Colar metropolitano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Colar metropolitano é a designação brasileira para construir o conjunto dos municípios adjacentes aos municípios da região metropolitana, mas que não façam parte desta, embora possam vir a ser no futuro, uma vez que a região metropolitana só pode ser formada por municípios adjacentes (conexos).[1]

Por conta da extensão, o colar pode ter um número de municípios na mesma ordem de grandeza do existente na região metropolitana.

O colar metropolitano da região de Belo Horizonte por exemplo é composto por 16 municípios: Barão de Cocais, Belo Vale, Bom Jesus do Amparo, Bonfim, Fortuna de Minas, Funilândia, Inhaúma, Itabirito, Itaúna, Moeda, Pará de Minas, Prudente de Morais, Santa Bárbara, São Gonçalo do Rio Abaixo, São José da Varginha e Sete Lagoas. Enquanto a região propriamente dita tem 34.

Quando o termo colar metropolitano é usado para designar municípios candidatos à próxima rodada de integração à uma região metropolitana, contabiliza-se apenas tais municípios candidatos. A Região Metropolitana do Vale do Aço oficialmente possui 4 municípios na região metropolitana (Coronel Fabriciano, Ipatinga, Santana do Paraíso e Timóteo), mais 22 no colar: Açucena, Antônio Dias, Belo Oriente, Bom Jesus do Galho, Braúnas, Bugre, Córrego Novo, Dionísio, Dom Cavati, Entre Folhas, Iapu, Ipaba, Jaguaraçu, Joanésia, Marliéria, Mesquita, Naque, Periquito, Pingo-d'Água, São João do Oriente, São José do Goiabal, Sobrália.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.