Claude Chabrol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde setembro de 2014).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Claude Chabrol
Claude Chabrol em Amiens, novembro de 2008.
Nascimento 24 de junho de 1930
Paris,  França
Morte 12 de setembro de 2010 (80 anos)
Paris, França
Ocupação Cineasta
IMDb: (inglês)

Claude Henri Jean Chabrol (Paris, 24 de junho de 1930  — 12 de setembro de 2010[1] ) foi um diretor de cinema, produtor de filmes, ator e roteirista francês.

É considerado por muitos críticos o inaugurador da Nouvelle Vague, percorrendo com bom humor [2] meio-século de carreira, independententemente de qualquer escola, porém como crítico reconhecido, engraçado, guloso, apreciador de boa cozinha e de bom vinho.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fiho único[3] de Madeleine, nascida Delarbre, e de Yves Chabrol, ele nasceu apesar das advertências de médicos recomendando o aborto porque a mãe estava grávida de três meses, após haver sido descoberta inanimada ao mesmo tempo que seu marido por causa de um aquecedor defeituoso. Claude Chabrol tratou da questão do aborto em vários filmes que fez ulteriormente.

Desde os 4 anos de idade, começou a frequentar as salas de cinema parisienses[4] . Seu pai, farmacêutico e resistente francês, enviou o filho durante a Segunda Guerra Mundial para a casa de sua avó paterna, em Sardent, no departamento da Creuse. Mais tarde, Claude Chabrol contou que tornou-se projecionista numa sala de cinema que ele inventou aos 11 anos de idade, numa garagem desocupada. Na realidade, o cinema sardentês foi criada em 1942 pelo engenheiro Georges Mercier, Claude Chabrol tendo inventado este episódio na biografia que lhe fez Wilfrid Alexandre, escrita sob o controle de Chabrol[5] .

De retorno a Paris após a libertação da França, Chabrol começou a estudar direito, período em que encontrou Jean-Marie Le Pen, que mais tarde se tornaria presidente da Frente Nacional, partido conservador e ultradireitista francês[6] .Depois, sob a influência parental, começou a estudar farmácia mas sem convicção, estudos que abandonou após haver quadruplicado o primeiro ano[7] .

Atraído pelo cinema, entra em 1955 como auxiliar de imprensa na 20th Century Fox, porém continuou a trabalhar como crítico de cinema ao lado de François Truffaut e Jacques Rivette, seus solegas nos Cahiers du cinéma, atividade que começou desde o início da Nouvelle Vague francesa. De 1953 a 1957, na revista fundada por André Bazin e Jacques Doniol-Valcroze, engajou-se na defesa da política dos autores publicando em 1957 com Éric Rohmer, um livro sobre Alfred Hitchcock, o mestre do suspense e aquele que conseguiu impor seu estilo ao sistema de Hollywood. Em seguida, outro encontro também foi muito importante para ele: a do romanceiro Paul Gégauff, seu futuro cenarista, vindo de um ambiente muito distante da educação burguesa de Chabrol, deixando-lhe marcas profundas e duradouras[8] .

Neste ínterim, casou-se com Agnès, rica herdeira que lhe ajudou a financiar a criação da sua empresa de produção cinematográfica. Esta começou com um filme de curta-metragem de Jacques Rivette, Le Coup du berger, com o ator Jean-Claude Brialy. Em 1959, dirigiu seu primeiro filme, Le Beau Serge, em Sardent, filme que se tornou o manifesto inicial da Nouvelle Vague[vago][9] .

Divorciou-se cinco anos depois para casar com a atriz Stéphane Audran, começando uma frutuosa colaboração até se separarem, em 1980. Durante este período, tornou-se um especialista da análise da burguesia francesa, criticando com veemência um conformismo servindo para dissimular a efervescência de vícios e de ódios. Quer seja no domínio da comédia feroz e de humor ácido ou do filme policial, frequentemente associado ao roteirista Paul Gégauff, Claude Chabrol nunca deixou de assediar a hipocrisia, as baixezas e a besteira com deleitação ímpar e intensa alegria, à qual participam seus atores prediletos: Stéphane Audran, Michel Bouquet, Jean Yanne. Ele compôs assim um retrato sem compromisso da França dos anos de 1970, áspero e corrosivo, onde predominam La Femme infidèle (A mulher infiel), Juste avant la nuit (Pouco antes da noite) ou Les Biches(Os bichos).

