Clássico Rei

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Clássico Rei
ABC x América
ABC Futebol Clube 150 vitória(s), 580 gol(s)
América Futebol Clube 147 vitória(s), 539 gol(s)
Empates 147
Total de jogos 444
Total de gols 1 119
editar

O Clássico Rei é o maior clássico de futebol do estado do Rio Grande do Norte. É o confronto entre o ABC Futebol Clube e o América Futebol Clube, ambos sediados na cidade do Natal, capital do estado.

Neste artigo, apenas JOGOS OFICIAIS são levado em consideração, excluindo-se, por consequência, os torneios e jogos amistosos.

Estatística geral do Clássico Rei[editar | editar código-fonte]

Juntando os dados das partidas válidas pelo Campeonato Potiguar, Campeonato Brasileiro, Copa do Nordeste, e outras competições oficiais organizadas pela FNF e CBF, temos as seguintes estatísticas:

  • Jogos: 444
  • Vitórias do ABC: 150
  • Vitórias do América: 147
  • Empates: 147
  • Gols do ABC: 580
  • Gols do América: 539

Maior goleada[editar | editar código-fonte]

Historicamente, conta-se que a maior goleada entre ABC e América aconteceu em 14 de outubro de 1945, quando, pelo campeonato estadual, o alvinegro aplicou 8 a 1 no seu maior rival. Os gols desta partida foram marcados por Tico (4), Euclides(2), Pageú (1) e Albano (1) para o ABC. Viana descontou para o América.

Mais recentemente, o pesquisador e estatístico Marcos Trindade noticiou que a maior goleada do Clássico Rei, na realidade, aconteceu em 21 de agosto de 1935, também pelo campeonato estadual, quando o alvinegro aplicou um sonoro 8 a 0 no América. Os gols desta partida foram marcados por Xixico (3), Simão, Augusto, Oscar, Mário Crise e Romano. A partida foi realizada no Juvenal Lamartine.

Partida com o maior número de gols[editar | editar código-fonte]

A partida com maior número de gols anotados na história do Clássico Rei foi válido pelo campeonato estadual de 1933. Esta partida ocorreu no ano posterior, na data de 15 de Abril de 1934, sendo a final do referido campeonato. A partida terminou 6 a 4 para o alvinegro. Os gols foram marcados por Xixico (3), Sales, Simão e Oscar para o ABC, descontando Marinheiro, Neném, Cesário e Raimundo Canuto para o América. O jogo foi realizado no Juvenal Lamartine. Segue a ficha técnica da partida:

  • Ficha Técnica:

ABC 6 x 4 AMÉRICA

Data: 15/04/1934

Local: Juvenal Lamartine

Gols: Xixico (3), Sales, Simão e Oscar / Marinheiro, Neném, Cesário e Raimundo Canuto.

Árbitro: Reinaldo Praça

ABC: Daniel; Nezinho e Dorcelino; Adalberto, Mário e Elias; Pereirão, (Rodolfo), Oscar, Simão, Xixico e Sales (Augusto). Técnico: Vicente

Farache.

AMÉRICA: Édson; Paulo e Hemetério; Moreira, Teixeira e Nóbrega; Aciolly, Marinheiro, Neném, Cesário e Raimundo. Técnico: NC.

Maior Invencibilidade[editar | editar código-fonte]

A maior invencibilidade no clássico em jogos oficiais é do América. Entre os anos de 1980 e 1983, o clube alvirrubro ficou 24 partidas oficiais sem perder para seu maior rival. Segue abaixo os jogos:

1980 - 5 jogos

  • Campeonato Estadual – 02/11/1980 - América 4 x 1 ABC(Marinho Apolônio(3) e Paulo César Cascavel / Jonas)
  • Campeonato Estadual – 16/11/1980 - América 2 x 0 ABC(Paulo César Cascavel e Didi Duarte)
  • Campeonato Estadual – 19/11/1980 - América 2 x 1 ABC(Didi Duarte e Marinho Apolônio / Juarez)
  • Campeonato Estadual – 29/11/1980 - América 1 x 1 ABC(Paulo César Cascavel / Jonas)
  • Campeonato Estadual – 01/12/1980 – América 0 x 0 ABC

