Claude Sautet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Claude Sautet
Nascimento 23 de fevereiro de 1924
Montrouge,  França
Morte 22 de julho de 2000 (76 anos)
Paris, França
Ocupação cineasta
IMDb: (inglês) (português)

Claude Sautet (23 de fevereiro de 1924, Montrouge (Hauts-de-Seine) — 22 de julho de 2000, Paris) foi cenarista e cineasta francês.[1]

Inicia sua carreira cinematográfica na década de 1950 como diretor em 1951 com um curta-metragem e um longa-metragem, Bonjour sourire (com Henri Salvador, Louis de Funès e Jean Carmet) quatro anos depois. Obteve sucesso em 1960 com Classe tous risques, com Lino Ventura e Jean-Paul Belmondo como atores principais. Decide mudar de estilo ao dirigir em 1969 Les Choses de la vie, com Michel Piccoli e Romy Schneider.

P sucesso deste filme encoraja-o a continuar no gênero de filmes dramáticos, com exceção de Max et les ferrailleurs com o duo Piccoli/Schneider, que é um filme policial. Dirigiu grandes filmes, como César et Rosalie, Vincent, François, Paul… et les autres, Une histoire simple, Un mauvais fils e seu último filme, Nelly et Monsieur Arnaud, pelo qual Michel Serrault receberia o César de Melhor Ator em 1996 pelo papel que lhe proporcionou Sautet.

Sautet foi cenarista de filmes como Les Yeux sans visage, La Vie de château e Borsalino.

Foi sepultado no cemitério de Montparnasse. Estiveram em seus obséquios Jean Rochefort, Michel Piccoli, Daniel Auteuil e Emmanuelle Béart, que atuaram em seus filmes.

Filmografia [1] [editar | editar código-fonte]

Diretor e cenarista[editar | editar código-fonte]

Cenário, diálogos ou adaptação[editar | editar código-fonte]

Diversos[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre cineastas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.