Clube do Bolinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Clube do Bolinha
Informação geral
Formato
Duração 180 - 360 minutos
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Apresentador(es) Édson Cury
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Bandeirantes
Formato de exibição 480i (SDTV)(PAL-M)
Transmissão original 1974 - 30 de abril de 1994

O Clube do Bolinha foi um programa de auditório brasileiro exibido aos sábados pela Rede Bandeirantes.

Apresentando por Édson Cury, mais conhecido como Bolinha, o programa revelou muitos talentos da música brasileira, pois era uma vitrine para artistas consagrados ou em começo de carreira. Uma das características marcantes do programa era a irreverência do apresentador, que costumava conduzi-lo vestido com camisas bufantes super coloridas. O programa contava também com vários quadros, entre eles o antológico "Eles e Elas", no qual havia shows de travestis, drag queens e transformistas.

O Clube do Bolinha foi durante anos a principal atração das tardes de sábado da Bandeirantes até que, em 30 de abril de 1994, a emissora decidiu tirá-lo de sua grade.

Boletes[editar | editar código-fonte]

Boletes eram as dançarinas que trabalhavam[1] no palco do programa. As principais delas eram Zulu (Cleusa, a bolete que nunca sorria) e a belíssima Loraina, destaque na última abertura do programa. Algumas antes de se tornarem boletes dançaram no programa do Chacrinha como Índia Amazonense, Sonia Rangel, Rita Cassino, Rose Cleópatra, Mara Prado, Sandra Veneno, Regina Polivalente, Leda Zeppelin, Kátia Pavão, Fátima Boa Viagem, Gracinha Copacabana, Gracinha Portelão, Chininha

Marta Rodrigues Nascimento Marins, conhecida artisticamente como Marta Marin (1963 - Sorocaba, 1 de maio de 2012) foi uma das dançarinas do programa. Marta Marin foi assassinada por arma branca por um ex-namorado, o serralheiro Leonardo Guicharde da Silva[2] , e o seu corpo foi encontrado no quintal de sua casa em Sorocaba, cidade do interior de São Paulo, no dia 22 de maio de 2012 já em avançado estado de decomposição.[3] [4]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.