] Em setembro de 2007, a taxa de desemprego era de 1,7%, o mais baixo em uma década, tendo melhorado antes da crise mundial ter chegado a Ásia.[40] O emprego continuou a crescer fortemente e a economia manteve sua rápida expansão. Nos três primeiros trimestres de 2007, 171.500 novos empregos foram criados, o que é próximo do valor de 176.000 alcançado em 2006.[40] Em 2007, a economia de Singapura cresceu 7,5% e atraiu um recorde S$16 bilhões (US$ 10,6 bilhões) dos investimentos em ativos fixos na fabricação e projetos de geração de S$ 3 bilhões (US$ 2b, € 1.6b) da despesa total de negócios nos serviços.[41] Singapura introduziu um Imposto sobre Mercadorias e Serviços (GST - sigla em inglês) com uma taxa inicial de 3% em 1 de abril de 1994, criando um aumento substancial da receita do governo de S$ 1,6 bilhão (US$ 1B, € 800m) e estabilizando as finanças públicas.[42] A GST passivo foi aumentado para 4% em 2003, para 5% em 2004 e 7% em 1 de julho de 2007.[42] [43]

Devido à recessão econômica, a economia de Singapura cresceu apenas 1,1% no ano de 2008, muito inferior ao esperado de 4,5% para 6,5% de crescimento, enquanto a taxa de desemprego foi para 2,8%.[44]

Singapura é um popular destino turístico, contribuindo para a importância desse tipo de indústria. O total de visitantes em 2007 foi de 10,2 milhões de pessoas.[45] Para atrair mais turistas, o governo decidiu legalizar o jogo e permitiu que dois resorts casino se desenvolvessem na Marina Sul e em Sentosa, em 2005.[46] Para competir com os rivais regionais, como Kuala Lumpur, Bangkok, Hong Kong, Tóquio e Xangai, a área da cidade foi transformada em um dos lugares mais emocionantes do país, iluminando prédios públicos e comerciais.[47]

O Singapore Food Festival é realizado todo mês de julho para celebrar a culinária de Singapura. Outros eventos anuais incluem o Singapore Sun Festival, o Christmas Light Up e o Singapore Jewel Festival.[48] Singapura está se promovendo como um centro de turismo médico: cerca de 200.000 estrangeiros procuram atendimento médico a cada ano e o objetivo é servir um milhão de pacientes estrangeiros por ano até 2012 e gerar US$ 3 bilhões em receitas.[49]

O porto de Singapura, um dos cinco mais movimentados do mundo.[50]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

Singapura conta com um dos mais modernos aeroportos do mundo, o Aeroporto de Singapura, também conhecido por Aeroporto de Changi. É um dos mais importantes aeroportos da Ásia, em particular no Sudeste. Diariamente, recebe 4.054 voos de 80 companhias áreas, que voam para mais de 184 cidades em 57 países.O Aeroporto de Singapura é importante no desenvolvimento econômico do país, emprega 13.000 pessoas e tem lucros de 4.5 bilhões de dólares.

O Aeroporto de Singapura é importante nas ligações para a Austrália, sendo um importante local da "Rota do Canguru", que liga a Austrália à Europa via Singapura. O aeroporto é o principal hub da companhia Singapore Airlines, que está entre as melhores companhias aéreas do mundo e foi também a primeira a operar o Airbus A380

Navios ancorados próximo ao Parque Costa Este.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Visão detalhada do gopuram (torre) na entrada do Templo Sri Mariamman.

Uma vez que Singapura é uma pequena e relativamente moderna amálgama de povoamentos chineses, malaios e indianos, existe pouco de uma cultura especificamente singapuriana. De uma forma inteiramente única, os vários grupos étnicos continuam a celebrar as suas próprias culturas. Singapura é provavelmente o único lugar do mundo onde se pode encontrar um casamento malaio a ter lugar lado a lado com um casamento chinês, por exemplo. Os feriados principais refletem o modo como a cultura local celebra esta única diversidade. Ao contrário de muitas outras sociedades multiculturais, os feriados públicos principais incluem o Ano Novo do calendário gregoriano, o ano novo chinês, o Hari Raya Haji e o Deepavali.