No final da década de 1970, deu uma reviravolta e optou por assuntos mais ecléticos, perdendo as vezes uma parte de sua inspiração. Mas o seu encontro com a jovem Isabelle Huppert, em 1978 (que se tornou conhecida em grande parte graças a Chabrol) dá uma reviravolta em sua carreira.

Em 1983, casou- se pela terceira vez, agora com Aurore Pajot, que se tornou sua roteirista predileta. A filha dela, Cécile Maistre, tornou-se sua assistente em muitos filmes. Chabrol atribui frequentemente papéis ao filho mais novo Thomas Chabrol, enquanto outro filho dele, Matthieu Chabrol, foi compositor da música de seus filmes a partir da metade do anos de 1980.

Ele recebeu, por sua obra cinematográfica excepcional, o prêmio René Clair da Académie Française em 2005.

Claude Chabrol morreu em 12 de setembro de 2010, aos 80 anos, de complicações cardíacas e pulmonares. Foi sepultado na sexta-feira 17 de setembro em Paris.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Realizador[editar | editar código-fonte]

Ano
Título original
Título em português
Observações
1958 Le Beau Serge Nas Garras do Vício
1959 Les cousins Os Primos
1959 À double tour Quem Matou Leda?
1960 Les Bonnes Femmes Mulheres Fáceis/ Entre Amigas
1961 Les Godelureaux Les Godelureaux
1962 Les sept Péchés capitaux Os Sete Pecados Capitais (filme)/Os sete Pecados Capitais
1962 L'Oeil du Malin L'Oeil Du Malin
1963 Ophélia Ophélia
1963 Landru Landru, o Barba Azul'
1964 Les plus belles escroqueries du monde As Maiores Trapaças do Mundo
1964 Le Tigre aime la chair fraiche O Código é Tigre
1965 Paris vu par... Paris Visto Por...
1965 Marie-Chantal tre le docteur Kha A Espiã de Olhos de Ouro Contra o Dr. Chantal
1965 Le Tigre se parfume à la dynamite O Tigre Se Perfuma Com Dinamite
1966 La Ligne de démarcation La Ligne de démarcation
1967 Le Scandale O Escândalo
1967 La Route de Corinthe O Espião De Corinto
1968 Les Biches As Corças
1969 La femme infidèle A Mulher Infiel
1969 Que la bête meure A Besta Deve Morrer
1970 Le Boucher O Açougueiro
1970 La Rupture Trágica Separação
1971 La Décade prodigieuse Dez Dias Fantásticos
1972 Docteur Popaul Armadilha para um Lobo
1973 Les Noces rouges Amantes Inseparáveis
1974 Nada Nada
1975 Une Partie de plaisir Uma Festa De Prazer
1975 Les innocents aux mains sales Os Inocentes de Mãos Sujas
1976 Les Magiciens Os Mágicos
1976 Folies bourgeoises Vidas em Fogo
1977 Alice ou la Dernière Fugue Alice ou a Última Fuga
1978 Les Liens de sang Laços de Sangue
1978 Violette Nozière Violette Nozière
1980 Le Cheval d'orgueil Le Cheval d'orgueil
1982 Les Fantômes du chapelier Os Fantasmas do Chapeleir
1984 Le Sang des autres A Vida Do Próximo
1985 Poulet au vinaigre Frango ao Vinagrete
1986 Inspecteur Lavardin Delegado Lavardin
1987 Masques Masques
1988 Le Cri du hibou O Grito Da Coruja
1989 Une Affaire de femmes Um Assunto de Mulheres/Uma Questão de Mulheres
1990 Jours tranquilles à Clichy Dias tranquilos em Clichy
1990 Docteur M Doutor Mabuse e Seu Destino
1991 Madame Bovary Madame Bovary
1992 Betty Betty, Uma Mulher Sem Passado
1993 L'Œil de Vichy O Círculo Do Ódio
1994 L'Enfer Ciúme - O Inferno do Amor Possessivo
1995 La cérémonie Mulheres Diabólicas
1997 Rien ne va plus Negócios à Parte
1999 Au Coeur du Mensonge No Coração Da Mentira/No Coração Da Mentira
2000 Merci pour le chocolat A Teia de Chocolate prêmio Louis-Delluc
2001 La Comédie de l'innocence A comédia da inocência
2002 La fleur du mal A Flor Do Mal
2004 La Demoiselle d'honneur A Dama de Honra/A Dama de Honor
2006 L'ivresse du pouvoir A Comédia do Poder/A Comédia do Poder
2007 La Fille coupée en deux Uma Garota Dividida em Dois/A Rapariga Cortada em Dois [10]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Realizou 21 filmes

