Close Encounters of the Third Kind

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Close Encounters of the Third Kind
Encontros Imediatos do Terceiro Grau (PT)
Contatos Imediatos de Terceiro Grau (BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos
1977 • cor • 137 min 
Direção Steven Spielberg
Produção Julia Phillips
Michael Phillips
Roteiro Steven Spielberg
Elenco Richard Dreyfuss
François Truffaut
Melinda Dillon
Teri Garr
Bob Balaban
Cary Guffey
Gênero Ficção Científica
Idioma Inglês
Francês
Música John Williams
Direção de fotografia Vilmos Zsigmond
Edição Michael Kahn
Estúdio EMI Films
Distribuição Columbia Pictures
Lançamento 16 de novembro de 1977
Orçamento US$ 20 milhões
Receita US$ 337.700.000[1]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Close Encounters of the Third Kind (algumas vezes abreviado como CE3K ou simplesmente Close Encounters, e no Brasil pelo nome de Contatos Imediatos de Terceiro Grau ) é um filme estadunidense de 1977 escrito e dirigido por Steven Spielberg, e estrelado por Richard Dreyfuss, François Truffaut, Melinda Dillon, Teri Garr, Bob Balaban e Gary Guffey. O filme conta a história de Roy Neary, um eletricista da Indiana, cuja vida muda depois dele ter um encontro com um objeto voador não identificado (OVNI). O governo dos Estados Unidos e uma equipe de cientistas internacionais também sabem da presença dos OVNIs.

Close Encounters foi um projeto que Spielberg queria realizar há muito tempo. No final de 1973, ele desenvolveu um acordo com a Columbia Pictures para um filme de ficção científica. Apesar de Spielberg receber crédito único pelo roteiro, ele foi auxiliado por Paul Schrader, John Hill, David Giler, Hal Barwood, Matthew Robbins e Jerry Belson, que contribuiram com o roteiro em vários níveis. O título é tirado da classificação de contatos imediatos com alienígenas criada pelo ufologista J. Allen Hynek, em que o terceiro grau indica observações humanas de verdadeiros alienígenas ou "seres animados".

As filmagens começaram em maio de 1976. Douglas Trumbull foi o supervisor de efeitos visuais, enquanto Carlos Rambaldi criou os alienígenas. Close Encounters foi lançado em novembro de 1977 sendo um sucesso de crítica e bilheteria. O filme foi relançado em 1980 como Close Encounters of the Third Kind: The Special Edition, que possuia cenas adicionais. Um terceiro corte do filme foi lançado em 1998. Ele recebeu vários prêmios e indicações no Oscar, BAFTA, Golden Globe Awards e Saturn Awards. Em dezembro de 2007, Close Encounters foi selecionado para preservação no National Film Registry da Biblioteca do Congresso norte-americano como sendo "culturalmente, historicamente ou esteticamente significante".[2]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

No Deserto de Sonora, o cientista francês Claude Lacombe (François Truffaut) e seu intérprete americano David Laughlin (Bob Balaban), junto a alguns pesquisadores científicos do governo, descobre um esquadrão de aviões da Segunda Guerra Mundial. Os aviões estão intactos e em perfeitas condições operacionais, mas não há sinal de pilotos. Mais tarde, no Controle de Tráfego Aéreo de Indianapolis, um controlador escuta duas aeronaves quase colidirem em pleno ar com um OVNI. À noite em Muncie, Indiana, um garoto de três anos de idade chamado Barry Guiler (Cary Guffey) é acordado pelos seus brinquedos, que passam a funcionar sozinhos. Fascinado, ele sai da cama e corre para fora de casa, forçando sua mãe Gillian (Melinda Dillion) a correr atrás dele.

Enquanto isso, durante um blecaute próximo dali, o eletricista Roy Neary (Richard Dreyfuss) sofre um contato imediato de terceiro grau numa rua escura e vazia, e logo depois testemunha uma perseguição policial a OVNIs. Roy se torna fascinado por OVNIs, para o aborrecimento de sua esposa Ronnie (Teri Garr). Ele também fica obcecado com a imagem de uma montanha que surge em sua mente e passa a fazer modelos dela. Gillian também fica obcecada com a mesma montanha. Mais tarde, ela é aterrorizada por um OVNI que brinca com objetos da sua casa e abduz seu filho, apesar das suas tentativas de proteger o filho e a casa. Enquanto isso, o comportamento crescentemente anormal de Roy faz com que Ronnie e seus três filhos saiam de casa. Roy assiste na televisão uma notícia sobre um acidente de trem próximo à Devils Tower National Monument em Wyoming e reconhece a montanha que o atormentava. Gillian também assiste à notícia e ambos viajam em direção ao local, junto a vários outros que tiveram a mesma experiência.

