Citoquímica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde julho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Citoquímica é o estudo da composição química celular e dos processos biológicos a nível molecular que se desenrolam no interior das células ainda que também se inclua aqui a área de histoquímica (coloração em tecidos) uma vez que os tecidos são constituídos por células. A citoquímica dedica-se ainda à identificação e localização dos compostos químicos e macromoléculas nas células. Esse estudo só é possível usando diferentes reagentes que, ao reagirem com as estruturas do tecido, permitem identificar as substâncias/estruturas em estudo bem como a sua localização.

As técnicas citoquímicas consistem num corte de tecido (pela rotina histológica) aderido a uma lâmina na qual se irá incubar diferentes reagentes (corantes e não corantes).

Controlos e contrastante[editar | editar código-fonte]

Para se realizar a técnica e esta ser válida há a necessidade de incluir um controlo positivo - um corte em que previamente sabemos existir a substância/estrutura a detetar e que por isso o resultado deve ser positivo. O controlo negativo é utilizado em apenas algumas técnicas e consiste num corte de tecido onde não existe a substância/estrutura ou esta foi retirada por processos químicos/físicos e que irá demonstrar se existe coloração inespecíficas, ou seja, estruturas que não devem corar por uma técnica, coram.

Normalmente, aquando da coloração é também incubado o corte com um contrastante, um corante de uma cor totalmente diferente da da estrutura/substância e que permite uma localização histológica da mesma no tecido.

Técnicas[editar | editar código-fonte]

Há diversas tipos de técnicas, sendo uma delas a impregnação argêntica que apesar de não se tratar de uma coloração mas sim uma deposição de pigmentos ao redor da substância/estrutura a detetar é incluída nas técnicas de coloração. Nesta técnica é utilizado o fator da deposição da prata metálica que depois é substituída por cloreto de ouro para que a coloração possa permanecer igual mesmo quando exposta à luz (exemplo : metanamina prata).
Uma técnica cuja deteção não é feita pela coloração da substância mas sim da falta da mesma é o PAS, em que é utilizado dois cortes em que um é feita a incubação com diastase que irá digerir o glicogénio e retirá-lo do corte. Assim, sabendo que o o glicogénio é corado com rosa (como o restante corte) quando no corte tratado com diastase há espaços brancos, estes são atribuídos ao glicogénio.

São diversas as técnicas existentes como:

Técnica O que deteta? Controlo positivo Cores da coloração
Giemsa Células hematopoiéticas Medula óssea e baço Núcleos - azul; granulações acidófilas - rosa; granulações basófilas - azul
Reticulina Fibras reticulares Tecido hepático Fibras de reticulina - preto; núcleos - vermelho
Orceína Fibras elásticas Tecido pulmonar, artérias de grande calibre Fibras elásticas - castanho escuro; núcleos - azul; fibras de colagénio e restantes estruturas - incolores
Tricómio de Masson Fibras de colagénio Útero, apêndice fibras - azul; núcleos - azul/preto; músculo, citoplasma, eritrócitos e queratina - vermelho; grânulo argirófilos - preto ou vermelho
Metanamina Prata Membrana Basal Rim membranas basais - preto; fundo - verde ou vermelho
PAS com e sem diastase Glicogénio Fígado núcleos - azul; mucinas neutras e algumas mucinas ácidas - magenta; membrana basal - magenta; parede de fungos - magenta; glicogénio - magenta no sem diastase e incolor no com diastase
Azul de Alcian pH=1 Mucinas ácidas sulfatadas Intestino delgado mucinas ácidas sulfatadas - azul pálido; núcleos - rosa avermelhado
PAS com Azul de Alcian Mucinas ácidas e neutras Rim Mucinas ácidas - azul; mucinas neutras - magenta; mistura de mucinas ácidas e neutras - púrpura; núcleos - azul pálido
Vermelho de congo Amilóide Tecido com amilóide (é uma substância - parte de patologia) núcleos - azuis; amilóide - vermelho (com o polarizador é verde birrefringente - amarelo)
Oil Red Lípidos neutros Qualquer um (todos os tecidos contêm lípidos Lípidos - vermelho; núcleos - azul
Perl's Pigmentos férricos Pulmão ou fígado com patologia pigmento férrico - azul de prússia; citoplasma (fundo) - rosa avermelhado
Halls Pigmentos biliares Fígado ou vesícula biliar bilirrubina (pigmento biliar) - verde esmeralda; colagénio - vermelho; citoplasma (fundo) - amarelo
Zhieh-Neelson Micobactéria AAR Tecido infectado pelo M.Tuberculosis micobactérias - rosa avermelhado; componentes acidófilos (fundo) - verde
Giemsa modificado Helicobacter pylori Tecido gástrico infectado Microorganismos tipo Helicobacter pylori - azul escuro; fundo - vários tons de azul
LEDER Atividade da cloroacetato esterase Medula óssea e apêndice com inflamação aguda atividade enzimática das células mielóides - vermelho brilhante; monócitos e linfócitos - ausente/intensidade fraca; núcleos - azul
Luxol Fast Blue Mielina Cérebro, medula espinhal ou nervo periférico mielina - azul turquesa; células nervosas - púrpura; neutrófilos - rosa

Referências

Bancroft - Theory and Practice of Histological Techniques