Clima equatorial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A bacia do rio Amazonas tem um bioma típico dos climas equatoriais.
Distribuição mundial dos climas: a verde carregado as regiões de clima equatorial.
Climograma da localidade amazónica peruana de Iquitos. Veja-se a regularidade térmica e de precipitação. O maior pico de precipitação ocorre em Março e o segundo em Novembro.

Clima equatorial é dos tipos climáticos das regiões intertropicais utilizado no sistema de classificação climática de Köppen-Geiger, no qual é denotado pelo grupo Af, para classificar o clima das zonas geográficas caracterizadas pela elevada temperatura média do ar; entre 24º C e 27°C, com média mensal sempre superior a 18°C e pela alta pluviosidade (superior 2 000 mm de precipitação total anual e precipitação média mensal superior a 60 mm em todos os meses do ano).

A generalidade das regiões de clima equatorial encontram-se concentradas numa faixa de 5º de latitude em torno da linha do Equador, razão que justifica a atribuição da designação de equatorial dada ao tipo. A dinâmica da atmosfera nestas regiões é dominada pela presença da Zona de Convergência Intertropical e pelo predomínio de fenómenos do tipo convectivo, produzindo precipitação intensa em geral associada a trovoadas durante o período mais quente do dia (início da tarde). As elevadas temperaturas asseguram uma elevada evapotranspiração.

A convergência dos ventos alíseos, a elevada evaporação e as altas temperaturas, assegurando humidades absolutas elevadas, permitem o transporte atmosférico de grandes massas de vapor de água, assegurando que mesmo nas regiões continentais afastadas dos oceanos a humidade relativa do ar se mantêm elevada e a capacidade de geração de precipitação convectiva é elevada durante todo o ano. Nestas regiões é comum a precipitação média anual situar-se entre 3 000 e 3 500 mm anuais, na sua quase totalidade de origem convectiva resultantes da presença sobre a região da célula de Hadley.

Em consequência, nas regiões de clima equatorial não existe uma estação seca definida e a temperatura do ar é elevada durante o ano inteiro, com uma amplitude térmica anual inferior a 4°C e uma amplitude térmica diária inferior a 10°C.

Vegetação e agricultura[editar | editar código-fonte]

Em consequência da elevada pluviosidade, temperatura e humidade, o bioma característico das regiões de clima equatorial é a floresta equatorial, uma formação vegetal marcada pelo predomínio de árvores de grande e médio porte ,com formações higrófilas e latifoliadas. A biodiversidade destas florestas é das mais elevadas da Terra, assim como a sua biomassa por área, o que leva a que a maior parte dos nutrientes disponíveis esteja capturado na biomassa viva, sendo a rápida decomposição um mecanismo essencial para a manutenção do equilíbrio ecológico destas formações.

A agricultura nestas regiões é em geral difícil já que os nutrientes, uma vez destruído o coberto florestal, são rapidamente lixiviados pela elevada precipitação. Ainda assim, cultiva-se a mandioca, juta, arroz, com áreas crescentes a serem ocupadas por plantações para produção de óleo de palma para biocombustível.

Principais áreas geográficas[editar | editar código-fonte]

As regiões de clima equatorial mais extensas localizam-se nas bacias do rio Congo, na África, e do Amazonas, na América do Sul. Outras regiões com extensões importantes são as ilhas da Insulíndia, a costa oriental da América Central e Madagáscar.

A abundância de água leva a que se situem nas regiões de clima equatorial os dois rios mais caudalosos do planeta: o rio Amazonas e o rio Congo.

Em África, a região de clima equatorial estende-se desde o Golfo da Guiné para o interior do continente, mas não atinge o Corno de África (Somália, Djibuti, Quénia e Etiópia), sendo esta zona uma excepção, já que ali a monção impede o desenvolvimento das chuvas de convecção, criando um clima desértico de grande aridez, degenerando por completo o clima equatorial que pela latitude em teoria ali deveria existir. Em seu lugar aparecem chuvas escassas e temperaturas do ar muito superiores, criando um bioma totalmente diverso do existente em regiões de latitude semelhante.

Outra singularidade do continente africano é o aparecimento de pequenas manchas de clima equatorial em regiões relativamente afastadas do equador, como seja a parte ocidental da ilha de Madagáscar.

Nas Américas Central e do Sul também se encontram pequenas manchas de clima equatorial em zonas relativamente afastadas do equador, nomeadamente na Península do Yucatán e em algumas zonas da Guatemala, Belize e região oriental do Panamá. Estas zonas são por vezes consideradas como tendo clima sub-equatorial, já que ali se verificam 3 meses de estação relativamente seca, mas ainda assim com chuvas abundantes que são compensadas no resto do ano.

Na Ásia as regiões de clima equatorial situam-se exclusivamente no arquipélago Indonésio e no sul da Península de Malaca. Nessas regiões também surgem florestas extensas, mas o terreno acidentado e a situação de insularidade impede o desenvolvimento de grandes rios, ao contrário do que sucede em África e na América do Sul.