No resto do mundo, as atividades alienígenas aumentam. Claude e David investigam ocorrências junto com outros especialistas das Nações Unidas. Testemunhas relatam que os OVNIs produzem uma melodia de cinco notas em uma escala maior. Cientistas transmitem a melodia para o espaço mas a resposta vem na forma de uma série de números repetidos que, segundo David, são coordenadas geográficas que apontam à Devils Tower. O Exército dos Estados Unidos evacua a área, falsamente afirmando que o acidente de trem derramou gás tóxico, e assim preparando uma área de pouso para os OVNIs e seus ocupantes.

Vários civis são impedidos de entrar na área, mas Roy e Gillian conseguem passar pela barreira assim que dúzias de OVNIs surgem no céu. Os especialistas do governo tentam se comunicar com os OVNIs com luzes e sons. Então, uma imensa nave-mãe pousa e libera várias pessoas que haviam sido abduzidas com o passar dos anos, incluindo Barry. A comunicação continua na forma de sons e luzes, e os oficiais do governo decidem incluir Roy num grupo de pessoas selecionadas para adentrar a espaçonave. Quando Roy entra na nave, um alien se aproxima dos humanos. Lacombe utiliza sinais manuais de solfejo para representar a frase musical alienígena. O alien responde com os mesmos gestos, sorri, e retorna à nave, que decola em direção ao céu.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco principal[editar | editar código-fonte]


Dublagem Brasileira[editar | editar código-fonte]

1ª versão (dublagem original)

ESTÚDIO: Herbert Richers

Outras vozes: Armando Cazella, Carlos Marques, Darcy Pedrosa, Francisco Milani, Júlio Chaves, Márcio Seixas, Marcos Miranda, Nelson Batista, Newton Da Matta, Paulo Flores, Ronaldo Magalhães, Waldir Fiori

2ª versão (redublagem)

ESTÚDIO: Cinevideo

Outras vozes: Ayrton Cardoso, Carla Pompilio, Eduardo Dascar

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Close Encounters of the Third Kind tem ampla aclamação por parte da crítica especializada. Com tomatometer de 95% em base de 44 críticas, o Rotten Tomatoes publicou um consenso: “Close Encounters of the Third Kind possui partes mais emblemáticas (o tema, a escultura-purê de batata, etc) têm sido tão completamente absorvidos pela cultura que é fácil esquecer tratar de estrangeiros como seres pacíficos, em vez de ruins na geração monstros, isso foi um tanto inovador em 1977”. Tem 85% de aprovação por parte da audiência, usada para calcular a recepção do público a partir de votos dos usuários do site.[3]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

Oscar 1978 (EUA)

Globo de Ouro 1978 (EUA)

  • Indicado nas categorias de melhor filme - drama, melhor diretor, melhor roteiro e melhor trilha sonora.

BAFTA 1979 (Reino Unido)

  • Venceu na categoria de melhor direção de arte.
  • Foi tambpem indicado nas categorias de melhor filme, melhor diretor, melhor ator coadjuvante (François Truffaut), melhor fotografia, melhor trilha sonora, melhor roteiro, melhor edição e melhor som.

Grammy 1979 (EUA)

  • Venceu na categoria de melhor trilha sonora composta para um filme.

Prêmio Saturno 1978 (Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films, EUA)

  • Venceu na categoria de melhor diretor, melhor música e melhor ator.
  • Foi ainda indicado nas categorias de melhor ator - ficção científica (Richard Dreyfuss) e melhor atriz - ficção científica (Melinda Dillon), melhor filme de ficção científica e melhores efeitos especiais.

Prêmio Eddie (American Cinema Editors) 1978 (EUA)

  • Indicado na categoria de melhor roteiro.

Academia Japonesa de Cinema 1979 (Japão)

  • Indicado na categoria de melhor filme estrangeiro.

Prêmio David di Donatello 1978 (Itália)

  • Venceu na categoria de melhor filme estrangeiro.

Referências

  1. Close Encounters of the Third Kind The Numbers.. Página visitada em 7 de abril de 2012.
  2. Librarian of Congress Announces National Film Registry Selections for 2007 Biblioteca do Congresso. (27 de dezembro de 2007). Página visitada em 7 de abril de 2012.
  3. Close Encounters of the Third Kind (em inglês) Rotten Tomatoes. Página visitada em 7 de abril de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.