1981 – 9 jogos

  • Taça Cidade do Natal -12/04/1981 – América 0 x 0 ABC
  • Taça Cidade do Natal – 15/04/1981 – América 1 x 1 ABC (Didi Duarte / Noé Soares)
  • Taça Cidade do Natal – 24/05/1981 - América 1 x 1 ABC(Norival / Juarez)
  • Taça Cidade do Natal – 27/05/1981 – América 0 x 0 ABC
  • Campeonato Estadual – 12/07/1981 – América 1 x 0 ABC (Norival)
  • Campeonato Estadual – 02/08/1981 – América 1 x 1 ABC (Norival / Alberi)
  • Campeonato Estadual – 13/09/1981 – América 1 x 1 ABC (Sandoval / Noé Soares)
  • Campeonato Estadual – 18/10/1981 – América 0 x 0 ABC
  • Campeonato Estadual – 29/11/1981 - América 3 x 2 ABC(Sandoval, Miltão e Beca / Juarez e Peri)

1982 – 10 jogos

  • Taça Cidade do Natal – 24/04/1982 – América 1 x 1 ABC (Didi Duarte / Pernambuco)
  • Taça Cidade do Natal – 23/05/1982 - América 2 x 0 ABC(Curió e Didi Duarte)
  • Taça Cidade do Natal – 19/06/1982 - América 3 x 3 ABC(Tulica, Curió, Arié[contra] / Marinho Apolônio, Noé e Alberi)
  • Taça Cidade do Natal – 23/06/1982 – América 0 x 0 ABC
  • Taça Cidade do Natal – 09/07/1982 - América 1 x 1 ABC(Severinho / Marinho Apolônio)
  • Campeonato Estadual – 22/08/1982 – América 0 x 0 ABC
  • Campeonato Estadual – 10/10/1982 - América 2 x 1 ABC(Silva(2) / Neinha)
  • Campeonato Estadual – 14/11/1982 – América 0 x 0 ABC
  • Campeonato Estadual – 17/11/1982 – América 0 x 0 ABC
  • Campeonato Estadual – 21/11/1982 - América 2 x 2 ABC(Junior e Silva / Soares e Neinha)

Maiores Goleadores[editar | editar código-fonte]

A lista a seguir detalha os maiores artilheiros do Clássico Rei. Devido as inconstâncias dos dados anteriores à adoção do profissionalismo no futebol do Rio Grande do Norte, trazemos apenas os maiores goleadores da era profissional (a partir de 1950):

  • Maior artilheiro do Clássico Rei (pelas duas equipes):

Marinho Apolônio - 23 gols.

Baíca - 15 gols

Sérgio Alves - 14 gols

Gol mais rápido[editar | editar código-fonte]

O gol mais rápido do Clássico Rei, e um dos mais rápidos da história do futebol, foi marcado por Didi Duarte, meio-campista do América, no clássico do dia 15 de abril de 1981, em jogo válido pela Taça Cidade do Natal daquele mesmo ano. O gol aconteceu logo após o início da partida, ao ver o goleiro Caetano do ABC adiantado, Didi Duarte bateu do centro do campo encobrindo o goleiro e marcando o gol aos 5 segundos de partida.

A partida terminou com o placar de 1 a 1, com Noé Soares empatando para o alvinegro. Apenas 8.287 pagantes presenciaram tal feito, que seria recorde mundial se houvesse sido registrado por imagens. Conta-se que a TVU, única estação de tv do Estado naquela época, ainda não tinha começado a transmissão da partida. Segue a ficha técnica da partida.

  • Ficha Técnica:

ABC 1 x 1 AMÉRICA

Data: 15/04/1981

Gols: Noé Soares / Didi Duarte

Local: Estádio Castelão (Machadão)

Público Pagante: 8.287

Árbitro: Cézar Virgílio.

ABC: Caetano, Joel, Domício, Cláudio Oliveira e Betinho (Gelson), Arié, Paulinho e Noé Soares, Juarez, Da Silva e Babá.

