Ciro Flamarion Cardoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ciro Flamarion Cardoso
Nome completo Ciro Flamarion Santana Cardoso
Nascimento 21 de Maio de 1925
Goiânia
Morte 29 de junho de 2013 (70 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasil
Ocupação Professor, Historiador


Ciro Flamarion Santana Cardoso (Goiânia, 20 de agosto de 1942Rio de Janeiro, 29 de junho de 2013) foi um historiador marxista brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Possui larga produção bibliográfica, incluindo interesses temáticos que vão da Historiografia e da Metodologia da História até os estudos sobre Antiguidade e, mais particularmente dentro deste campo, a Egiptologia. Também foi responsável por uma revisão significativa da discussão conceitual acerca do escravismo colonial brasileiro, contribuindo para o estabelecimento do conceito de "Modo de Produção Escravista Colonial" nos anos 1980.

A partir da década de 1990, interessou-se pela introdução de métodos semióticos na análise e interpretação de fontes históricas de diversos tipos. Fiel desde o princípio de sua carreira de historiador e ensaísta aos princípios básicos do Materialismo histórico, sua linha de análise deslocou-se de um Marxismo um pouco mais fechado no princípio de sua carreira (culminando esta primeira fase com os Ensaios racionalistas) para uma abordagem marxista mais flexível, voltada para interações interdisciplinares diversas.

Um dos primeiros livros, talvez o que o tornou mais conhecido do público acadêmico nos primeiros tempos por ter se propagado como uma manual importante no campo da metodologia da história, foi Os métodos da História, livro que escreveu em parceria com Hector Perez Brignole no período em que foi professor da Universidade da Costa Rica, durante o período repressivo da Ditadura Militar no Brasil.

Representativa da fase em que já adota a Semiótica como um paradigma importante para a análise historiográfica é a obra Narrativa, sentido, História, onde desenvolve um relevante mostruário das diversas possibilidades de análise semiótica - inclusive o uso dos 'Quadrados semióticos' e 'Grupos de Klein' - preocupando-se concomitantemente em discutir as suas possibilidades de utilização na análise historiográfica.

No âmbito dos estudos da Antiguidade, produziu algumas obras que são referências importantes para esta área de estudos históricos, como Trabalho compulsório na Antiguidade e Sete olhares sobre a Antiguidade".

Além do extenso currículo na área historiográfica, escreveu um livro chamado "A ficção científica - Imaginário do mundo moderno - Uma introdução ao gênero." É músico profissional e trabalhou como pianista.

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

1. CARDOSO, C. F. S.. Um historiador fala de teoria e metodologia: Ensaios. 1. ed. Bauru: EDUSC, 2005. v. 1. 282 p.

2. CARDOSO, C. F. S.. A ficção Científica, Imaginário do mundo contemporâneo: Uma introdução ao gênero.. 1. ed. NIterói: Vício de Leitura, 2003. v. 1. 124 p.

3. CARDOSO, C. F. S.. Ensayos. 01. ed. San josé: Editorial de la Universidad de Costa Rica, 2001. v. 01. 219 p.

4. CARDOSO, C. F. S.; MALERBA, J.. Representações: contribuição a um debate transdisciplinar. 1. ed. Campinas: Papirus, 2000. 288 p.

5. CARDOSO, C. F. S.. La Guyane Française (1715-1817): aspects économiques et sociaux.Contribution à l´étude des sociétés esclavagistes d´Amérique. Petit-Bourg (Guadaloupe): Ibis Rouge, 1999. 424 p.

6. CARDOSO, C. F. S.. Deuses, múmias e ziggurats: uma comparação das religiões antigas do Egito e da Mesopotâmia. Porto Alegre: Editora Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1999. 154 p.

7. CARDOSO, C. F. S. (Org.); VAINFAS, R. (Org.). Dominios da Historia. RIO DE JANEIRO: CAMPUS, 1997. 508 p.

8. CARDOSO, C. F. S.. Narrativa, Sentido, História. CAMPINAS: PAPYRUS, 1997. 272 p.

9. CARDOSO, C. F. S.. Sete Olhares Sobre A Antiguidade. BRASILIA: Editora da UnB, 1994. 224 p.

10. CARDOSO, C. F. S.; ARAÚJO, Paulo Henrique. Rio de Janeiro. MADRID: EDITORIAL MAPFRE, 1992. 00292 p.

11. CARDOSO, C. F. S. (Org.). Modo de Produção Asiático: nova visita a um velho conceito. Rio de Janeiro: Campus, 1990. 137 p.