  • 1974 : Le banc de la désolation :série Nouvelles de Henry James' (‘’O banco da desolação’’, série ‘’Novelas de Henry James’’)
  • 1974 : Nul n'est parfait :série Histoires insolites(‘’Ninguém é perfeito’’ , série ‘’Histórias insólitas’’)
  • 1974 : Monsieur Bébé : série Histoires insolites) (‘’Senhor Bebê’’ : série ‘’Histórias insólitas’’)
  • 1974 : Les gens de l'été (série Histoires insolites)(‘’Pessoas do verão’’, série ’’Histórias insólitas’’)
  • 1974: Une invitation à la chasse (série Histoires insolites)( ‘’Um convite para cassar’’, série ’’Histórias insólitas’’ )
  • 1976 : De Grey (série Nouvelles de Henry James) (‘’De Grey’’, série ‘’Novelas de Henry James’’)
  • 1978 : Monsieur Saint-Saëns (série Il était un musicien) (Senhor Saint-Saëns, série ‘' Era uma vez um músico’’)
  • 1978 : 2 + 2 = 4 (série Madame le juge) ( 2 + 2 = 4,série a ‘’Senhora Juiza)
  • 1979 : Boucles d’oreille’’, série Histoires insolites(‘’Brincos’’, série ‘’Histórias insólitas’’)
  • 1979 : Monsieur Liszt , série Il était un musicien ("Era uma vez um músico")
  • 1979 : Monsieur Prokofiev , série Il était un musicien (‘’Senhor Prokofiev’’, série ‘’Era uma vez um músico’’)
  • 1980 : Le Tramway fantôme ,série Fantômas (‘’O Bonde fantasma’’, série ‘’Fantômas’’
  • 1980 : L'Échafaud magique , série Fantômas (‘’Cadafalso mágico’’, série Fantômas
  • 1981 : Le Système du docteur Goudron et du professeur Plume ( ‘’O sistema do doutor Betume e do professor Pluma’’
  • 1981 : Les Affinités électives ,( ‘’Afinidades eletivas’’)
  • 1982 : La Danse de mort (‘’Dansa da morte’’)
  • 1982 : M. le maudit (‘’M. o maldito’’)
  • 1988 : L'Escargot noir, série Les Dossiers secrets de l'inspecteur Lavardin( ‘’O Caracol preto’’, série ‘’Os Dossiês secretos do Inspetor Lavardin’’)
  • 1989 : Maux croisés (‘’Maus cruzados’’)
  • 1996 : Cyprien Katsaris
  • 2001 : Les Redoutables (‘’Os Temerários’’)
  • 2007 : La Parure , série Chez Maupassant (‘’O Adorno’’, série ‘’Em Maupassant’’
  • 2008 : Le Petit Fût , série Chez Maupassant (‘’O Pequeno Fût’’, série ‘’Em Maupassant’’
  • 2009 : Le Fauteuil hanté (série Au siècle de Maupassant) (‘’A Poltrona assombrada’’, série ‘’No século de Maupassant’’)