Desporto[editar | editar código-fonte]

Desde 2008 Singapura passou a sediar uma etapa do campeonato mundial de Fórmula 1; note-se que foi a primeira corrida realizada no período noturno e com iluminação artificial na história da categoria. O vencedor da prova em 2008 foi o espanhol Fernando Alonso, corrida que ficou marcada pelo acidente do brasileiro,Nelsinho Piquet. Em 2010, o espanhol Fernando Alonso voltou a vencer em Singapura.

Feriados
Data Nome em português Nome local Observações
01/01 Ano-Novo malaio: Tahun Baru / inglês: New Year Ano Novo no calendário gregoriano
~15/02 Ano-Novo chinês: 新年 Ano Novo no calendário chinês
12/03 a 22/03 Feriado da metade do 1° trimestre hari cuti triwulanan Dura 10 dias
~28/05 a 28/06 Férias de verão Percutian Musim Panas Começa numa sexta-feira e termina numa segunda, após um mês de duração
09/08 Feriado Nacional Kemerdekaan kebangsaan Celebração do dia da Independência na Malásia em 1965
~03/09 a 13/09 Feriado da metade do 3° trimestre hari cuti triwulanan
19/10 a 04/01 Feriado do Ano Novo Tahun Baru
25/12 Natal malaio: Natal / inglês: Christmas

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Singapura

Notas

  1. Até a entrada em vigor do AO 1990 no Brasil, foi válida a grafia Cingapura. No entanto, o texto da íntegra do AO 1990 (ver Base III-3.°[1]) indica a ortografia com "S" inicial: Singapura. Apesar de estar grafado com "S" no texto o acordo, a mesma Base III do acordo declara que o emprego de tais grafemas consonânticos é determinado fundamentalmente pela história das palavras, o que dá margem a interpretações conflitantes sobre o cabimento ou não do uso da grafia com "C" inicial no Brasil, ainda que na prática esta continue a ser utilizada.

