Coccidioidomicose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.

A Coccidioidomicose é uma doença pulmonar causada pelo fungo Coccidioides immitis. Também é conhecida por Doença de posada-Wernicke, Febre do Vale de San Joaquin ou Reumatismo do Deserto.

Coccidioides immitis[editar | editar código-fonte]

O coccidioides é um fungo dimórfico atípico. Na natureza e em cultura assume forma de micélios típicos com hifas, mas no homem em vez de adaptar-se como levedura, assume formas atípicas esféricas, as esferulas, cheias de dezenas de endósporos (até 100).

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

A coccidioidomicose existe primariamente nos Estados Unidos, nos estados do Oeste (principalmente California, Texas, Utah, Novo México, Arizona e Nevada). Contudo também há alguns casos noutros países da América, como México, Argentina e Brasil.

A infecção é pela inalação de esporos infecciosos presentes no solo seco, pessoas com SIDA/AIDS também podem desenvolver esta doença,porém pessoas com imunossupressão correm o risco de infecção severa e morte.

Progressão e Sintomas[editar | editar código-fonte]

Após inalação dos esporos, as esférulas multiplicam-se nos pulmões. Na maioria dos casos (60%) a infecção é assintomática e o sistema imunitário destroi o invasor e limita a sua disseminação pela formação de granulomas, mas numa minoria há sintomas de pneumonia, com febre, suores, tosse e expectoração e falta de ar. Em 5% poderá surgir pneumonia crónica semelhante à da tuberculose, enquanto menos de 1%, principalmente os imunodeprimidos e idosos, podem desenvolver manifestações sistémicas após disseminação por via hematogênica do fungo, com formação de granulomas que resultam em ulcerações da pele e dores de articulações (Reumatismo do deserto) e ossos.

Diagnóstico e Tratamento[editar | editar código-fonte]

A expectoração é observada ao microscópio, mas a cultura pode ser necessária para a identificação.

O tratamento é com o fármaco antifúngico anfotericina B. Também podem ser usados os derivados do azol, como fluconazol.