Clone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Maio de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

A palavra clone ,(do grego klon, significa "broto") é utilizada para designar um conjunto de indivíduos que possuem a mesma característica genética. Os indivíduos de um clone são originados por reprodução assexuada.

O termo clone foi criado em 1904, pelo botânico norte-americano Herbert J. Webber, segundo ele, o clone é basicamente um conjunto de indivíduos descendentes de uma célula, conjunto de células, moléculas ou organismos geneticamente iguais à de um indivíduo matriz.

A clonagem é o processo nato ou artificial de produção de clone. O processo de clonagem natural ocorre em alguns seres, como as bactérias e outros organismos unicelulares que realizam sua reprodução pelo método da bipartição. Além disso, o tatu também produz um clone através da poliembrionia. No caso dos humanos, os clones naturais são os gêmeos univitelinos, ou seja, são seres que compartilham do mesmo material genético (DNA), sendo originado da divisão do óvulo fecundado.

Existem várias técnicas de clonagem artificial. Uma delas permite clonar um animal a partir de óvulos não fecundados, sendo este processo conhecido desde o século XIX. Processos de clonagem artificiais eram praticados pelos horticultores que obtinham clones de orquídeas, que através de tecidos meristemáticos de uma planta matriz, originava dezenas de novas plantas geneticamente idênticas.

Ícone de esboço Este artigo sobre Genética é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ver também[editar | editar código-fonte]