Classe Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Classe Pará identifica dois grupos de navios contratorpedeiros da Marinha do Brasil.

Classe Pará (1906)[editar | editar código-fonte]

Classe Pará é o nome da classe que corresponde aos contratorpedeiros construídos no início do século XX, pelo Estaleiro Yarrow, na cidade de Glasgow na Escócia.

Estes navios fizeram parte do Plano Naval de 1906, que modernizou a Marinha Brasileira na época.

Da frotilha inicial de 10 navios, 6 ainda estavam em operação no início da Segunda Guerra Mundial.

CT Amazonas (CT-1) embandeirado nas comemorações do Dia da Independência do Brasil, em 1923, em Porto Alegre.

Lista de navios – Classe Pará (1906)[editar | editar código-fonte]

Características[editar | editar código-fonte]

  • Deslocamento (toneladas): 560-padrão / 640-plena carga
  • Dimensões (metros): Comprimento: 73 m; Boca (largura): 7 m; Calado: 2,4 m.
  • Propulsão: dois motores de tripla expansão (8.000 hp), duas caldeiras Yarrow.
  • Velocidade (nós): 27
  • Raio de Ação (quilometros): 3000 km a 15 nós
  • Armamento:
    • Armamento principal: 2 canhões de 101,6 mm, instalações simples
    • Armamento secundário: 4 canhões de 47 mm, instalações simples
    • Torpedos: 2 tubos de torpedo simples de 457 mm
    • Lança Cargas de profundidade: 2 rampas, adaptadas no inicio da segunda Guerra.
  • Tripulação: 110 homens

Classe Pará[editar | editar código-fonte]

USS Albert David (FF-1050) Classe Garcia, quando ainda a serviço da US Navy.

Classe Pará é o nome da classe que corresponde as fragatas americanas da Classe Garcia, compradas usadas da US Navy pela Marinha Brasileira.

Basicamente, estas embarcações se destinavam a guerra anti-submarina (ASW) e foram projetadas para a função de escolta. Não possuiam capacidade de defesa anti-aérea. Ao todo, a classe Garcia americana era composta por 11 navios.

O Brasil adquiriu quatro unidades. Na marinha brasileira, foram renomeadas como contratorpedeiros.

Ocorreram muitos problemas com a manutenção das caldeiras das turbinas a vapor, além dos problemas de obsolescência. O último contratorpedeiro da classe na ativa, o CT Pará, fez sua mostra de desarmamento em 12 de novembro de 2008.

Lista de navios – Classe Pará[editar | editar código-fonte]

USS Hailey (DD-556) Classe Fletcher, quando ainda a serviço da US Navy.

A Marinha do Brasil manteve em sua frota contratorpedeiros da Classe Fletcher utilizados inicialmente pela US Navy durante a Segunda Guerra Mundial. Estes navios tinham o mesmo nome e indicativo visual de alguns dos navios da Classe Pará . Foram eles:

  • CT Pará (D-27) (1941) – ex USS Guest (DD-472)
  • CT Paraiba (D-28) (1941) - ex USS Bennett (DD-473)
  • CT Paraná (D-29) (1943) - ex USS Cushing (DD-797)
  • CT Pernambuco (D-30) (1942) - ex USS Hailey (DD-556)
  • CT Piaui ( D-31 ) - ex USS Hancock
  • CT Santa Catarina ( D-32) - ex USS Irwin
  • CT Maranhão ( D-33 ) ex USS Shields

Características[editar | editar código-fonte]

  • Deslocamento (toneladas): 3.320-padrão / 3.585-plena carga
  • Dimensões (metros): 126,3 x 13,5 x 7,3 (sonar) / 4,4 (quilha)
  • Velocidade (nós): 27,5
  • Raio de Ação (milhas): 4.000-a 20 nós
  • Armamento:

Estes navios possuiam canhões Bofors dotando os navios de capacidade antí-aérea.

  • Tripulação: 286 homens

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre a Marinha do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.