Clima do Paraná

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa climático do Paraná.

Três tipos caracterizam o clima do Paraná: os climas Cfa, Cfb e Cwa da classificação de Köppen.[1] O clima Cfa, subtropical com chuvas bem distribuídas durante o ano[2] e verões quentes,[3] [4] ocorre em duas partes distintas do estado, na planície litorânea e nas porções mais baixas do planalto, isto é, em sua porção ocidental.[1] Registra temperaturas médias anuais de 19 °C e pluviosidade de 1.500mm anuais,[5] [6] algo mais elevada na costa que no interior.[1]

O clima Cfb, temperado, com verão ameno. Chuvas uniformemente distribuídas e a temperatura média do mês mais quente não chega a 22ºC. Precipitação de 1.100 a 2.000 mm. Geadas severas e freqüentes. [7] e verões amenos,[8] ocorre na porção mais elevada do estado e envolve o planalto cristalino, o planalto paleozóico e a parte oriental do planalto basáltico.[1] As temperaturas médias anuais oscilam em torno de 17 °C[9] e a pluviosidade alcança cerca de 1.200mm anuais.[10]

O clima Cwa, subtropical com verões quentes[11] e invernos secos, ocorre no extremo noroeste do estado.[1] É o chamado clima tropical de altitude, pois ao contrário dos climas Cfa e Cfb que registram chuvas bem distribuídas no decorrer do ano, este apresenta pluviosidade típica dos regimes tropicais com invernos secos e verões chuvosos,[12] porém, no Paraná, esse período de seca só se registra por dois meses no máximo. A temperatura anual varia em torno de 20°C e a pluviosidade alcança 1.300mm anuais.[13] Quase todo o estado está sujeito a mais de cinco dias de geada por ano, mas na porção meridional e nas partes mais elevadas dos planaltos registram-se mais de dez dias.[13] A neve aparece esporadicamente na área de Curitiba.[14]

O verão costuma ser quente e chuvoso em todo o estado. As áreas baixas do oeste e a Baixada Litorânea têm verões extremamente quentes, registrando facilmente temperaturas levemente acima de 35 °C. Os termômetros chegam comumente a valores superiores a 40 °C no vale do Rio Paraná, acima dos 35 °C no oeste e noroeste e acima dos 30 °C no sudoeste. Até mesmo Curitiba pode registrar temperaturas em torno dos 30 °C.[15]

No inverno a maritimidade evita o frio excessivo no leste. Por isso temperaturas negativas são muito mais comuns no lado ocidental do estado, até mesmo em municípios de baixa altitude como Foz do Iguaçu. As geadas são frequentes, principalmente nas áreas elevadas nos arredores de Guarapuava, Palmas e União da Vitória. Pequenas nevadas ocorrem uma ou outra vez. Em eventos extremos (como julho de 1975) pode nevar em praticamente todo a área meridional do estado. Todavia o inverno não é frio sempre e até mesmo tende a ter mais períodos amenos que frios propriamente dito, intercalados por alguns dias de, aí sim, frio intenso, principalmente após as frentes frias que são massas de ar vindas do Polo Sul. As menores temperaturas do estado costumam ocorrer no interior do município de Palmas, que além de ser o ponto mais ao sul do estado (26°S), é uma das áreas mais elevadas também (entre 1200m e 1400m).[15] Nesta região as temperaturas são estimadas para já terem alcançado patamares inferiores a até -12 °C, visto que a estação do INMET na cidade (que fica a 1100 m de altitude) registrou -11,5 °C em julho de 1975 no município de Palmas e o recorde de temperatura mínima do estado.[16]

Visão geral[editar | editar código-fonte]

A maior parte da área territorial do Estado do Paraná, localiza-se na região de clima subtropical, onde dominam temperaturas amenas e, uma pequena parte, encontra-se na região de clima tropical.[17]

Apesar das isotermas do estado se enquadrarem entre as mais baixas do Brasil, muitas vezes as temperaturas absolutas apresentam grandes contrastes. As máximas diárias podem chegar a 40ºC (Norte, Oeste, Vale do Ribeira e Litoral, além da área das fezes) e as mínimas, nas terras planálticas e nas áreas serranas, frequentemente registram temperaturas abaixo de zero grau (Palmas -11.5ºC em 1975).[17]

Na maior parte do território paranaense, a amplitude térmica anual varia entre 12ºC e 13ºC, com exceção do litoral, onde as amplitudes térmicas giram em torno de 8ºC e 9ºC.[17]

O Estado do Paraná não possui uma estação seca bem definida. As isoietas registram índices pluviométricos médios entre 1 200 mm a 1 900 mm de chuvas anuais. As menores quantidades de chuva caem nos extremos noroeste, noroeste, norte e nordeste do estado. As maiores quantidades ocorrem no litoral, junto às serras, nos planaltos do centro-sul e do leste paranaense.[17]

Tipos climáticos[editar | editar código-fonte]

De acordo com a classificação de Köppen, no Estado de Paraná domina o clima do tipo C (Mesotérmico) e, em segundo plano, o clima do tipo A (Tropical Chuvoso), subdivididos da seguinte maneira:[18]

