Codificação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Em processamento digital de sinais, Codificação significa a modificação de características de um sinal para torná-lo mais apropriado para uma aplicação específica, como por exemplo transmissão ou armazenamento de dados.

Neste contexto, existem três tipos de codificação:


Técnicas de Codificação[editar | editar código-fonte]

No que diz respeito às principais técnicas de codificação, podemos dividí-las em 3:

  • Non Return to Zero (NRZ): Existem dois níveis de tensão ou corrente, para representar os dois símbolos digitais (0 e 1). É a forma mais simples de codificação e consiste em associar um nível de tensão a cada bit: um bit 1 será codificado sob a forma de uma tensão elevada e um bit 0 sob a forma de uma tensão baixa ou nula.

NRZcode.png

  • Return to Zero (RZ): Na codificação RZ o nível de tensão ou corrente retorna sempre ao nível zero após uma transição provocada pelos dados a transmitir (a meio da transmissão do bit). Geralmente um bit 1 é representado por um nível elevado, mas a meio da transmissão do bit o nível retorna a zero.

RZcode.png

  • Diferenciais: Neste tipo de codificação, os 0 e 1 são representados através de uma alteração do estado da tensão ou corrente. Assim, o valor 1 é representado pela passagem de uma tensão ou corrente baixa/nula para uma tensão ou corrente elevada. O valor 0 é o contrário, ou seja, passa-se de uma tensão ou corrente elevada para outra baixa/nula.


Codificação Perceptual[1]

Sensibilidade do Ouvido

Sinal A seria ouvido, sinal B não seria

Área de sensibilidade do ouvido humano

Amplitude relativa de sinal para o mínimo (dB) X Frequency (kHz)

[0 ... 100] X [0.01 ... 20]

B = 0.05

A = 0.2

Mascaramento de Frequências

Para uma sinal de áudio que consiste de sinais com múltiplas frequências, a sensibilidade do ouvido humano varia com a amplitude relatividade dos sinais

Exemplo:

Sinal B tem amplitude maior que A, o que causa uma distorção na curva de sensibilidade

Sinal A seria ouvido sozinho, mas próximo do sinal B, não é ouvido

Área de sensibilidade do ouvido humano

Amplitude relativa de sinal para o mínimo (dB) X Frequency (kHz)

[0 ... 100] X [0.01 ... 20]

B = 0.2

A = 0.5

A largura da curva

Mascaramento Temporal

Quando o ouvido escuta um som alto, ele leva um tempo curto (dezena de ms) para conseguir escutar um som mais baixo

Mascaramento Temporal

Amplitude relativa de sinal para o mínimo (dB) X Frequency (kHz)

[0 ... 100] X [0.01 ... 20]

B = 0.2

A = 0.5

Mascaramento

Mascaramento de Frequências X Mascaramento Temporal

Ver também[editar | editar código-fonte]

[1] Fundamentals of Multimedia. Li, Ze-Nian, Drew, Mark S., Liu, Jiangchuan 2nd ed. 2014, XXIV, 727 p. 350 illus., 97. ISBN 978-3-319-05290-8

Ícone de esboço Este artigo sobre telecomunicações é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.