Ciro I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ciro I da Pérsia)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Janeiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Ciro (Kuruš em persa antigo) foi rei de Anshan de c. 600 a.C. a 580 a.C., segundo algumas fontes, ou, de c. 652 a.C. a 600 a.C., segundo outras. O seu nome em persa moderno é کوروش, enquanto em grego, foi denominado Κύρος.

Ciro foi um dos primeiros membros da dinastia aquemênida. Acredita-se que tenha sido neto do fundador Aquêmenes e filho de Teispes de Anshan. Os filhos de Teispes dividiram o reino entre si após o falecimento do pai. Ciro reinou como rei de Anshan enquanto o seu irmão foi o rei Ariaramnes da Pérsia.

A fixação cronológica deste evento é incerta. Isto se deve à sua sugerida, mas ainda debatida, identificação com o soberano conhecido como "Kuras de Parsumas". Kuras é primeiramente mencionado em 652 a.C..

Neste ano, Shamash-shum-ukin, rei da Babilônia (668 a. C. - 648 a.C.), revoltou-se contra seu irmão mais velho e senhor Assurbanípal, rei da Assíria (668 a.C. - 627 a.C.). Kuras é mencionado no contexto de uma aliança militar com este. A guerra entre os dois irmãos terminou em 648 a.C., com a derrota e o suicídio de Samasumuquin.

Kuras é novamente citado em 639 a.C.. Neste ano Assurbanípal trabalhou para derrotar Elam e tornar-se senhor de diversos de seus antigos aliados. Kuras aparentemente se encontrava entre estes. O seu filho mais velho, "Arukku" foi enviado à Assíria para pagar tributo a este rei. Kuras então parece desaparecer dos registros históricos. A sua sugerida identificação com Ciro poderá auxiliar a conectar a dinastia aquemênida com os principais eventos do século VII a.C..

Assurbanípal morreu em 627 a.C.. Ciro presumivelmente continuou a pagar tributo a seus filhos e sucessores Assuretililani (627 a.C. - 623 a.C.) e Sinsariscum (623 a.C. - 612 a.C.). Ambos se opuseram devido a uma aliança liderada por Ciáxares dos Medos (633 a.C. - 584 a.C.) e Nabopolasar da Babilónia (626 a.C. - 605 a.C.). Em 612 a.C. os dois tentaram capturar a capital assíria Nínive. Isto representou de fato o fim do Império Assírio embora os remanescentes do exército Assírio, sob o comando de Assurubalite II (612 a.C. -609 a.C.) tenham continuado a resistir a partir de Harã.

A Média e a Babilônia logo dividiram as terras previamente controladas pelos Assírios. Anshan aparentemente caiu sob o controle dos medos. Considera-se que Ciro terminou os seus dias como vassalo tanto de Ciáxares ou seu filho Astiages (584 a.C. - 550 a.C.). Ciro foi sucedido por seu filho, Cambises I. O seu neto viria a ser conhecido como Ciro, o Grande, fundador do Império Aquemênida.

Note-se que este cômputo de sua vida e reinado pode colocar as suas primeiras atividades mais de um século antes das do seu neto. Isso colocaria a sua paternidade de Cambises II em idade muito avançada. É questionado que Kuras e Ciro sejam figuras distintas, de relação incerta entre si. O último pode então ter reinado no início do século VI a.C. e o seu reinado não ter sido marcado por eventos. Devido à atual falta de registros suficientes para este período histórico, permanece incerta qual seja a teoria mais próxima dos fatos.