  • Af - Clima Tropical Superúmido: com média do mês quente superior a 22ºC e do mês mais frio a 18ºC, sem estação seca e isento de geadas. Aparece em todo o Litoral paranaense e no sopé oriental da Serra do Mar.[18]
  • Cwa - Clima Tropical de Altitude: com média do mês mais quente superior a 22° e do mês mais frio inferior a 18°, com estação seca no inverno. Aparece no noroeste do estado.
  • Cfb - Clima subtropical úmido (mesotérmico): com média do mês mais quente inferior a 22°C e do mês mais frio inferior a 18°C, sem estação seca, verão brando e geadas severas desmasiadamente freqüentes. Distribui pelasterras mais altas dos planaltos e das superfícies serranas (Planalto de Curitiba, Planalto dos Campos Gerais, Planalto de Guarapuava, Planalto de Palmas, etc.).[18]
  • Cfa - Clima subtropical úmido (mesotérmico): com média do mês superior a 22°C e do mês mais frio inferior a 18°C, sem estação seca definida, verão quente e geadas menos freqüentes. Distribui-se por todo o norte, oeste esudoeste do Estado, pelo vale do rio Ribeira, pela vertente oriental da Serra do Mar e pelo litoral (apesar daisenção de geadas neste).[19]

Massas de ar[editar | editar código-fonte]

A massa de ar polar tem sua origem nas águas subantártica, avançando para o continente sul-americano através do Chile e da Argentina. Divide-se em dois tipos: Polar continental e Polar marítima.[20]

A Polar continental (mais seca) penetra nos estados do Sul do Brasil, principalmente no período outono-inverno.[20] É responsável pela ocorrência de geadas e pelos dias ensolarados que caracterizam este período do ano.[21]

A Polar marítima (mais úmida) atinge o Sul do Brasil pela costa, influindo sobre o litoral, as serras e os planaltos próximos. Esta massa provoca bruscas quedas de temperatura, mau tempo, frio úmido e chuvas abundantes, como é o caso da região de Curitiba.[22]

As massas de ar frio acentuam-se no inverno, provocando "ondas de frio", responsáveis pela formação de fortes geadas e quedas de neve.[22]

A massa de ar tropical continental tem origem está no Chaco Paraguaio, paraguaio, penetrando no Paraná pelo lado sul-ocidental do Brasil. Expande-se principalmente no verão, sendo responsável pelas "tormentas", muitas vezes acompanhadas de granizo.[17]

A massa de ar tropical marítima forma-se sobre o oceano Atlântico, soprando para o continente. Ao encontrar a barreira da Serra do Mar, causa chuvas orográficas cujos índices pluviométricos máximos ocorrem no verão.[17]

A massa de ar equatorial continental forma-se no interior do continente sul-americano, em plena Planície Amazônica. Desloca-se pelo Planalto Central Brasileiro, a atingir, no verão, o oeste e o norte do Paraná.[17]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

Referências

  1. a b c d e "Paraná: Geografia". (em português) Nova Enciclopédia Barsa (volume 11). (1998). São Paulo: Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda. pp.133. 
  2. Chuvas em Londrina, no Paraná, deixam um morto e 88 mil sem energia - Jornal O Globo
  3. Semana começa com muito calor em Maringá
  4. Tempo nublado não afasta o calor em Londrina
  5. Motorista enfrenta neblina e chuva no retorno do Litoral
  6. VALLE, Dimitri do (11 de março de 2011). Temporal provoca estragos em cidades do litoral do Paraná (em português). Folha de São Paulo. Página visitada em 5 de janeiro de 2012.
  7. Clima:: Embrapa
  8. Fim de semana de calor e instabilidade no Paraná :: Gazeta do Povo Online
  9. Mapa da temperatura média anual no Paraná (em português). Instituto Agrônomico do Paraná. Página visitada em 9 de fevereiro de 2011.
  10. Chuva causa estragos em várias regiões :: Gazeta do Povo Online
  11. Calor intenso faz asfalto derreter em Paranavaí
  12. No noroeste do Paraná chove muito no verão, causando fortes prejuízos à produção de energia elétrica e ao funcionamento da Internet na região
  13. a b "Paraná: Geografia". (em português) Nova Enciclopédia Barsa (volume 11). (1998). São Paulo: Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda. pp.134. 
  14. Vinicius Borecki (17 de julho de 2011). 35 anos da neve em Curitiba (em português). Jornal Gazeta do Povo. Página visitada em 1º de setembro de 2011.
  15. a b Preciso saber o clima e vegetação do paraná? (em português). Yahoo! Respostas (17 de junho de 2008). Página visitada em 8 de fevereiro de 2011.
  16. Temperatura chegou a - 3,8 °C em Palmas e 1,3 °C em Curitiba :: Gazeta do Povo Online
  17. a b c d e f g WONS, Iaroslaw. Geografia do Paraná: com fundamentos de geografia geral. 6. ed. Curitiba: Ensino Renovado, 1994. p. 72
  18. a b c WONS, Iaroslaw. Geografia do Paraná: com fundamentos de geografia geral. 6. ed. Curitiba: Ensino Renovado, 1994. p. 72
  19. WONS, Iaroslaw. Geografia do Paraná: com fundamentos de geografia geral. 6. ed. Curitiba: Ensino Renovado, 1994. p. 74
  20. a b WONS, Iaroslaw. Geografia do Paraná: com fundamentos de geografia geral. 6. ed. Curitiba: Ensino Renovado, 1994. p. 70
  21. WONS, Iaroslaw. Geografia do Paraná: com fundamentos de geografia geral. 6. ed. Curitiba: Ensino Renovado, 1994. p. 70-71
  22. a b WONS, Iaroslaw. Geografia do Paraná: com fundamentos de geografia geral. 6. ed. Curitiba: Ensino Renovado, 1994. p. 70

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • "Paraná". Nova Enciclopédia Barsa volume 11. (1998). São Paulo: Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda. p. 132-141. 
  • WONS, Iaroslaw. Geografia do Paraná: com fundamentos de geografia geral. 6. ed. Curitiba: Ensino Renovado, 1994. 185 p.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]