Colar metropolitano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Colar metropolitano é a designação brasileira para construir o conjunto dos municípios adjacentes aos municípios da região metropolitana, mas que não façam parte desta, embora possam vir a ser no futuro, uma vez que a região metropolitana só pode ser formada por municípios adjacentes (conexos).[1]

Por conta da extensão, o colar pode ter um número de municípios na mesma ordem de grandeza do existente na região metropolitana.

O colar metropolitano da região de Belo Horizonte por exemplo é composto por 14 municípios: Barão de Cocais, Belo Vale, Bonfim, Fortuna de Minas, Funilândia, Inhaúma, Itabirito, Itaúna, Moeda, Pará de Minas, Prudente de Morais, Santa Bárbara, São José da Varginha e Sete Lagoas, enquanto a região propriamente dita tem 34.

Quando o termo colar metropolitano é usado para designar municípios candidatos à próxima rodada de integração à uma região metropolitana, contabiliza-se apenas tais municípios candidatos. A Região Metropolitana do Vale do Aço oficialmente possui 4 municípios na região metropolitana (Coronel Fabriciano, Ipatinga, Santana do Paraíso e Timóteo), mais 22 no colar: Açucena, Antônio Dias, Belo Oriente, Bom Jesus do Galho, Braúnas, Bugre, Córrego Novo, Dionísio, Dom Cavati, Entre Folhas, Iapu, Ipaba, Jaguaraçu, Joanésia, Marliéria, Mesquita, Naque, Periquito, Pingo-d'Água, São João do Oriente, São José do Goiabal, Sobrália.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.