Codex Guelferbytanus A

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manuscritos do Novo Testamento
PapirosUnciaisMinúsculosLecionários
Uncial 024
Lucas 1,6-13

Lucas 1,6-13
Nome Guelferbytanus A
Sinal Pe
Texto Evangelhos
Data século 6
Escrito grego
Achado século 18
Agora está Wolfenbüttel
Tamanho 26.5 x 21.5 cm
Tipo Texto-tipo Bizantino
Categoria V


Codex Guelferbytanus A designado Pe ou 024 (Gregory-Aland), ε 33 (von Soden), é um manuscrito uncial grego dos quatro evangelhos, datado pela paleografia para o século 6.[1]

Descoberta[editar | editar código-fonte]

Contem 44 fólios dos quatro Evangelhos (26.5 x 21.5 cm). Escrito em duas colunas por página, em 24 linhas por página.[1] O nomina sacra curto, escrito em ouro (ΙΣ, ΧΣ (Christos), ΚΣ (Kurios) ΘΣ, ΥΣ, ΠΗΡ, ΠΝΑ, ΙΛΗΜ, ΑΝΟΣ, and ΔΑΔ).[2]

Ele contém Seções de Ammonian, mas os Cânones de Eusebian ausentes.[2]

Ele é um palimpsesto (como Codex Guelferbytanus B e Codex Carolinus).

Conteúdos[editar | editar código-fonte]

Evangelho de Mateus 1,11–21; 3,13–4,19; 10,7–19; 10,42–11,11; 13,40–50; 14,15–15,3.29–39;
Evangelho de Marcos 1,2–11; 3,5–17; 14,13–24,48–61; 15,12–37;
Evangelho de Lucas 1,1–13; 2,9–20; 6,21–42; 7,32–8:2; 8,31–50; 9,26–36; 10,36–11,4; 12,34–45; 14,14–25; 15,13–16,22; 18,13–39;
Evangelho de João 1,29–40; 2,13–25; 21,1–11.[2]

Texto[editar | editar código-fonte]

O texto grego desse codex é um representante do Texto-tipo Bizantino. Aland colocou-o entre a Categoria V.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O manuscrito foi descoberto antes do 18o século por Franz Anton Knittel na Biblioteca Ducal de Wolfenbüttel. [3]

Actualmente acha-se no Herzog August Bibliothek (Weissenburg 64) em Wolfenbüttel.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Kurt Aland e Barbara Aland, The Text of the New Testament: An Introduction To The Critical Editions and to the Theory and Practice of Modern Textual Criticism, Grand Rapids, Michigan, 1995, p. 113.
  2. a b c C. R. Gregory, "Textkritik des Neuen Testaments", Leipzig 1900, vol. 1, p. 62.
  3. F. H. A. Scrivener, "A Plain Introduction to the Criticism of the New Testament" (George Bell & Sons: London 1894), Vol. 1, pp. 143-144.

Literatura[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]