Classificação planetária no universo de Star Trek

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Classificação dos Planetas dentro do universo de Jornada nas Estrelas:

Classe A - Supergigante gasoso Normalmente são encontrados planetas desta classe na zona fria de uma estrela. Eles têm aproximadamente 140 mil a dez milhões de quilômetros em diâmetro com temperaturas interiores altas que os fazem irradiar calor. Baixa radiação estelar e gravidade de planeta alta os permite manter uma superfície tênue incluída de hidrogênio gasoso e combinações de hidrogênio.

Exemplo: Júpiter

Classe B - Gigante Gasoso Normalmente são encontrados Planetas Classe B na zona fria de uma estrela. Eles têm aproximadamente 50 mil a 140 mil quilômetros em diâmetro com temperaturas de interior altas mas não irradiam muito calor. Baixa radiação estelar e gravidade de planeta alta os permite a manter uma superfície tênue incluída de hidrogênio gasoso e combinações de hidrogênio. Podem possuir anéis constituídos de materiais cósmico ao seu redor.

Exemplos: Saturno e Urano

Classe C - Reduzido Normalmente são encontrados planetas desta classe na zona habitável (água em estado líquido) de uma estrela. Eles têm aproximadamente 10 a 15 mil quilômetros em diâmetro, com temperaturas de superfície altas devido ao efeito estufa causado pelas atmosferas densas deles. A única água encontrada está em forma de vapor.

Exemplo: Venus

Classe D - Geo-Plástico Normalmente são encontrados planetas desta classe na zona habitável de uma estrela. Com aproximadamente dez mil a quinze mil quilômetros em diâmetro, eles têm uma superfície fundida porque foram formados recentemente. A atmosfera contém muito hidrogênio e gases de reativos.

Classe E - Geo-Metálico Planetas desta classe têm um núcleo fundido e normalmente são encontrados na zona habitável de uma estrela. Eles têm aproximadamente 10.000 a 15.000 quilômetros em diâmetro. As suas atmosferas ainda contêm combinações de hidrogênio. Eles esfriarão mais adiante eventualmente se tornando Classe F.

Classe F - Geo-Cristalino Normalmente são encontrados planetas da classe F na zona habitável de uma estrela. Eles têm aproximadamente dez mil a quinze mil quilômetros em diâmetro e com superfícies que ainda são cristalizadas. As suas atmosferas ainda contêm um pouco de gases tóxicos. Eles esfriarão e se tornarão eventualmente classe C, M ou N.

Classe G - Deserto Podem ser encontrados planetas desta classe em quaisquer das zonas de uma estrela. Eles têm aproximadamente oito mil a quinze mil quilômetros em diâmetro. As suas superfícies estão normalmente quentes e suas atmosferas contêm gases pesados e vapores de metal.

Classe H - Geo-Termal Normalmente são encontrados planetas desta classe na zona habitável ou fria de uma estrela. Eles têm aproximadamente mil a dez mil quilômetros em diâmetro com superfícies parcialmente fundidas e atmosferas que contêm muitas combinações de hidrogênio. Eles esfriam e se tornam classe L.

Classe I - Asteroide ou Lua Podem ser encontrados corpos planetários desta classe em quaisquer das zonas de uma estrela. Eles normalmente são encontrados em órbita de planetas maiores ou em campos de asteroides e têm aproximadamente cem a mil quilômetros em diâmetro, sem nenhuma atmosfera. As suas superfícies são estéreis e cheias de crateras. Muitas luas são na verdade asteroides capturados pela gravidade de um planeta.

Exemplos: Fobos e a Lua

Classe J - Geo-Morteus São encontrados planetas desta classe na zona quente de uma estrela. Eles tem aproximadamente mil a dez mil quilômetros em diâmetro, com temperaturas de superfície altas devido a proximidade a estrela. As suas atmosferas são extremamente tênues com poucos gases quimicamente ativos.

Exemplo: Mercúrio

Classe K - Adaptável Normalmente são encontrados planetas desta classe na zona habitável de uma estrela. Eles são adaptáveis para colonização por humanóides pelo uso de cúpulas de pressão e outros dispositivos de apoio de vida. Eles têm aproximadamente cinco mil a dez mil quilômetros em diâmetro, com atmosferas magras e pequenas quantidades de água.

Exemplo: Marte

Classe L - Geo-Inativo Normalmente são encontrados planetas desta classe na zona ou fria de uma estrela. Eles têm aproximadamente mil a dez mil quilômetros em diâmetro. Baixa radiação solar e calor interno mínimo normalmente resultam em uma atmosfera congelada.

Exemplo: Plutão

Classe M - Terrestre São encontrados planetas da classe M (Mishara class (designação Vulcana/Vulcanos)) na zona habitável de uma estrela. Eles têm aproximadamente dez mil a quinze mil quilômetros de diâmetro com atmosferas oxidantes com pressão por volta de 760 milímetros de mercúrio, que contêm oxigênio e nitrogênio respiráveis a maioria dos seres vivos. Água em estado líquido e formas de vida animal e vegetal são tipicamente abundantes.

Exemplo: Terra

Classe N - Pelágio Normalmente são encontrados planetas da Classe N na zona habitável de uma estrela. Eles têm aproximadamente dez mil a quinze mil quilômetros em diâmetro, com atmosferas oxidantes com pressão por volta de 760 milímetros de mercúrio que contêm oxigênio e nitrogênio respiráveis a maioria dos humanóides. Água em estado líquido e formas de vida animal e vegetal são tipicamente abundantes. A diferença entre um planeta classe M ou N é que os planetas classe N possuem pelo menos 97% de sua superfície coberta com água.

Classe S - Proxíma a uma Estrela (tamanho) Normalmente são encontrados planetas desta classe na zona fria de uma estrela. Eles têm aproximadamente 50 milhões a 120 milhões de quilômetros em diâmetro, com temperaturas de núcleo altas que os causam radiação calor e luz. Esta é a maior possibilidade em termos de tamanho de planetas, porque a maioria dos corpos planetários que alcançam este tamanho se torna estrelas.

Classe T - Gasoso Ultragigante Normalmente são encontrados planetas desta classe na zona fria de uma estrela. Eles têm aproximadamente dez milhões a cinquenta milhões de quilômetros em diâmetro, com temperaturas interiores altas que os permitem irradiar bastante calor para manter a água em um estado líquido.

Classe Y - Demônio Podem ser encontrados planetas e planetóides desta classe em quaisquer das zonas de uma estrela. Eles têm aproximadamente 10 a 15 mil quilômetros em diâmetro. Condições atmosféricas são freqüentemente turbulentas e saturadas com substâncias químicas venenosas e radiação thermolítica. Temperaturas de superfície podem alcançar mais de 500 K. Nenhum ambiente conhecido é menos hospitalário a vida da humanidade que um corpo planetário Classe Y.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]