Columbia Pictures

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Columbia Pictures Industries, Inc.
Columbia, a personificação feminina da América, assim como Tio Sam é a masculina, foi a inspiração para o simbolo da companhia.
Tipo Subsidiária da Sony Corporation
Indústria Produção cinematográfica
Marketing cinematográfico
Fundação 1919 com o nome de C.B.C Film Sales
1924 com o nome de Columbia Pictures
Fundador(es) Harry Cohn
Jack Cohn
Joe Brandt
Sede Culver City, Califórnia
 Estados Unidos
Proprietário(s) Sony Corporation
Presidente Doug Belgrad
Matt Tolmach
Produtos Produção e distribuição cinematograficas
Página oficial Site Oficial

A Columbia Pictures é um dos estúdios mais tradicionais de Hollywood e uma das empresas de maior atuação no mercado cinematográfico. Atualmente pertencente a Sony Corporation, a Columbia se posiciona como líder na produção e distribuição de filmes, entretenimento e tecnologia.

A respeito da imagem de abertura dos filmes produzidos pela Columbia, parece ter sido inspirada na Revolução Americana. A "Dama da Columbia" apareceu pela primeira vez em 1924, quatro anos após a fundação do estúdio, nessa fase a “Dama”, trazia nos braços uma bandeira dos Estados Unidos, sendo substituído por um manto simples em 1949. No entanto, segundo o Estúdio, seu rosto não retrata nenhuma mulher em especial, assim de modo similar a Estátua da Liberdade, que embora fosse uma deusa gnóstica inspirada na revolução, seu “rosto”, fora erigida em homenagem a “Mãe” de seu escultor, Frédéric Auguste Bartholdi.

Durante a década de 1930, com a intenção de agradar o ditador alemão Adolf Hitler e manter os altos lucros obtidos no mercado alemão, o estúdio Columbia e outros menores demitiram seus funcionários judeus, segundo o livro “The Collaboration: Hollywood´s Pact With Hitler”, do jornalista australiano Bem Urwand, de 2013. [1]

Em 2001, Jane Bartholomew, que era figurante no estúdio na década de 1930, declarou a um jornal de Chicago que teria sido a musa para uma das versões da Dama na época. Já na biografia de Bette Davis, a diva do cinema afirma que ela seria Claudia Dell, uma atriz dos anos 30 e 40. Há quem diz também de que a Dama seria a atriz Amelia Bacheler, que teria recebido apenas 25 dólares para posar para o estúdio em 1936. A imagem atual foi redesenhada pelo ilustrador Michael J. Deas em 1993 e baseada em uma dona de casa da Louisianna, Jenny Joseph, que posou para Deas usando um roupão e segurando uma tocha. E, em vez de usar o rosto de Jenny, o artista criou novas feições para a Dama no computador.

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o





Principais filmes lançados[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • LIMA, Cláudia de Castro. Os aliados ocultos de Hitler. Revista Super Interessante, São Paulo, n. 333, p. 24-35, mai, 2014.