Colapso maia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A expressão colapso maia (ou colapso maia do clássico) faz referência ao declínio e abandono das cidades maias das terras baixas da região maia no período clássico, entre os séculos VIII e IX. Trata-se de um dos maiores mistérios em arqueologia, devido ao alto desenvolvimento da cultura maia clássica antes do colapso e à rapidez com que o mesmo ocorreu.

Arqueologicamente, este declínio durante os séculos VIII e IX é indicado pela cessação das inscrições monumentais e pela redução da construção arquitectónica em grande escala.

Foram identificadas cerca de oitenta diferentes teorias ou variações de teorias que tentam explicar o colapso maia do clássico.[1] Não existe uma teoria universalmente aceita, apontando-se o possível enfraquecimento devido a lutas internas, guerras e rebeliões, bem como abusos dos recursos naturais que teriam debilitado o ecossistema e provocado longas secas e escassez de alimentos.[2]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Gill, Richardson B.. The Great Maya Droughts: Water, Life, and Death. Albuquerque: University of New Mexico Press, 2000. OCLC 43567384 ISBN 0-826-32194-1

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.