Colégio Estadual Júlio de Castilhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde junho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Colégio Júlio de Castilhos
O colégio durante campanha do grêmio estudantil, em 2006.
O colégio durante campanha do grêmio estudantil, em 2006.
Dados e estatísticas da escola
Localização Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Endereço Avenida Piratini, 76
Data de abertura 23 de março de 1900
Tipo público
Número de alunos 3600 (aproximadamente)

O Colégio Estadual Júlio de Castilhos, também chamado de Julinho, inicialmente, desde a sua fundação, em 1900, até 1908, o Ginásio do Rio Grande do Sul, é uma escola pública localizada na cidade brasileira de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul. É um dos mais tradicionais colégios da cidade, tendo sido uma das melhores escolas porto-alegrenses, até por volta de 1985, quando o seu ensino passou a decair. Até 1985, tinha no seu quadro de professores muitos intelectuais da cidade, passando por seus bancos escolares muitas personalidades do estado e do país.

Por sua tradição, o Julinho já foi mencionado em algumas letras de canções sobre a cidade. Também, foi na instituição que surgiu o primeiro Movimento Tradicionalista Gaúcho.

História[editar | editar código-fonte]

O prédio antigo

Foi fundado por João José Pereira Parobé no dia 23 de março de 1900, então com o nome de Ginásio do Rio Grande do Sul. Em 1908, foi renomeado para homenagear o político gaúcho Júlio de Castilhos, falecido cinco anos antes. Na década de 1930, a escola quase foi privatizada por um decreto do governo do Estado, o qual pretendia deixar todo o ensino secundário nas mãos de escolas particulares.[1]

A sede original, de estilo renascença alemã[2] (algumas fontes citam art-nouveau), foi destruída por um incêndio sete anos antes de ser erguido o atual prédio, em estilo moderno. Durante esse período, a escola funcionou no prédio do Arquivo Público de Porto Alegre.

Situado junto à Praça Piratini, entre os bairros Santana e Azenha, o colégio acelerou a urbanização da região e, até meados de 1980, representou o ensino público de altíssima qualidade.

Originou, em 1943, o primeiro Centro de Tradições Gaúchas (CTG)[3] e em 1979, o primeiro grupo de ecologia ligado a uma escola do Rio Grande do Sul, chamado Kaa-Eté (mata virgem, em guarani). Atualmente, o Júlio de Castilhos é a maior instituição de ensino do estado, com cerca de 3600 alunos matriculados, bem como uma das mais antigas, embora não tenha conservado o seu outrora ensino de alta qualidade.

Alunos famosos[editar | editar código-fonte]

Professores famosos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Descrição do Colégio Estadual Julio de Castilhos no WikiMapia
  2. Túnel do Tempo, Almanaque Gaúcho, Zero Hora. "No ano da primeira copa", por Olyr Zavaschi
  3. Reportagem de Zero Hora, em 07/09/2007 acessado em 15 de janeiro de 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]