Clarice Orsini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Clarice Orsini, (Monterotondo, c. 1453 - 30 de julho de 1488), foi a esposa de Lourenço de Médici e mãe do Papa Leão X. Filha de Jacopo (Giacomo) Orsini, Senhor de Monterotondo e de Bracciano e sua esposa Maddalena Orsini. Nasceu nos Estados Pontifícios, ela é mais conhecida por ter sido mulher de Lourenço de Médici, de facto governante da República Florentina. Foi mãe do Papa Leão X.

Lourenço e Clarice casaram-se por procuração a 7 de fevereiro de 1469. O casamento foi arranjado pela mãe de Lourenço, Lucrezia Tornabuoni, que desejava que o seu filho mais velho se casasse com uma mulher da nobreza, a fim de melhorar o estatuto social da Médicis. O dote de Clarice foi de 6 000 florins. Clarice chegou a Florença a 4 de junho de 1469.

A sua popularidade era bastante débil devido à sua estrita personalidade religiosa que se encontrava em profundo contraste com os ideais humanistas da época. Contudo, Lourenço de Médicis, tinha uma amante, Lucrezia Donati a quem dedicaria os seu poemas. Dos nove filhos nascidos do casal, três haviam falecido na infância.

Durante a conspiração Pazzi, que visava assassinar Lourenço e o seu irmão Juliano de Médici, Clarice e os seus filhos foram enviados para Pistoia. Neste período, os Pazzis conseguiram assassinar Juliano, porém Lourenço sobreviveu ai ataque, assim o plano dos conspiradores de substituir o Médicis enquanto governante de facto de Florença, falhou.

Clarice regressou a Roma inúmeras vezes para visitar os seus parentes, assim como Volterra, Colle di Val d'Elsa e Passignano sul Trasimeno entre outros locais da época de 1480. A 30 de julho de 1488 Clarice Orsini faleceu inesperadamente de tuberculose em Florença.

Descendentes[editar | editar código-fonte]

O casal teve dez filhos, alguns dos quais tiveram fundamental importância sobre a história do Renascimento e de Florença;

Provavelmente o fato de Clarice ser uma Orsini era, juntamente com a riqueza da família Médici, tornou possível que João fosse nomeado cardeal e mais tarde Papa Leão X em 1513.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Marcello Vannucci, Las mujeres Médici, Newton Compton Editores, Roma 1999, ISBN 88-541-0526-0