Ator de cinema[editar | editar código-fonte]

  • 1959 : Les Jeux de l'amour ( Jogos de amor) , de Philippe de Broca
  • 1960 : Saint-Tropez Blues , de ‘’Marcel Moussy’’
  • 1961 : ‘'Les Sept Péchés capitaux’’ (‘’Os Sete Pecados capitais’’)
  • 1961 : L'Œil du Malin(‘’O Olho do maligno’’) (+ realização)
  • 1962 : Les Ennemis ,de Édouard Molinaro
  • 1963 : Les Durs à cuire (‘’Os Duros de roer’’), de Jack Pinoteau
  • 1965 : Paris vu par... (Paris visto por … , sketch « La muette » (+ realização)
  • 1965 : Marie-Chantal contre le Docteur Kha (Marie-Chantal contra o Doutor Kha (+ realização)
  • 1965 : Le Tigre se parfume à la dynamite ( ‘’O Tigre se perfuma com dinamite) (+ realização)
  • 1965 : Brigitte et Brigitte (‘’Brigitte e Brigitte’’), de ‘’Luc Moullet’’
  • 1967 : La Route de Corinthe
  • 1968 : La Femme écarlate (‘’A mulher escarlate’’), de ‘’Jean Valère’
  • 1970 : Sortie de secours(‘’Porta de emergência’’), de ‘’Roger Kahane’’
  • 1970 : Aussi loin que l'amour ( ‘’Tão longe como o amor’’), de rédéric Rossif
  • 1972 : The other side of the wind , de Orson Welles, (inacabado)
  • 1972 : Un meurtre est un meurtre( ‘’Um homicío é um homicídio’’) , de ‘’Étienne Périer’’
  • 1973 : Le Permis de conduire (‘’A carteira de motorista’’), de Jean Girault
  • 1976 : Folies bourgeoises (‘’Loucuras burguesas’’) (+ realização )
  • 1977 : L'Animal (‘’O Animal’’) ,de Claude Zidi
  • 1981 : Les Folies d'Élodie (‘’Loucuras de Élodie'), de ‘’André Génovès’’
  • 1982 : Les Voleurs de la nuit(’’Ladrões da noite’’), de Samuel Fuller
  • 1983 : Polar (‘’Filme policial’’) , de ‘’Jacques Bral’’
  • 1985 : Suivez mon regard (‘’Sigam-me o olhar’’), de Jean Curtelin’’
  • 1986 : Je hais les acteurs (‘’Odeio os atores’’) , de Gérard Krawczyk
  • 1986 : Sale destin (‘’Sujo destino’’), de ‘’Sylvain Madigan’’
  • 1987 : Jeux d'artifices ( ‘’Jogos astuciosos’’) , de ‘’Virginie Thévenet’’
  • 1987 : L'Été en pente douce ( ‘’ Verão em declive suave’’, de ‘’Gérard Krawczyk’’
  • 1987 : Alouette je te plumerai ( ‘’Cotovia, arrancarei tuas penas’’), de ‘’Pierre Zucca’’
  • 1988 : Sueursroides' '( ‘’Suores frios’’) , série de televisão : o apresentador’’
  • 1992 : Sam suffit , de ‘’Virginie Thévenet’’
  • 1996 : Le Fils de Gascogne (‘’O filho de Gascogne’’) , de ‘’Pascal Aubier’’
  • 2002 : La Deuxième Vérité( A Segunda Verdade’’), de ‘’Philippe Monnier’’ : Julien Lecoeur, um médico
  • 2005 : Lucifer et moi (‘’Lúcifer e eu ‘’) , de ‘’Jean-Jacques Grand-Jouan’’
  • 2006 : Avida’’, de ‘’Benoît Delépine’’ e ‘’Gustave Kervern’’
  • 2010 : Gainsbourg, vie héroïque, (Gainsbourg , vida heróica’’), de ‘’Joann Sfar’’
  • 2010 : Voix animation: Le jour des Corneilles (‘’Voz do dezenho animado: ‘’O dia das Gralhas’’) , de ‘’Jean Christophe Dessaint
Curtas metragens
  • 1969 : Et crac , de ‘’Jean Douchet’’
  • 1974 : La Bonne nouvelle’' ( Boa Novidade) , de ‘’André Weinfeld’’
  • 1984 : Homicide by night (‘’Homicídio de noite), de Gérard Krawczyk
  • 2001 : Tu devrais faire du cinéma (‘’Deverias fazer cinema’’), de ‘’Michel Vereecken’’

