Colonização de povoamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Colonização de Povoamento)
Ir para: navegação, pesquisa

A Colonização de Povoamento é o tipo de colonização que aconteceu no Norte e Centro das Treze Colônias Britânicas (exatamente nas antigas colônias de New Hampshire, Massachusetts, Nova Iorque, Rhode Island, Connecticut, Nova Jersey, Pensilvânia, Maryland e Delaware, e no distrito de Maine, hoje estados-membros dos Estados Unidos) e no Canadá. Também existiu na China e na Nova Zelândia.

Conceito e importância[editar | editar código-fonte]

A colonização de povoamento é classicamente, conceituada como "o tipo de colonização onde os colonizadores povoavam e desenvolviam a terra". Mas, há controvérsias, porque vários historiadores concordam com a ideia de que "não se pode povoar uma terra sem explorá-la e não se pode explorar uma terra sem povoá-la" (referindo-se a oposição desse tipo de colonização e a colonização de exploração, típica da América Latina). Até hoje, esse tipo de colonização costuma ser apontada como uma das causas do desenvolvimento (da Região Nordeste) dos Estados Unidos e do Canadá. Muitos ainda discordam desse tipo de povoamento, pois foi ele quem trouxe a pornografia para muitos locais, mais há outros, como o Dr. Lourenço Teixeira, especialista no assunto acha que isso não tem importância, pois diz que a ideia de colonização vem da colonização de povoamento.1

A relação com a Inglaterra[editar | editar código-fonte]

As colônias britânicas do Norte e Centro das Treze Colônias e o Canadá, não eram propícias ao plantio de Culturas Tropicais e não dispunham de recursos minerais valiosos, como ouro e prata. Com isso, a Inglaterra não conseguiu criar nessas colônias uma sociedade que servisse aos objetivos do Mercantilismo e deixaram essas colônias quase abandonadas. Esse fato é conhecido como negligência salutar e deu muita liberdade aos colonos.

Características gerais[editar | editar código-fonte]

A colonização de povoamento teve muitas características que a particularizava:

1. As propriedades principais eram pequenas e médias fazendas.

Elas foram se formando quando os colonos dividiam a terra entre eles, graças a negligência salutar. Isso criou uma prosperidade econômica muito grande para os colonos, pois eles trabalhavam nessas fazendas para eles mesmos e prosperavam rapidamente.

2. O trabalho era livre

Os colonos não eram servos, nem escravos e trabalhavam por conta própria. Essa situação marcou tanto a história norte-americana que, até hoje, muitos acreditam que um indivíduo só é livre quando é proprietário do seu negócio.

3. Os objetivos econômicos estavam voltados para o mercado interno

Os próprios colonos compravam a produção das colônias. A economia era regida pela policultura. Houve o aparecimento de manufaturas.

4. As colônias de povoamento tinham grande autonomia e liberdade de comércio

Quase não havia monopólio comercial e a liberdade que as colônias de povoamento tinham era muito grande. Por isso, costuma-se dizer que essas colônias nunca foram colônias de verdade.

5. As colônias de povoamento tinham bastante autonomia política as colonias de povoamento tinham bastante autonomia politica celina

Os colonos podiam eleger assembleias que trabalhavam. Era o chamado self-government(auto-governo). Essa liberdade atraiu muitas pessoas.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

1.GARCIA, Hélio Carlos e GARAVELLO, Márcio Tito.Lições de Geografia. São Paulo:Scipione,2001.

2.SCHMIDT, Mário Furley.Nova História Crítica 6ª série. São Paulo:Nova Geração,2001.

3.BOLIGIAN, Levon , MARTINEZ, Rogério , GARCIA, Wanessa e ALVES, Andressa.Geografia_Espaço e Vivência 8ª sérieSão Paulo:Atual,2001.

4.PETTA, Nicolina Luiza de e OJEDA, Eduardo Aparicio Baez.História:Uma Abordagem Integrada. São Paulo,Moderna,1999.

Referências

  1. www.historiando.blogspotbr