12. CARDOSO, C. F. S.. Antigüidade oriental: política e religião. São Paulo: Contexto, 1990. 77 p.

13. CARDOSO, C. F. S.. Ensaios Racionalistas. RIO DE JANEIRO: CAMPUS, 1988. 00117 p.

14. CARDOSO, C. F. S. (Org.). Escravidão e abolição no Brasil: novas perspectivas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988. 112 p.

15. CARDOSO, C. F. S.. Escravo Ou Camponês? O Proto-Campesinato Negro Nas Américas.. SAO PAULO: Brasiliense, 1987. 126 p.

16. CARDOSO, C. F. S.. Sociedades do Antigo Oriente Próximo. São Paulo: Ática, 1986. v. 47.

17. CARDOSO, C. F. S.. A Cidade-Estado Antiga.. SAO PAULO: ATICA, 1985. 00095 p.

18. CARDOSO, C. F. S.. O trabalho na América Latina Colonial. São PaulO: Ática, 1985. v. 33. 96 p.

19. CARDOSO, C. F. S.. Economia e Sociedade Em áreas Coloniais Periféricas: Guiana Francesa e Pará (1750 - 1817).. RIO DE JANEIRO: Graal, 1984. 201 p.

20. CARDOSO, C. F. S.. O Trabalho Compulsório Na Antigüidade.. RIO DE JANEIRO: Graal, 1984. 150 p.

21. CARDOSO, C. F. S.. O Egito Antigo. São Paulo: Brasiliense, 1982. v. 36. 144 p.

22. CARDOSO, C. F. S.. Uma Introdução à História.. SAO PAULO: Brasiliense, 1981. 126 p.

23. CARDOSO, C. F. S.. Introducción Al Trabajo de La Investigación Histórica: conocimiento, método e historia. BARCELONA: Editorial Crítica, 1981. 218 p.

24. CARDOSO, C. F. S.. América pré-colombiana. São Paulo: Brasiliense, 1981. v. 16. 120 p.

25. CARDOSO, C. F. S.. A Afro-América: a escravidão no Novo Mundo. Rio de Janeiro: Graal, 1981. v. 44. 150 p.

26. CARDOSO, C. F. S. (Org.). México en el siglo XIX (1821-1910): historia económica y de la estructura social. México: Nueva Imagem, 1980. 525 p.

27. CARDOSO, C. F. S.; PÉREZ BRIGNOLI, Héctor. Historia Económica de America Latina, Volume I - Sistemas agrários e historia colonial. BARCELONA (Espanha): Editorial Crítica, 1979. v. 1. 232 p.

28. CARDOSO, C. F. S.. Agricultura, Escravidão e Capitalismo.. PETROPÓLIS: Vozes, 1979. 210 p.

29. CARDOSO, C. F. S.; PÉREZ BRIGNOLI, Héctor. Historia económica de América Latina, Volume II - Economías de exprotación y desarrollo capitalista. BARCELONA (Espanha): Crítica, 1979. v. V.2. 213 p.

30. CARDOSO, C. F. S. (Org.). Formación y desarrollo de la burguesia en México, siglo XIX. México: Siglo Veintiuno, 1978. 286 p.

31. CARDOSO, C. F. S.; PÉREZ BRIGNOLI, Héctor. Centroamérica Y La Economía Occidental (1520 - 1930). SAN JOSÉ (Costa Rica): Editorial de la Universidad de Costa Rica, 1977. 382 p.

32. CARDOSO, C. F. S.; PÉREZ BRIGNOLI, Héctor. El concepto de clases sociales: bases para una discusión. Madrid (Espanha): Ayuso, 1977. 137 p.

33. CARDOSO, C. F. S.; PÉREZ BRIGNOLI, Héctor. Los Métodos de La Historia. Iniciación a los problemas, métodos y técnicas de la historia demográfica, económica y social. BARCELONA (Espanha): Editorial Crítica, 1976. 432 p.

34. CARDOSO, C. F. S. (Org.); PÉREZ BRIGNOLI, Héctor (Org.). Tendencias actuales de la historia social y demográfica. México: Secretaría de Educación Pública, 1976. 190 p.

35. CARDOSO, C. F. S. (Org.); PÉREZ BRIGNOLI, Héctor (Org.). História económica y cuantificación. México: Secretaría de Educación Pública, 1976. 184 p.

36. CARDOSO, C. F. S. (Org.); PÉREZ BRIGNOLI, Héctor (Org.). Perspectivas de la historiografía contemporánea (Coleção SepSetenas nº 280). México: Secretaría de Educación Pública, 1976. v. 280. 182 p.

37. CARDOSO, C. F. S.. La historia como ciencia. San José (Costa Rica): Editorial Universitaria Centroamericana, 1975. 246 p.

38. CARDOSO, C. F. S.. História da Antigüidade. Rio de Janeiro: Curso Platão, 1967. 144 p.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]