Ator de televisão[editar | editar código-fonte]

  • 2002 : La Deuxième Vérité ("A Última Verdade"), de Philipe Monnier

Filmes sobre Chabrol[editar | editar código-fonte]

  • Chabrol, realizado por ‘’André S. La

arthe’’ para Cinéastes de notre temps, (Cineastas de nosso tempo) em 1995

  • Claude Chabrol, l'artisan (Claude Chabrol, o artisão), realizado por ‘’Patrick Le Gall’’ em 2002
  • Claude Chabrol passe à table (‘’Confidências de Claude Chabrol’’), filme documentário realizado por ‘’Bertrand Loutte’’, France, 2010, 45 minutos.
  • Grand Manège (ou Qu'est ce qui fait tourner Chabrol ?) (‘’Grande Carrossel’’ , que significa também ‘’astúcia’’ , ou o que faz ‘’tourner’’( no duplo sentido de ‘’dar uma volta’’, ‘’filmar’’) Chabrol?), de ‘’Olivier Bourbeillon’’, 52 minutos. Com : Stéphane Audran, Sandrine Bonnaire , Michel Bouquet, Thomas Chabr, Claude Chabrol, Gwenhaël de Gouvello, Suzanne Flon, Jacques Gamblin, Bernadette Lafont, Benoît Magimel et Cécile Maistre.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Romance[editar | editar código-fonte]

  • Landru, (com Françoise Sagan), edições Julliard, 1963, 129 páginas ; (tradução espanhola : (Prólogo de Joaquin Jordá), FUndação Aymà, Barcelona, 1964, 132 páginas; (tradução alemã) :Ullstein, Berlin, 1964
  • ‘’L’Adieu aux dieux’’ (Adeus aos deuses), 1980

Cenários[editar | editar código-fonte]

‘’Les Noces rouges’’ (Bodas ardentes), (Seghers, “ Collection Filmothèque ”, 1973, com Roger Corbeau) ;

Novelas[editar | editar código-fonte]

‘’Musique douce’’(Música suave) , em ‘’Mystère Magazine’’, novembro de 1953 ; ‘’Le Dernier Jour de souffrances’’ (Último Dia de sofrimentos), em ‘’Mystère Magazine’’, fevereiro de 1957.

Referências

  1. Portal Terra (12 de setembro de 2010). Morre o cineasta Claude Chabrol, expoente da Nouvelle Vague.
  2. Mort de Chabrol : Huppert, Depardieu, Lelouch saudam o cineasta e amigo..
  3. Claude Chabrol partiu sem cerimônia..
  4. Claude Chabrol : De l'ogre en barre..
  5. Claude Chabrol : o artesão..
  6. Claude Chabrol : reações de Delanoë,Bertrand,Le Pen et Laurent..
  7. [http:/. Depois, sob a influência parental, começou a estudar farmácia mas sem convicção, estudos que abandonou após haver quadruplicado o primeiro ano<ref name=" Mort d’un monstre féroce et sacré du cinéma français’’>r= Magazine Gala ]..
  8. Quando Claude Chabrol fala da burguesia..
  9. Alguns críticos dão como início da Nouvelle Vague o lançamento do filme Les quatre cents coups (1959) de François Truffaut, outros atribuem o feito a Jean-Luc Godard com À bout de souffle (1960)
  10. DVD PT - A Rapariga Cortada em Dois. Visitado em 10/09/2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Claude Chabrol