AMÉRICA: César Etcheverry, Saraiva, Norival, Odélio e Wassil Mendes, Jorge Bonga, Gilson Lopes e Didi Duarte, Sandoval, Marinho Apolônio e Severinho.

Recorde de Público[editar | editar código-fonte]

O maior público do Clássico Rei, e do Estádio Machadão, foi no campeonato estadual de 1976, no dia 04 de Julho de 1976, no Estádio Machadão (ainda chamado de Castelão), numa partida que terminou com uma vitória do América por 2 a 1. Na ocasião as torcidas de ABC e América colocaram 50.486 pagantes no antigo estádio da Lagoa Nova.

  • Ficha Técnica:

ABC 1 X 2 AMÉRICA

Data: 04/07/1976

Local: Estádio Castelão (Machadão):

Juiz: Oscar Scolfaro;

Renda: Cr$ 628 060,00;

Público Pagante: 50 486:

Gols: Ivanildo 29 do 1.°; Alberi 13 e Zé Carlos Olimpico 16 do 2.°;

Expulsão: Hélcio

ABC: Helio, Fidelis, Pradera, Vagner, Vuca (Orlando), Drailton, Danilo Meneses. Noé Silva, Zé Carlos (Zé Carlos Olimpico), Reinaldo e Macunaíma

America: Otávio; Olimpio, Joel, Odelio, Cosme; Juca Show, Alberi, Helcio; Ronaldo, Pedrada (Washington) e Ivanildo.

Maiores Públicos da história do Clássico Rei[editar | editar código-fonte]

Os quinze maiores públicos do Clássico Rei em jogos oficiais foram no Estádio Machadão, durante a década de 70. Segue a lista.

1)   50.486 pagantes – América 2 x 1 ABC (Ivanildo e Alberi / Zé Carlos) , pelo Estadual de 1976 (04/07/1976).

2)   49.081 pagantes – ABC 3 x 0 América (Reinaldo 2x e Noé Silva), pelo Estadual de 1976 (09/05/1976).

3)   48.000 pagantes – América 1 x 0 ABC (Olavo), pela Taça Cidade do Natal de 1973 (18/03/1973).

4)   43.154 pagantes – ABC 1 x 0 América (Zé Carlos), pela Taça Cidade do Natal de 1976 (22/02/1976).

5)   43.144 pagantes – ABC 4 x 2 América (Morais, Demolidor(2) e Libânio / Santa Cruz(2)), pelo Estadual de 1973 (22/07/1973)

6)   38.920 pagantes – ABC 2 x 1 América (Morais e Jaílson / Afonsinho), pelo Estadual de 1973 (20/05/1973).

7)   38.700 pagantes – ABC 0 x 0 América, pelo Estadual de 1976 (25/07/1976).

8)   36.401 pagantes – ABC 3 x 0 América (Noé Soares, Santa Cruz e Danilo Menezes), pelo Brasileiro de 1977 (20/11/1977).

9)   36.200 pagantes – ABC 0 x 0 América, pelo Estadual de 1976 (17/08/1976).

10)  35.983 pagantes – América 2 x 2 ABC (Washington e Davi / Alberi e Anchieta), pela Seletiva de 1974 (13/02/1974).

11)  33.545 pagantes – América 3 x 2 ABC (Pedrada, Reinaldo e Helcio / Noé Silva e Noé Soares), pelo Estadual de 1975 (27/04/1975).

12)  33.400 pagantes – ABC 3 x 2 América (Noé Silva(2) e Zé Roberto / Pedrada(2)), pelo Estadual de 1975 (08/06/1975).

13)  33.185 pagantes – América 2 x 2 ABC (Hélcio Jacaré e Washington / Jorge Demolidor e Soares), pela Taça Cidade do Natal de 1974 (04/08/1974).

14)  32.200 pagantes - América 3 x 3 ABC (Pedrada(2) e Hélcio Jacaré / Noé Silva, Noe Soares e Alberi), pelo Estadual de 1975 (20/07/1975).

15) 32.071 pagantes – América 2 x 2 ABC (Santa Cruz e Reinaldo / Alberi e Zé Roberto), pelo Estadual de 1974 (03/11/1974).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.