Referências

  1. Instituto de Linguística Teórica e Computacional. singapurense. Vocabulário Ortográfico Português. Portal da Língua Portuguesa. Página visitada em 26 de abril de 2012.
  2. Mandarin Starts at Home. The Straits Times (2009-03-18). Página visitada em 2009-03-18.
  3. a b c d Statistics Singapore – Latest Data – Population & Land Area (Mid-Year Estimates). Statistics Singapore (Junho de 2013). Página visitada em 14 de outubro de 2013.
  4. a b c d Singapore. Fundo Monetário Internacional (FMI). Página visitada em 21 de abril de 2012.
  5. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD): Human Development Report 2014 (em inglês) (24 de julho de 2014). Página visitada em 24 de julho de 2014.
  6. Distribution of family income – Gini Index. CIA (2012). Página visitada em 15 de agosto de 2013.
  7. a b Country Studies. U.S. Library of Congress. Página visitada em 1 de maio de 2007.
  8. a b Founding of Modern Singapore. Ministério de Informação, Comunicação e Arte. Página visitada em 14 de abril de 2006.[ligação inativa]
  9. BBC On This Day – 15 February 1942: Singapore forced to surrender. BBC (15 de fevereiro de 1942). Página visitada em 1 May 2007.
  10. Country studies: Singapore: World War II. U.S. Library of Congress.
  11. Country studies: Singapore: Road to Independence. U.S. Library of Congress.
  12. "Headliners; Retiring, Semi", 2 December 1990. Página visitada em 27 December 2008.
  13. a b c Leitch Lepoer, Barbara (1989). Singapore as Part of Malaysia. Library of Congress Country Studies. Government Printing Office. Página visitada em 29 de janeiro de 2011.
  14. About Us. Ministry of Foreign Affairs.
  15. Country profile: Singapore. BBC (15 de julho de 2009). Página visitada em 22 de abril de 2010.
  16. Heritage Trails: Bukit Timah Hill. Heritage trails. Página visitada em 09-10-12.
  17. Towards Environmental Sustainability, State of the Environment 2005 Report (PDF). Ministry of the Environment and Water Resources, Singapore. Página visitada em 2006-04-14.
  18. Climate of Singapore. National Environment Agency, Singapore. Página visitada em 2006-04-14.
  19. Earthtrends country profile (PDF).
  20. Weather Statistics (em inglês). National Environment Agency. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  21. Climatological Normals of Singapore (em inglês). Observatório de Hong Kong. Página visitada em 12 de maio de 2010.
  22. a b Singapore Statistic. Singapore Statistic. Página visitada em 2009-09-28.
  23. Baby Bonus. Ministry of Community Development, Youth and Sports. Página visitada em 2006-11-01.
  24. CIA - Singapore.
  25. Singapore's birth trend outlook remains dismal. Channel NewsAsia.
  26. Worthington (2002), Mauzy and Milne (2002).
  27. Economist Intelligence Unit democracy index 2006 (PDF). Economist Intelligence Unit. Página visitada em 2007-09-13.
  28. Country Report: Singapore. Freedom House.
  29. Seow F (1994). "To Catch a Tartar: A Dissident in Lee Kuan Yew's Prison ", Yale University SEA press.
  30. Transparency International - Corruption Perceptions Index 2006. Página visitada em 2007-02-03.
  31. Ministry of Home Affairs, Singapore (2004-01-30). The Singapore Government's Response To Amnesty International's Report "Singapore - The Death Penalty: A Hidden Toll Of Executions". Press release.
  32. Gross Domestic Product by Industry (PDF). Singapore Department of Statistics (2007). Página visitada em 2007-09-13.
  33. Xilinx (2007-09-14). Xilinx Underscores Commitment To Asia Pacific Market At Official Opening Of New Regional Headquarters Building In Singapore. Press release. Página visitada em 2007-11-21. [ligação inativa]
  34. MAS Annual Report 2005/2006. Monetary Authority of Singapore.
  35. Wong Choon Mei. "Singapore the most business-friendly economy in the world: World Bank", Singapore News, Channel NewsAsia, 2006-09-06. Página visitada em 2008-01-31. “Singapore has been rated as the most business-friendly economy in the world. According to a World Bank-IFC report, Singapore beats previous winner New Zealand for the top spot in the 2005/2006 rankings while the United States came in third.”
  36. "Singapore top paradise for business: World Bank", AFP, 2007-09-26. Página visitada em 2008-01-31. “SINGAPORE once again topped the World Bank's ranks for the best place in the world to do business, and Egypt is the leader in reforms to invite more business, the World Bank said on Tuesday. 'For the second year running, Singapore tops the aggregate rankings on the ease of doing business' in 2006 to 2007, the World Bank said in releasing its 'Doing Business 2008' report. www.Singaporeian.com”
  37. Performance of the Singapore Economy in 2005, Ministry of Trade and Industry (PDF). Página visitada em 2006-04-14. Cópia arquivada em 2006-08-23.
  38. Dominique Loh. "Singapore's economy grows by 7.7% in 2006", Channel NewsAsia, 2006-12-31.
  39. Per Capita GDP at Current Market Prices. Singapore Department of Statistics (2006-02-16).
  40. a b Manpower Research and Statistics Department. Employment Situation In Third Quarter 2007: Unemployment rate dropped to pre-Asian crisis level amid continued strong employment creation (PDF). Singapore Ministry of Manpower. Página visitada em 2007-12-30.
  41. Ramesh, S. "Singapore's economy grows 7.5% in 2007: PM Lee", Channel NewsAsia.
  42. a b FY 1996 Budget, Revenue And Tax Changes. Página visitada em 2006-05-01.
  43. GST rate to rise to 7% from 1 July. Página visitada em 2007-02-15.
  44. Singapore's economy grew by 1.1% in 2008. Página visitada em 2009-02-26.
  45. Year Book of Statistics, Singapore. Singapore Tourism Board.
  46. Ministry of Trade and Industry (Singapore) (18 de abril de 2005). Proposal to develop Integrated Resorts – Ministerial Statement by Prime Minister Lee Hsien Loong. Press release. Página visitada em 22 de abril de 2010.
  47. Urban Renewal Authority (27 de março de 2006). Let Bright Ideas Light Up Singapore. Press release. Página visitada em 22 de abril de 2010.
  48. What's On in Singapore, YourSingapore.com.
  49. Dogra, Sapna. "Medical tourism boom takes Singapore by storm", 16 de julho de 2005. Página visitada em 22 de abril de 2010.
  50. Kelly, Rachel. "Singapore retains busiest world port title", Channel News Asia, 10 de janeiro de 2008.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]


Bandeira de Singapura Singapura
Bandeira • Brasão • Hino • Cultura • Demografia • Economia • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens